Ó ‘Vampiro’ Azevedo, regressemos às mercearias,drogarias…

custos de hora de trabalho em Portugal_2011

Fonte: Observatório das Desigualdades

Poucos, raríssimos, trabalhadores usufruem de doações do tipo e dimensão daquela que Belmiro de Azevedo beneficiou do patrão Afonso Pinto de Magalhães. Com esse generoso prémio, Azevedo, até então engenheiro director de madeiras e contraplacados, transformou-se no 16.º accionista da Sonae, de que tem sido destacado presidente.

Azevedo, antes e depois de acérrimas lutas judiciais com a família Pinto de Magalhães, e graças a hábeis jogadas, Golpada em Grandes Negócios, tornou-se líder da Sonae, diversificando o grupo empresarial e colhendo benefícios do lançamento e expansão de cadeias de supermercados, hipermercados e centros comerciais.

A Sonae Indústria, ponto de partida no conjunto do grupo, é agora membro menor. Porém, tem de se esclarecer, a desregulação e condições leoninas impostas pela distribuição moderna a produtores nacionais foram de tal modo penosas, que muitos deles se viram obrigados a falências e insolvências – só para dar uma ideia dos dislates permitidos ao ‘Continente’, parte do qual já se chamou ‘Modelo’ e ‘Modelo Bonjour’ (O ‘Pingo Doce’ é o outro sugador), na abertura do ‘Continente’ do Colombo, em Lisboa, a um produtor de legumes entalados (feijão e grão) foram exigidos e pagos 25.000 contos por um metro de linear, para o que se chama ‘colocar o produto em linha’ (à venda) na loja. [Read more…]