A propósito de cães e luta de classes


Milito no partido dos gatos desde pequenino. O cão, cão, segue o dono como seguiria o líder na matilha. Há o cão inventado pelo homem para ser assassino, o cão que pastoreia, o cão que guarda, o cão que morde pouco, mas o cão, cão, lambe sempre o dono.

O gato, animal de território pouco dado a bandos, conheceu a mãe, livrou-se dos irmãos, e tem domesticamente perante quem o alimenta o trato estritamente necessário para a sua sobrevivência. Sei segredos, gatos que salvam vidas, mas os meus defuntos não entram aqui.

Por via de uma família que mantinha um cão de matar entalado entre uma varanda e uma cozinha, assunto que naturalmente rebentou na morte de uma criança, anda por aí tanto latido que ensurdece. A esquerda divide-se, a direita devota de uma pomba estúpida, citando o sábio Caeiro, resfolega e puxa para a tourada, uma arca de noé em formato babel.

Tola carnificina de palavras. Mas recordo que os animais, sendo todos iguais são uns um pouco diferentes de  outros, adoro um cão, raivoso, este do Sérgio Godinho, que tão bem o explica. E esta é para ti, Raquel Varela, essa do Hitler enferma de uma pequena descontextualização histórico-zoológica: os animais irracionais, legitimamente, defendem-se uns aos outros, não obrigando com isso os racionais a desprezá-los; e depois tens no teu título um erro gramático, não é o cão de Hitler, é sempre o cão do Hitler. Faz uma certa diferença.

Sobre João José Cardoso

Comments

  1. Muito bem observado e comentado. Parabéns e nada a acrescentar, exceto talvez a velha e gasta máxima de que já cá faltavam as parvadas da Raquel Varela. Mas diga-se também que tamanha “esquerdofrenia” deve ser influência do Gil Garcia… Rima e é verdade!

    • O Gil Garcia? Ouvi dizer que o “padrinho” da Raquel Varela era o Fernando Rosas. Penso eu de que…

  2. Ana Cristina Leonardo says:

    Eu sou do partido dos cães mas gostei muito deste post. 🙂

  3. Os verdadeiros culpados, a família, sairão ilesos, antigamente eram as famílias os responsáveis pela cuidado e educação das crianças, como ela acabou que seja o Estado, que venha Esparta.

  4. Reblogged this on Azipod.

  5. Só agora é que li o texto do João José (o nome do meu pai) Cardoso e é só para lhe dizer que nunca ladrei quando fiz os comentários. Não sou capaz.

Trackbacks

  1. […] Aviso: se me aparece aqui alguém a falar em “defesa dos animais”,  ”coitadinho do cãozinho”, ou algo do género, mordo. Como um cão raivoso. […]

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s