Ó ‘Vampiro’ Azevedo, regressemos às mercearias,drogarias…

custos de hora de trabalho em Portugal_2011

Fonte: Observatório das Desigualdades

Poucos, raríssimos, trabalhadores usufruem de doações do tipo e dimensão daquela que Belmiro de Azevedo beneficiou do patrão Afonso Pinto de Magalhães. Com esse generoso prémio, Azevedo, até então engenheiro director de madeiras e contraplacados, transformou-se no 16.º accionista da Sonae, de que tem sido destacado presidente.

Azevedo, antes e depois de acérrimas lutas judiciais com a família Pinto de Magalhães, e graças a hábeis jogadas, Golpada em Grandes Negócios, tornou-se líder da Sonae, diversificando o grupo empresarial e colhendo benefícios do lançamento e expansão de cadeias de supermercados, hipermercados e centros comerciais.

A Sonae Indústria, ponto de partida no conjunto do grupo, é agora membro menor. Porém, tem de se esclarecer, a desregulação e condições leoninas impostas pela distribuição moderna a produtores nacionais foram de tal modo penosas, que muitos deles se viram obrigados a falências e insolvências – só para dar uma ideia dos dislates permitidos ao ‘Continente’, parte do qual já se chamou ‘Modelo’ e ‘Modelo Bonjour’ (O ‘Pingo Doce’ é o outro sugador), na abertura do ‘Continente’ do Colombo, em Lisboa, a um produtor de legumes entalados (feijão e grão) foram exigidos e pagos 25.000 contos por um metro de linear, para o que se chama ‘colocar o produto em linha’ (à venda) na loja. [Read more…]

Presente e futuro da advocacia: uma questão de República (5)

Continuando o que já escrevi aqui.

O Direito aprende-se na Faculdade, não é na Ordem dos Advogados (OA). Nesta deve-se aprender teoria e prática forense, a par de deontologia e ética profissionais.

Não podem, pois, os candidatos à Advocacia, continuarem a ter um modelo de estágio afastado da realidade forense, que só os prejudica, bem como prejudica quantos, no presente e no futuro próximo, se irão socorrer dos seus préstimos.

Nem é aceitável que a formação profissional do estagiário seja paga. Ela deverá ser gratuita, na melhor tradição da OA.

Hoje, os estagiários não podem exercer em sede de Apoio Judiciário, pois que é entendido pela actual Direcção da OA que o Apoio Judiciário não deve transformar-se em instrumento de financiamento dos estagiários. Nem estes, uma vez que não estão definitivamente dados como aptos para o exercício da profissão – que só acontece com o exame final de agregação com que se conclui o estágio -, deverão exercer o Patrocínio forense, pois que lhes falta a devida preparação para representar e intervir em juízo em nome de terceiros.

Concordo com o entendimento. Mas falta fazer com que à falta de meios financeiros, se assegure a subsistência dos estagiários durante o tirocínio. Até mesmo para que o elemento económico não seja um crivo de selecção, por tão injusto que é. E para tal, não é necessário que a OA assuma o encargo de remunerar o estágio. É necessário, sim, que se chame o Estado às suas responsabilidades – as mesmas que, como já disse aqui e aqui -, [Read more…]

Downsizing, dizem eles

É uma triste realidade aquela em que pequenos e médios empresários tentam obter, junto da banca, liquidez para salvarem as suas empresas, depois de já lhes ter sido sugado todo o património e mais algum para garantia dos financiamentos.

Mendigam apoios àqueles a quem eu, eles, e todo o povo português, avalizou os seus financiamentos externos. Pois convém lembrar que a banca portuguesa foi pedir dinheiro lá fora com o aval do Estado português, ou seja com o nosso aval. E a nenhum de nós algum banco deu de garantia o que quer que fosse pelo aval que o povo lhes deu.

Esse dinheiro que veio de fora á custa do nosso aval está a chegar a conta-gotas às empresas, atrofiando-as em termos de liquidez. E quando o empresário chega à banca, como eu já assisti, para pedir ajuda, volta-meia-volta lá vem a lógica do “downsizing”, ou seja, a diminuição da estrutura da empresa para melhorar a sua viabilidade. Que é o mesmo que dizer mandar trabalhadores para a rua para se gastar menos em salários. [Read more…]