Quiosque Regional, #7, Açoriano Oriental


quiosque regional 007 Acoriano Oriental

Açoriano Oriental
O mais antigo jornal português. Fundado em 1835.

Apresentação

acoriano oriental

História do “Açoriano Oriental”
Um breve resumo

O “Açoriano Oriental” foi fundado em 18 de abril de 1835, época que corresponde a um momento áureo do jornalismo a nível nacional e internacional. Foi seu fundador Manuel António de Vasconcelos, nascido no Pilar da Bretanha, uma personalidade em que o político e o jornalista apareciam associados e confundidos numa mesma vocação de serviço público e comunitário.

Era um liberal e um vigoroso defensor dos seus princípios e a fundação do novo jornal inscrevia-se, sem margem para equívocos, nas lutas políticas que se travavam a nível nacional. Era um jornal de combate e debate, esteio e veículo dos princípios constitucionais mais avançados e, ao mesmo tempo, o porta-voz das principais reivindicações da terra e do seu povo, como desde 1979 voltou a ser.

Quatro meses antes do aparecimento do “Açoriano Oriental” tinha sido promulgada a primeira lei de liberdade de imprensa em Portugal e Manuel António de Vasconcelos estabeleceu logo no primeiro número o que hoje se chamaria de estatuto editorial e que atualmente se pode considerar uma notável peça jornalística, pelo seu vigor e sobriedade, perante qualquer moderno estatuto editorial.

O “Açoriano Oriental” ao longo dos seus mais de 175 anos de vida passou por várias vicissitudes, teve diversas orientações mas a todas sobreviveu. Merece ser recordado Manuel Ferreira de Almeida que ao longo de trinta anos e com grandes sacrifícios pessoais manteve o “Açoriano Oriental” sempre em publicação até que em meados da década de sessenta foi adquirido pela “Impraçor” e em 1 de janeiro de 1979 passou a jornal diário.

Em novembro de 1996, o Açoriano Oriental é integrado na empresa Açormedia constituída a partir dos acionistas da Impraçor aos quais se juntou o Grupo Lusomundo, presentemente denominado Controlinveste Media que detém a maioria do capital. Assim se mantém, numa linha editorial de liberdade, rigor e isenção política e económica, tendo como trave mestra da sua orientação “a livre administração dos Açores pelos açorianos” na defesa de uma ampla autonomia política e administrativa.
Essa linha editorial assegura-lhe, desde há anos, uma prestigiante situação de jornal de referência e a liderança da imprensa diária açoriana, honrando o prestigioso título do mais antigo jornal português e um dos dez mais antigos de todo o mundo em publicação contínua e regular com o mesmo nome. Isto mesmo é aliás reconhecido pelo Estado ao conceder-lhe em 1989 o título de Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique.

Última edição

Guia já subiu mais de 1.800 vezes ao Pico, o ponto mais alto de Portugal
Lusa/AO Online / Regional / 19 de Mai de 2016

quiosque regional 007 pico

Aos 43 anos, Renato Goulart tem já contabilizadas mais de 1.800 subidas ao ponto mais alto de Portugal, o Pico, nos Açores, com 2.351 metros, que redescobre em cada escalada à montanha que chama de “mágica”.

“Sou, sem dúvida, a pessoa que já subiu mais vezes ao Pico. Já devo ter passado das 1.800 subidas”, disse hoje à agência Lusa Renato Goulart, que a montanha, na segunda maior ilha do arquipélago, levou a que deixasse a empresa onde trabalhava, como auxiliar de ferragens, para poder fazer das escaladas ao Pico a sua vida.

“A montanha venceu e eu faço disto profissão há oito anos”, afirmou o guia-intérprete, explicando que, no verão, há dias em que são três as vezes que sobe o Pico, na ilha onde hoje o Governo dos Açores prossegue uma visita estatutária. (continuar a ler…)

quiosque regional 007 filarmonicas

O Governo dos Açores promove, entre 23 e 29 de Maio, na Praia da Vitória, a realização do Encontro de Maestros das Bandas Filarmónicas da Diáspora Açoriana.

Segundo nota do GACS, esta iniciativa, organizada pelas direcções regionais da Cultura e das Comunidades, em parceria com o Grupo Recreativo de Actividades Turísticas Internacionais na Terceira – GREAT, pretende criar um espaço propício à partilha de vivências, de experiências, de êxitos e de eventuais dificuldades comuns a estas colectividades, de forma a que os participantes regressem aos seus países de origem mais informados e valorizados sobre a importante função que desempenham. (continuar a ler…)

quiosque regional 007 navios

Operadores de transporte marítimo que asseguram as ligações entre o continente e os Açores garantiram este sábado não existir, neste momento, carga para ser escoada para o arquipélago.

José Raposo, da transportadora marítima Mutualista, disse que foi este sábado assegurada uma ligação suplementar com o navio “Furnas”, de Lisboa para Ponta Delgada, que foi descarregada no porto este sábado de manhã, após acordo com a estiva que lhe permitiu escoar toda a sua carga para os Açores.

O Sindicato dos Estivadores emitiu um novo pré-aviso de greve, a 28 de abril, para o porto de Lisboa, com incidência nos portos de Setúbal e da Figueira da Foz, que prolongou a paralisação até ao dia 27 de maio. Já a 12 de maio foi anunciado o prolongamento da greve até 16 de junho. (continuar a ler…)

Açorianidade
Paulo Simões / 17 de Mai de 2016

quiosque regional 007 paulo simoesVitorino Nemésio criou a palavra que hoje aqui invoco: Açorianidade. Usou-a num contexto pessoal e não como uma definição do povo ou da sociedade açoriana que aqui uso. Faço-o com o devido respeito a Vitorino Nemésio.

Uso a palavra para falar do ser-se açoriano, do ter-se nascido no meio do mar, nuns calhaus negros de lava que desde sempre tiveram a mania de ser importantes, justamente por se localizarem no meio do nada, entre o Velho Continente e o Mundo Novo das Américas.

Uso a palavra para definir o Povo que somos, senhores de nós mesmos, defensores de uma terra livre do jugo de quem em nós queria mandar como se fôssemos meros serviçais da Coroa ou da Ditadura. Aqui, Portugal nunca deixou de o ser! (continuar a ler…)

Edição online e restantes artigos: http://www.acorianooriental.pt

Bilhete de Identidade

Açoriano Oriental
Registo ERC 106992
Direcção Editorial de Açormédia, Comunicação Multimédia e Edição de Publicações,S.A.
Director Editorial: Paulo Simões C.P.: 8136
Estatuto Editorial: http://www.acorianooriental.pt/pagina/estatuto-editorial

Sede
Rua Dr. Bruno Tavares Carreiro, 34/36,
9500-055 Ponta Delgada,
S.Miguel, Açores, Portugal

Açoriano Oriental (Redacção)
Telefone: 296 202832
Fax: 296 202826
acorianooriental@acorianooriental.pt

Detentores de mais de 5% do capital social: Global Notícias-Media Group S.A. (90%), António Lourenço de Melo (10%)

Nota do Aventar

Esta é a sétima edição do Quiosque Regional, uma iniciativa do Aventar destinada a divulgar a imprensa regional, incluindo a presente na diáspora. Pode usar o nosso formulário de contacto para sugerir o seu jornal regional de eleição. Teremos todo o gosto em o considerar para futura publicação.

Cada semana teremos um jornal regional em destaque, realçando:

  • Uma apresentação do jornal;
  • Uma selecção de artigos, que podem continuara ser lidos no próprio jornal;
  • Dados objectivos do jornal.

Leitura adicional:

Deixar um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Alterar )

Connecting to %s