A propósito de eucaliptos: Jorge Paiva ou Passos Coelho?


Passos Coelho tem a qualidade fundamental para se ser político: falta de vergonha. Como qualquer bom político, e ao contrário, quiçá, da maior parte da humanidade, Coelho é imune àquele sentimento que muitas pessoas normais e alguns tarados sexuais resumem na frase “se houvesse um buraquinho, enfiava-me lá dentro”.

Depois de ter inundado o espaço mediático com uma multidão de suicidas inexistente, resolveu, do alto da cátedra em que finge viver, explicar que não há nenhum problema com os eucaliptos, reduzindo essa questão a uma aliança entre PS e os Verdes para aguentar a Geringonça.

Efectivamente, é simplista pensar que bastaria erradicar os eucaliptos para acabar com os incêndios. O simplismo é próprio dos pobres de espírito ou dos que não têm vergonha na cara. Passos Coelho, que não é pobre de espírito, cai no simplismo oposto, não tendo pejo em contrariar aquilo que muitos investigadores têm escrito sobre o problema dos incêndios florestais.

Uma das vozes mais autorizadas sobre o assunto é o professor Jorge Paiva, que, ainda recentemente, escreveu um artigo em que, naturalmente, não reduz o problema dos incêndios à eucaliptização, porque, como qualquer especialista, não cai em simplismos, instrumento reservado aos desprovidos de vergonha.

Uma expressão como “época de incêndios” já deveria ter deixado de fazer sentido há muito. Para isso, seria preciso ouvir quem sabe.

Por isso, pergunto: se falarmos de incêndios florestais, vamos dar ouvidos a Jorge Paiva ou a Passos Coelho?

Comments

  1. Konigvs says:

    Qualquer pessoa simples, até sem nenhuma instrução, pode ser um grande especialista em floresta e Natureza, basta para isso que tenha aprendido a observar o que a rodeia. Só isso.

    Ainda no ano passado, nas duas primeiras semanas de agosto, ardeu mais em Portugal que no resto da Europa. Dois meses depois de um incêndio junto à barragem de Lever (e que pouco depois já ardia do outro lado do rio graças aos eucaliptos), o cenário que encontrei foi este:

    http://bucolico-anonimo.blogspot.pt/2016/10/eucalipto-resistencia-e-disseminacao.html

    Já agora deixo uma pergunta (ao cuidado do senhor Costa) : Para quê financiar a replantação de eucaliptos, se a melhor coisa que pode acontecer às sementes de eucalipto é arderem?

    É o capitalismo, estúpido!

  2. Rui Naldinho says:

    É perceptível que PSD, CDS, e a sua claque de apoio na CS estão incomodados.
    “Eles esperavam muito mais deste incêndio!”
    Todos juntos estavam com fortes expectativas de tirar dividendos políticos da tragédia, um pouco na linha do que aconteceu com a ponte de Entre os Rios, em 2001.
    Numa altura em que as autárquicas se aproximam, e os resultados podem ser muito maus, nada melhor do que deixar o PS chamuscado. Mas parece-me que tudo se está a desmoronar.
    Se é verdade que o PS não ficou bem na fotografia, mostrando todas as suas fragilidades políticas, uma coisa ressalta à vista do comum cidadão. Mais uma vez foi o Centrão (PS, PSD e CDS), que ficou em xeque com as suas famosas negociatas, onde o famigerado SLN/BPN/Galilei de Dias Loureiro e Oliveira e Costa não faltam. Mas também não faltam os negócios do eucaliptal, promovidos com avidez, por esta gente. E a incapacidade destes partidos para ordenarem a floresta, não vá o autarca do Partido A, B ou C, perder as eleições. E os cortes cegos em tudo o que não dá lucros, por exemplo, o interior desertificado e envelhecido.
    Quem sai prejudicado são os mesmos do costume. E se alguma lição podemos tirar, é em benefício da Geringonça, na sua vertente “equilibrista”, onde o cidadão foi confrontado mais uma vez, com a necessitada de não dar aos socialistas a hipótese de serem maioria absoluta.
    Portanto, se falarmos de incêndios florestais, vamos dar ouvidos ao Professor Jorge Paiva, mas com reservas, não vá ele ser contratado por alguma entidade com interesses instalados, e mudar de opinião, como mudaram muitos técnicos e políticos.
    Quanto a Passos Coelho, terá de esperar pela próxima tragédia, pois desta não me parece ter-se saído muito bem.

  3. cportuga says:

    Este Passos fala por falar porque tem de dizer qualquer coisa o mais que não seja baboseiras como disse hoje, o tipo não percebe de política quanto mais de florestas mas o mais curioso é a plateia que assiste à palestra, ou são um bando de ignorantes ou riem-se para dentro. Acho que o professor deveria dar umas aulas a esta cambada de gente ignorante que só têm euros nos olhos e estam-se nas tintas para o ordenamento do território logo que não lhes arda a casa.

    • Um sábio fala quando tem alguma coisa a dizer, um idiota (PPC) fala porque tem que dizer qualquer coisa.

  4. anti pafioso. says:

    Nada de preocupante PPC e quadrilha a caminho do cadafálso . é só esperar por outubro.

Trackbacks

  1. […] professor Jorge Paiva, um especialista em floresta, ao contrário de gente mais mediática e sem vergonha, anda, há anos, a chamar a atenção para vários problemas que poderão estar na origem dos […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s