Para quê criar um novo banco quando podem usar a TVI para destruir um já existente e comprá-lo a preço de saldo?

Em 2015, o grupo Altice passou pela quermesse de Passos Coelho e levou a PT, por um simpático valor que rumou, na sua quase totalidade, para o Brasil. Para isso e para pagar dívidas que a meritocracia capitalista – leia-se boys & girls do regime – nos deixou de herança, como forma de agradecimentos pelos milhões em bónus que lhes pagamos ao longo dos anos. Maravilhas da boa nova liberal.

Dois anos volvidos, a Altice adquiriu hoje uma posição maioritária na Media Capital, acumulando assim o controle da MEO com o da TVI, o canal português que se encontra no patamar de sensacionalismo e parolice imediatamente anterior ao do Correio da Manha. [Read more…]

Não Há Direito!

.

ISALTINO PERTO DO FIM?

O senhor Isaltino, o do sobrinho rico e taxista na Suiça, e também o que foi preso e solto em menos de 24horas, e de quem já falamos várias vezes, está a passar, coitado, um mau bocado.

Amado de todas as maneiras e feitios pelos seus munícipes, está em vias de dar com os costados na pildra por dois anos.

Claro que não vai ser bem assim, mas são as notícias que correm. O homem tem muitos e bons advogados a tratarem dos seus assuntos na justiça.

Agora, o Tribunal Constitucional rejeitou o recurso que este senhor tinha “metido”, e, apesar de ainda ter alguns dias de folga, tudo leva a crer que vai voltar aos calabouços.

Esperemos mais uns dias para ver no que isto dá, já que até há quem diga que a população de Oeiras não vai permitir que o senhor Isaltino vá preso, prevendo-se greves de fome, cortes no trânsito, manifestações mais ou menos pacíficas e, pasme-se, até há quem se proponha ir diariamente à prisão levar-lhe faisão e chouriças de sangue e alheiras e presunto e…e…e…, no caso de não conseguirem evitar que ele vá de cana.

.

Freeport : há depósitos, cartas, mails, pagamentos…

Na Assembleia da República José Eduardo Moniz não só afirmou a sua convicção que Sócrates não poderia deixar de conhecer o negócio PT/TVI, como confirmou as constantes pressões políticas que sofreu enquanto Director-Geral da estação televisa e nisso envolveu Morais Sarmento do PSD.

Indicou mesmo o nome de vários jornalistas que teriam sofrido tais pressões e que ele, Moniz, foi pressionado para afastar vários jornalistas. Quando rebentou o escândalo Freeport tudo se tornou mais dificil, com as pressões a subirem de tom e as exigências de afastamento do “Jornal Nacional” das sextas feiras.

Ouvido durante mais de três horas na mais longa inquirição, Moniz não deixou os seus créditos por mãos alheias reafirmando o envolvimento do governo numa operação de controlo da comunicação social através do seu parceiro preferencial, os espanhóis da Prisa, que muito necessitados de dinheiro, se colocavam a jeito para prestarem favores políticos. Sócrates não se fez rogado!

José Eduardo Moniz reafirma o que Manuela Moura Guedes já tinha dito, há documentação na posse da TVI sobre o Freeport que não é publicado, exemplificando com cartas e mails entre os intervenientes, depósitos e a “pirâmide” dos pagamentos!

As escutas do «Sol» de que ninguém fala (I)

«O Zeinal já arranjou maneira de, não dizendo que não ao Sócrates, fazer a operação de forma que ele nunca aparece»

 

Há coisas que me irritam muito no jornalismo português e na sua falta de profissionalismo. Uma delas é quando os jornais desatam a transcrever uma qualquer notícia recebida via Lusa. E de repente, temos todos os jornais exactamente com a mesma notícia. Quer dizer: ninguém se deu ao trabalho de ler a notícia, investigar, acrescentar algo. Pegaram nela, copiaram e colaram.
Com as escutas que o «Sol» começou a publicar na sexta-feira, aconteceu o mesmo. Em todo o lado, apareceu o excerto que o semanário publica na capa: ««Das conversações entre Paulo Penedos e Armando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias.»
E ninguém mais, pelo que vejo, se preocupou com as escutas propriamente ditas, meia dúzia delas que aparece em seis páginas de reportagem do jornal. Aqui vão algumas pérolas que dão uma pequena imagem de tudo o que vem por aí (e que, de certo modo, no editorial desta edição, António José Saraiva dá a entender, quando fala dos últimos dias de Sócrates):

– «Esta operação era para tomar conta da TVI e limpar o gajo» (Armando Vara, aquando do primeiro falhanço do negócio de compra da PT)

– [Pede-lhe] «para marcar a reunião para a semana, conforme combinado» (Rui Pedro Soares, administrador executivo da PT, em conversa com Paulo Penedos, pedindo para marcar reunião com Manuel Polanco, da PRISA).

– «Ela, Manuela Moura Guedes, vai ser anunciado já que vai sair – vai para o entertenimento. Ele deve ser muito bom porque os espanhóis querem fazer a transição com tranquilidade. O que ele não sabe é que já não estão a pedir a cabeça dele.» (Paulo Penedos para pessoa não identificada)

– O Zeinal já arranjou maneira de, não dizendo que não ao Sócrates, fazer a operação de forma que ele nunca aparece. (…) Vão passar uns fundos para Londres.» (Paulo Penedos para Américo Thomatti, quadro da PT e presidente executivo do Tagus Park) [Read more…]

Escutas de Sócrates: O juiz será louco?

«Das conversações entre Paulo Penedos e Armando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias.»
Leiam bem por favor. Leiam bem e respondam: um juiz que não está louco escreveria um despacho destes?:
«Das conversações entre Paulo Penedos e Armando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias.»
Já leram? Se o juiz está louco, internem-no. Se não está, façam alguma coisa. E voltem a ler isto só mais uma vez:
«Das conversações entre Paulo Penedos e Armando Vara resultaram indícios muito fortes da existência de um plano em que está directamente envolvido o Governo, nomeadamente o primeiro-ministro, visando o controlo da estação de televisão TVI e o afastamento da jornalista Manuela Moura Guedes e do seu marido, José Eduardo Moniz, para controlar o teor das notícias.»