E quando o impensável acontece…

Pode haver razões que a (nossa) razão desconhece e não aceita.
Um famoso programa de televisão Paquistanês está a fazer correr fita por entregar bebés como prémio (em Português, ao abrigo do AO). Trata-se de crianças abandonadas nas ruas e recolhidas por uma ONG, a Chhipa Welfare Association, e entregues a casais estéreis que há muito esperam poder ser guardiões de uma criança. Isto porque a adopção não existe no Paquistão.
O apresentador do programa (em Inglês, sem AO), pelos vistos muito admirado, mas também frequentemente polémico, afirma que apenas pretende espalhar amor e que está a dar o exemplo ao entregar um bebé a um casal sem filhos. Pelo caminho, aproveita e ganha mais popularidade e mais uns quantos espectadores…
É de lamentar? É, pois claro que é, mas ainda mais de lamentar é o facto de naquele país, como em tantos outros, as crianças serem privadas dos seus direitos e tratadas como objectos.
Num país onde estes direitos estão assegurados, isto nunca aconteceria. Penso eu de que.