E quando o impensável acontece…

Pode haver razões que a (nossa) razão desconhece e não aceita.
Um famoso programa de televisão Paquistanês está a fazer correr fita por entregar bebés como prémio (em Português, ao abrigo do AO). Trata-se de crianças abandonadas nas ruas e recolhidas por uma ONG, a Chhipa Welfare Association, e entregues a casais estéreis que há muito esperam poder ser guardiões de uma criança. Isto porque a adopção não existe no Paquistão.
O apresentador do programa (em Inglês, sem AO), pelos vistos muito admirado, mas também frequentemente polémico, afirma que apenas pretende espalhar amor e que está a dar o exemplo ao entregar um bebé a um casal sem filhos. Pelo caminho, aproveita e ganha mais popularidade e mais uns quantos espectadores…
É de lamentar? É, pois claro que é, mas ainda mais de lamentar é o facto de naquele país, como em tantos outros, as crianças serem privadas dos seus direitos e tratadas como objectos.
Num país onde estes direitos estão assegurados, isto nunca aconteceria. Penso eu de que.

Monstro em cela de luxo

Breivik teve a pena máxima que a Noruega permite: 21 anos de cadeia. Alguém se deu ao trabalho de contabilizar o tempo que é condenado por cada vítima: 3 meses…

Breivik matou 77 pessoas, cidadãos inocentes, gente muito jovem.

A democracia da Noruega dá a Breivik uma cela confortável de três divisões. Uma para exercício, com aparelhos de musculação e outra com computador, onde poderá escrever livros… (talvez manifestos racistas como se leu no Editorial do Público de ontem).

Há gente que não cometeu nenhum crime na sua vida e vive muuito pior que aquele monstro.

Recordo uma notícia do ano passado, que saiu na altura em que o monstro norueguês comete o massacre «inqualificável». No Paquistão, “operários das fábricas de tijolo são tão explorados que têm de vender os rins  para pagar as dívidas”. Trabalham de sol a sol para receber menos de 1 euro. Enquanto isto, o Paquistão “é o povo que, em todo o mundo, mais donativos faz para obras de caridade”. Hipocrisia.

A vida daquela gente é uma prisão. Vivem com a corda na garganta, condenados a passar os seus dias a pagar dívidas e empréstimos atrás de empréstimos.

Isto é justiça?

A ganhar as mentes e os corações

Os EUA matam mais 15 em ataque de drones no Paquistão.

O que incomoda

Sem dúvida, o que incomoda no caso do uso de indianos, de paquistaneses, de africanos de diversas nacionalidades e de chineses no comício PS de Beja é o facto de serem imigrantes (talvez ilegais, até) que se encontravam numa situação de clara fragilidade, que não votam e que lá foram apenas porque lhes ofereceram comida e bebida (e promessa de papéis?). Não é a mesma coisa se fossem portugueses porque, com esses, haveria a dúvida se não estariam a juntar o útil ao agradável.

Um erro não pode ser justificado com outro erro, pelo que dizer que outros partidos também recorrem à camionetas de apoiantes não é desculpa para o PS também o fazer. Mas, e este é que é o ponto, o PS foi mais longe na falta de vergonha do que os outros partidos alguma vez foram. É isso que incomoda.

Comentários xenófobos? Admitam que erraram em vez de procurarem branquear um acto vergonhoso.

Sócrates e os indianos no Photoshop

Sócrates e os indianos no photoshop

A campanha eleitoral de José Sócrates resolveu encher comícios com “apoiantes” pagos a bifanas. Escusava ter-se dado a tanto trabalho para ter uma falsa multidão, já que poderia ter obtido o mesmo resultado com o Photoshop. E se o pretendido toque de diferença residia no uso de indianos, poderia na mesma ter adjudicado o servicinho a uma das inúmeras empresas informáticas indianas que por aí aceitam serviço. Só haveria a resolver aquele pequeno detalhe das televisões, apesar disso não ter sido problema em eventos anteriores (ver o exemplo da sessão de pontapés no último congresso do PS).

Ver também – vídeo da reportagem TVI sobre este assunto:

[Read more…]

Bin Laden morto no Paquistão

Barak Obama anunciou a morte de Bin Laden algures no Paquistão, perto de Islamabad, quase dez anos após os ataques às Torres Gémeas. Algumas guerras depois, um número incontável de mortos e de recursos gastos, extremados muitos fundamentalismos religiosos, Obama exibe finalmente a cabeça de Osama. O anúncio foi festejado em Washington e Nova Iorque por milhares de pessoas, mostrando que Bin Laden era uma espinha atravessada na garganta dos americanos.

Durante anos discutiu-se se Bin Laden estaria escondido nas montanhas do afeganistão ou, pelo contrário, em ambiente urbano, em pleno Paquistão, perto de Islamabad. Pelos vistos estavam certos os segundos. Será este o golpe de misericórdia na Al-Quaeda? Só o tempo o dirá.