Paco Bandeira e o ódio dos 40

É conhecida aquela anedota, já bem antiga, que desvenda a verdadeira razão de ser do pseudónimo Paco Bandeira. Ao que parece, o pai dele chamava-se Mário Ninha e a mãe Isabel Nassa. Se adoptasse o nome do pai ficaria Paco Ninha, se adoptasse o nome da mãe ficaria Paco Nassa. Assim, preferiu escolher Paco Bandeira.
Lembrei-me desta anedota quando veio a público, nos jornais, o julgamento do cantor por violência doméstica. A ex-mulher acusa-o de maus-tratos constantes enquanto estiveram casados e mesmo de lhe apontar uma arma à cabeça. A mesma arma que vitimou a primeira mulher de Paco Bandeira, que apareceu morta na casa do casal e que, na altura, a Polícia interpretou como tendo sido um caso de suicídio. O irmão da falecida, à luz dos novos acontecimentos, exige a reabertura do processo.
É extraordinário como a violência doméstica é uma praga transversal a toda a sociedade portuguesa e que não escolhe idades, profissões ou grupos sociais. Casos incríveis, que conheço directamente, como o de uma Juiza que é alvo de violência doméstica, ou de uma advogada de um organismo do Estado que é ameaçada e perseguida diariamente pelo marido à frente de toda a gente. [Read more…]