“São Horas de Matar”


“(…) intervir de uma forma eficaz (…), matar, matar, matar.
A resposta poética à crise (…)”