Colton Harris-Moore, o bandido descalço, teve de se calçar

Colton Harris-Moore_1907

Colton Harris-Moore foi detido. Falamos dele em Dezembro passado. Não sei se se lembram. Apresentávamos como o ‘bandido descalço’. Com 19 anos de idade apresenta um currículo recheado de sete anos de crimes e uma legião de fãs impressionante, que até lhe criaram um clube de fãs.

Roubou cartões de crédito, roupas, automóveis, barcos e pequenos aviões. Esteve dois anos em fuga. Deixou a sua área de conforto, Camano Island, no Estado de Washington, EUA, e andou por onde pode, sendo acusado de mais de 50 assaltos em três estados norte-americanos. Alguns terá feito, outros talvez não.

Foi detido há dias nas Bahamas, numa cena de filme. Tentou fugir num barco que roubou, ainda ameaçou suicidar-se. Disse querer fugir para Cuba, de forma a evitar a captura pela polícia dos EUA.

Presente a tribunal, a advogada oficiosa disse que deveria pedir emprego na CIA. Colton Harris Moore aproveitou a oportunidade e garantiu que se o deixassem, apanhava Bin Laden. Vai ser julgado em Seatlle, no estado de Washington

Talvez o grande desaire destes tempos tenha sido a obrigação de se apresentar calçado em tribunal.

O caso de Colton Harris-Moore: o criminoso herói

Foi do portuense Siga ou do norte-americano Jesse James que me lembrei quando conheci o caso de Colton Harris-Moore. Nos EUA comparam-no a Huckleberry Finn ou a Robin dos Bosques. Prefiro vê-lo como apenas como um criminoso jovem, embora com estilo, e não como um justiceiro que rouba aos malvados ricos e entrega aos pobres ou uma simples vítima órfã de um pai cruel.

Colton Harris-Moore

Tal como Siga, criminoso jovem desde criança, Colton Harris-Moore entrou no mundo dos assaltos muito cedo. Tal como Jesse James é encarado como um rebelde com causa, cheio de estilo e a quem apetece ajudar e bater palmas.

Colton Harris-Moore só tem 18 anos mas uma vida cheia de aventuras. Num churrasco de família, ele, criança, e o pai discutiram, tendo terminado com o homem a apertar o pescoço ao miúdo. A mãe saiu de casa e levou-o. Ainda não tinha feito nove anos e já a polícia o procurava. Tinha roubado uma bicicleta. Foi o primeiro de um currículo gigante, construído em dez anos.

A seguir às bicicletas vieram automóveis, barcos e aviões, que pilotou mesmo se ter qualquer aula, tendo sido quanto baste a leitura de um manual que encomendou pela internet. Ao longo de dez anos foi construindo uma legião de fãs através da internet. No YouTube há hinos que o glorificam. No Facebook tem milhares de seguidores. Que se saiba, nenhuma delas foi vítima de Colton.

[Read more…]