O Circo

 

 

 

 

O Ministro Pedro Nuno Santos, deste Governo (e do anterior), numa entrevista ontem sobre o aeroporto disse o que disse. Ponto. Está gravado. Não vale a pena andarmos com o que foi para o Diário da República, e a anulação comunicada. Num País decente duas hipóteses se deveriam colocar, independentemente de tudo o resto. Ou pedia a demissão, ou era demitido. Rapidamente. Seriam muitas as interpretações e as consequências, mas é a vida de quem anda nestas andanças, e todos conhecem as regras. 

E portanto, como nada aconteceu até agora, ressalta o carácter, ou a falta dele, das pessoas que estão, infelizmente, mas com toda a legitimidade democrática, a ocupar os cargos de 1º. Ministro e de Presidente da República.

Lá virá a treta das questões institucionais, do país, do interesse nacional (seja lá isso a que se referem) etc., etc.

Ou o 1º. Ministro vai imputar a demissão de Pedro Nuno Santos ao Presidente da República.  Um número de circo.

O problema é que quem está a mandar são os palhaços, cuja profissão é ser palhaço, mas não sabem gerir um País.

Comments

  1. Rui Naldinho says:

    O Partido Socialista desde que acabou a Geringonça, tem sido um verdadeiro tratado de incompetência. Muitos dos seus personagens são os mesmos, mas antes estavam amarrados a compromissos com os outros parceiros e a datas. Agora, em roda livre e com uma maioria absoluta, está à vista toda a sua incapacidade de decidir o que quer que seja.
    Primeiro foi Cabrita a apodrecer no Ministério da Administração Interna. E do o sobressalto de perderem as eleições nas sondagens, os fez mudar de rumo. Agora será Pedro Nuno Santos a vegetar num Ministério com importância vital nos PRR’s. Eu até tinha alguma estima por este Pedro, tinha vontade de fazer coisas, e rodeava-se de gente competente. Mas depois desta palhaçada nem sei o que dizer.
    O mínimo que se exigia ao Ministro era o bater com a porta, mandando o António Costa dar uma volta.
    Mas não. Deve ter medo de ir para o lugar de deputado.
    Enfim!

    • Rui Naldinho says:


      É só o sobressalto …

    • Pimba! says:

      Sim… e não!
      O Ministro Pedro Nuno Santos assumiu o seu dever perante o País. E como ele precisa do PNS!
      Lembremos que o PNS foi o único político desde há 30 anos a defender a ferrovia, e a fazer algo nesse sentido. O único.

      Se PNS calha a sair do Governo, entäo aí é que este país perde o pouco que ainda tem ou poderá ter. Ainda para mais neste contexto estrutural de subido do preço dos combustíveis.

      Esse coprólito sorridente da fotografia pode ir sorrir lá para um sítio que eu cá sei, até o incompetente Costa lhe dá 10 a zero.

  2. Paulo Marques says:

    Depois de tantas figuras muito mais tristes, cá e não só, quero lá saber. Se é para resolver de vez ou não é a única coisa que sai daqui.
    É que se não é para governar e fazer, para não se ficar com a possível culpa, percebe-se bem porque outros ficaram tanto tempo. PNS, ao menos, não está para isso. Parado à espera de unicórnios já está tudo à muito tempo.

  3. JgMenos says:

    O rapaz depende do aparelho na sua versão esquerdalha e caceteira.
    A mensagem ao congresso do PSD – não contais pra nada! – foi tentação irresistível.

    • POIS! says:

      Ora pois!

      Eis JgMenos apalpando lascivamente a sua bola de cristal num momento de orgástica adivinhação!

      Á falta de melhor…

  4. Pimba! says:

    Afinal, näo foi para näo precisar de compromissos que o Costa andou a pedinchar a maioria absoluta?
    Ah, é que agora näo tem o BE ou o PCP para botar as culpas do que corre mal!
    Agora tem o que quer… näo gosta? Tivesse cuidado!

    Se näo gosta tem bom remédio: convide alguém doutros partidos para ministro!!!

  5. Joana Quelhas says:

    Aqui há uns anitos era Jorge Sampaio um espécie de PR, alguém levantou o incomodo assunto que a maior parte das leis que exigiam maioria eram aprovadas sem que os deputados estivessem no parlamento.
    Além disso as assinaturas constavam nos diplomas apesar de esses mesmos deputados não terem estado presentes.
    O que é que aconteceu ?
    Bem todas as leis aprovadas nessas circunstancias tiveram de ser novamente votas durante as férias dos deputados e os deputados mentirosos foram todos expulsos do parlamento.

    O ultimo paragrafo é uma brincadeira, pois o assunto foi resolvido com mais um código de conduta. O PS precisa sempre de uma norma para saber o que é certo ou errado.

    Portanto isto que se passou ontem é um refresco para o PS.
    “No pasa nada”.
    Nisto e da honradez do Estado lembrei-me que Salazar mandou o embaixador em Washington pagar a primeira tranche do dinheiro que Portugal recebeu do tio Sam ao abrigo do chamado Plano Marshal. O assunto chegou ao congresso onde os congressistas americanos tiveram de discutir se recebiam o dinheiro referente ao Plano Marshal de um dos mais pequenos países europeus, que foi o único a assumir que tinha que pagar a dívida…

    Joana Quelhas

    • Pimba! says:

      Ainda bem que V. Exa. fala do Plano Marshall.
      Saiba V. Exa. que esse plano tinha duas vertentes: doaçöes e empréstimos.
      2 países que se mantiveram neutrais na II GM, com populaçöes semelhantes, foram “ajudados” pelos seus idolatrados americanos de forma muito diferente:

      Plano Marshal (em milhöes de $)

      País Total Doações Empréstimos
      Portugal 51,2 15,1 36,1
      Suécia 107,3 86,9 20,4

      O que mais ajudou os aliados recebeu metade do graveto, 67% em empréstimos; o que mais ajudou os nazis recebeu o dobro, e só 20% em empréstimos. Ah, mas eram muitos mais brancos!

      Já V. Exa. näo percebe a diferença entre a Estrada da Beira e a beira da estrada, nem que os empréstimos säo para pagar. Claro que os seus amados congressistas americanos nem sabiam onde era Portugal… muito nossos amigos!

    • POIS! says:

      Pois, pois, ó Qwellhass!

      Dois belos filmes: “Os Deputados que Foram Para o Frio” (nomeado para 5 Óscares, 2 Césares, 4 Zeferinos, 8 Messias e 3 Ronaldos)…

      …e “São Dólares, Senhores”, que é baseado na história de um milagre de Salazar, que transformou volfrâmio em ouro durante uma excursão a Fátima, onde a malta que o acompanhava passou uma larica do caraças porque estavam á espera da multiplicação dos pães e da mutação da água em vinho.

      Este filme foi, mesmo assim, muito premiado: 2 Oliveiras, 3 Cerejeiras, 5 Lúcias, 3 Jacintas, 7 Franciscos e uma Santa da Ladeira. Isto só no primeiro fim de semana.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.