As escutas do «Sol» de que ninguém fala (I)

«O Zeinal já arranjou maneira de, não dizendo que não ao Sócrates, fazer a operação de forma que ele nunca aparece»

 

Há coisas que me irritam muito no jornalismo português e na sua falta de profissionalismo. Uma delas é quando os jornais desatam a transcrever uma qualquer notícia recebida via Lusa. E de repente, temos todos os jornais exactamente com a mesma notícia. Quer dizer: ninguém se deu ao trabalho de ler a notícia, investigar, acrescentar algo. Pegaram nela, copiaram e colaram.
Com as escutas que o «Sol» começou a publicar na sexta-feira, aconteceu o mesmo. Em todo o lado, apareceu o excerto que o semanário publica na capa: ««Das conversações entre Paulo Penedos e Armando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias.»
E ninguém mais, pelo que vejo, se preocupou com as escutas propriamente ditas, meia dúzia delas que aparece em seis páginas de reportagem do jornal. Aqui vão algumas pérolas que dão uma pequena imagem de tudo o que vem por aí (e que, de certo modo, no editorial desta edição, António José Saraiva dá a entender, quando fala dos últimos dias de Sócrates):

– «Esta operação era para tomar conta da TVI e limpar o gajo» (Armando Vara, aquando do primeiro falhanço do negócio de compra da PT)

– [Pede-lhe] «para marcar a reunião para a semana, conforme combinado» (Rui Pedro Soares, administrador executivo da PT, em conversa com Paulo Penedos, pedindo para marcar reunião com Manuel Polanco, da PRISA).

– «Ela, Manuela Moura Guedes, vai ser anunciado já que vai sair – vai para o entertenimento. Ele deve ser muito bom porque os espanhóis querem fazer a transição com tranquilidade. O que ele não sabe é que já não estão a pedir a cabeça dele.» (Paulo Penedos para pessoa não identificada)

– O Zeinal já arranjou maneira de, não dizendo que não ao Sócrates, fazer a operação de forma que ele nunca aparece. (…) Vão passar uns fundos para Londres.» (Paulo Penedos para Américo Thomatti, quadro da PT e presidente executivo do Tagus Park) [Read more…]