Como conduzir um país à guerra civil

  • Declarar que a eleição vai ser fraudulenta, sem que existam evidências disso e quando o próprio director do FBI, nomeado por Trump, afirma, sob juramento, que não encontra nenhuma evidência de fraude (Forbes, NYT, CNN). Mentir, por tanto.
  • Afirmar que já estão a existir fraudes na eleição, quando tal é falso. Mentir, por tanto.
  • Não se demarcar de grupos de extrema-direita, como os Proud Boys, dizendo-lhes para se manterem em alerta (DN). E depois dizer que não os sabiam o que são ou, até, mandar dizer que os condenou (Fox News, onde mais?)
  • Recusar-se a dizer que aceitaria uma derrota, baseando-se em mentiras para se justificar (BBC).

A estratégia de Trump resume-se ao uso da mentira em larga escala, amplificada pelo Facebook, que ganha rios de dinheiro em anúncios políticos (que se lixe a democracia) e pela Fox News, que é o braço mediático do presidente.

A sociedade americana está tão polarizada, e o mandato de Trump foi, desde o início, um acto continuado de divisão, que os eleitores fecham-se dentro da sua bolha mediática, sem ouvirem o contraditório. Ou porque usam a Fox News como fonte informativa, a qual amplifica a argumentação de Trump, ou porque se alimentam do mundo fechado que o Facebook cria.

Uma nota sobre o Facebook. O objectivo desta plataforma, como muitas outras, é venda de publicidade. Para tal, procura manter os utilizadores a ela agarrados o maior tempo possível, dando-lhe sobretudo aquilo que os próprios pensam (o famoso algoritmo do mural). Este facto cria uma bolha sem contraditório. Não importa se a mentira tem contraditório. Estes grupos fechados, seja das plataformas electrónicas, seja da Fox News e seus aliados, não o deixam entrar, seja por escolha política, seja por estratégia comercial.

E o que faz a trupe republicana? Chuta para canto. Cala-se. Encosta-se no seu cantinho, esse que lhe dá o dinheirinho no fim do mês e que, se conseguirem passar entre os pingos da chuva, continuará a pingar apesar de Trump.

Assim se mata uma democracia.

Comments

  1. Rui santos says:

    Trump trata os americanos como …inimigos. Os amigos são os ‘cowboys’ disponiveis para o apoiar.

    • Paulo Marques says:

      Como inimigos, não, basta ver a declaração sobre os soldados: são idiotas e carne para canhão para que a extracção de lucro continue. Nada de novo, só que capacidade de atribuir dívida ao consumidor para obter propriedade privada mensalmente está a acabar – e começa já a seguir no fim da moratória às rendas.

  2. Fernando says:

    A avassaladora manipulação das eleições por parte de Putin em 2016 também é uma mentira, mentira várias vezes repetida aqui no Aventar.

    E este blog gosta de fazer crer que a CNN é melhor que a Fox News. A CNN e outros meios de desinformação foram bastante úteis para difundir outra colossal mentira, a mentira que levou à invasão do Iraque.

    Mas continuemos a fingir que está a ser dada ao eleitorado norte-americano alguma alternativa aos interesses do Pentágono e Wall Street.

    A maioria dos norte americanos quer saúde gratuita.
    O que diz a alternativa senil “democrata” Biden?
    Diz “Nem pensar!” Os donos do senil querem lucrar com a doença…

    A maioria dos norte americanos diz “basta de intervenções militares”.
    O que diz Biden?
    “Era só o que faltava, vou até aumentar o orçamento do Pentágono” Coitadinhos dos facínoras da guerra, não lhes basta já terem a maior fatia do orçamento…

    Aqueles que insistem que o direitola senil Biden que votou a favor da invasão do Iraque, que é co-responsável por legislação neoliberal que produziu as crises que se sabe, apanhado a mentir várias vezes sobre a sua formação académica, que transfere quantidades astronómicas de $$$$ para os Bancos e corporações mas se recusa a criar um serviço de saúde gratuito porque “não há dinheiro” não são gente que quer qualquer mudança, apenas se querem livrar do Trump porque não gostam dele, pura superficialidade!

