Um Rato encarcerado

Branqueamento de capitais, fraude e apropriação indevida de bens são as acusações que pendem sobre Rodrigo Rato, nº2 do governo de José Maria Aznar (1996-2004), ex-director do FMI e ex-presidente do Bankia, o banco espanhol que foi nacionalizado em 2012 por Rajoy, o mesmo Rajoy que promoveu uma amnistia fiscal que beneficiou este destacado barão do Partido Popular espanhol que foi detido durante a tarde de ontem. Qualquer semelhança com casos de políticos portugueses da mesma área ideológica envolvidos em esquemas similares é pura coincidência. Até porque ainda que a criminalidade seja idêntica, por cá estão todos em liberdade. Nós temos esse péssimo hábito de tratar muito bem a escumalha criminosa do regime.

Comments

  1. A.Silva says:

    Tens razão, esta mania de tratar bem esta escumalha criminosa já chateia.

  2. Rui SIlva says:

    Aqui também avisaram a comunicação social como no caso do Sócrates, sacanas…

    cumps

    Rui Silva

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.