Floriano

Nuno Calado Mateus

O único homem que exercia um verdadeiro controlo sobre estas coisas era um tipo chamado Floriano. Era ele quem fazia o tempo, provocando, a seu bel-prazer, a chuva, a neve, os dias de sol ou as trombas de água, desencadeando tempestades e canículas, produzindo, com um pequeno esforço extra, leves brisas e temperaturas amenas. As horas vagas, passava-as sentado numa cadeira, a pensar. E pensava coisas espantosas.

Quando um dia, preocupado com algumas ideias esquisitas que me tinham recentemente ocorrido, lhe perguntei qual era, na sua opinião, o futuro da arte, desatou-se estupidamente a rir e respondeu-me que essas coisas ninguém as podia adivinhar. Ele sabia. [Read more…]