    • Paulo Marques says:

      Não é mentira, é exagero. A implicação foi amplificar a divisão e a confusão iniciada por volta da tal guerra pela liberdade, independentemente de os EUA (e o resto) serem perfeitamente capazes de dar tiros nos pés sozinhos. Apesar de ser idiótico atribuir todos os males à Rússia, o caos e a descrença na democracia estão implantados, situação que muito favorece Xi e Putin internamente e não estragam os negócios.
      Biden é péssimo e é incapaz de dizer a palavra trabalhador, a questão é que é essencial recuperar o estado de direito e as instituições, sem as quais não há progresso possível. Esse foi rejeitado nas primárias sem grandes protestos, não há muita razão para pensar que podia ser melhor não havendo movimentação popular. Ainda.

      • Fernando says:

        Estado de Direito?

        Onde é que estava o Estado de Direito quando Obama & Biden enjaulavam emigrantes no sul dos EUA? Onde estava o Estado de Direito quando Obama & Biden esgotavam o stock de bombas de tanto as despejar no Médio Oriente, Líbia?

        Queres lá saber tu, o Obama e Biden do Estado de Direito…

        Como eu disse, não gostas de Trump, és apenas mais um tribalista que finge ter consciência social para pareceres moralmente superior que Trump e os que gostam dele.

        A tua defesa ridícula do Partido “Democrata” e Biden prova que não queres que nada mude!

        • Paulo Marques says:

          Certo, certo… fica lá à espera da revolução, há-de vir sozinha qualquer dia.

          • Fernando says:

            Revolução?

            Então agora exigir o mínimo é ser revolucionário?

            Tu não tens o direito de negar o direito do povo norte-americano a cuidados de saúde de qualidade e gratuitos, mas é isto que os teus queridinhos neoliberais Obama e Biden fazem.

            Tu não tens o direito de negar ao povo norte-americano a sua vontade de não invadir e destruir países, mas é isto que os teus queridinhos neoliberais Obama e Biden fazem.

            Tu não tens o direito de exigir que o povo norte-americano continue a sofrer um declínio social-económico, mas é isto que os teus queridinhos neoliberais Obama e Biden fazem, estão a impor o declínio à maioria da população enquanto protegem os interesses dos bilionários seus donos.

            Tu convives bem com os crimes de Obama & Biden, com o sofrimento que eles impingem desnecessariamente a milhões.

            Não és mais que um tribalista e regressivo tentando fazer-se passar por progressista!

          • Paulo Marques says:

            Não sou eu que gosto, foram os eleitores que os escolheram e se negaram a si próprios. Aqui o tuga avisou alguns que nada vai mudar, mas não tem poder nem para lhes mudar de ideias.
            As escolhas possíveis e realistas são as que são, não as que se querem e, apesar de tudo, são muito díspares. Por muito que Biden também seja um aldrabão com o seu historial, o plano é o mais progressivo de sempre, resta saber se ao menos o fazem cumpri-lo; que o cargo também não é de rei, há muito que queriam e não puderam fazer, por pouco que fosse.

          • Fernando says:

            Não há nada de progressista na governação desde Ronald Reagan, e daí a constante regressão social-económica, a incapacidade de dar resposta aos problemas ambientais e as constantes guerras.

            Mas por favor, não te coíbas de insistir nas fantasias de mudança com Biden e “Democratas”, é que eles são tão diferentes dos Republicanos e nem servem os mesmos interesses oligarca-bilionários…

            Se quiseres podes sempre acrescentar mais um comentário que não refuta aquilo que eu escrevo…

          • Paulo Marques says:

            Portanto, o Affordable Care Act o cap and trade, e os empréstimos financiados pelo governo para educação e casa não foram progresso? Sim, são fundamentalmente neoliberais e garantidores de renda ao capital num sistema que quer agradar sempre primeiro ao capital em troca de doações, por medo/vontade de o estado não poder fazer mais, mas, apesar disso, progresso. Longe de suficiente para a estabilidade da economia, das famílias, e da própria democracia, claro, senão não chegávamos ao cúmulo de gostar de proto-ditadores espertalhões.
            Mas não é o mesmo que destruir o estado deliberadamente para dizer que não funciona.


    • “A maioria dos norte americanos quer saúde gratuita.”

      Não vou discutir se a maioria dos americanos querem saúde gratuita.
      Sei que cada vez que alguém propõe algo parecido com um Serviço Nacional de Saúde é tratado de comunista para baixo.

    • j. manuel cordeiro says:

      O cavalheiro que assina por Fernando vem lançar cortinas de fumo. Não desmente nem comenta o que é dito. Apenas chuta para canto e faz insinuações. Passe bem.

      • Fernando says:

        É mentira que o Aventar se dedicou à cortina de fumo “RussiaGate”?

        Incomoda o cavalheiro que haja quem dê tanta credibilidade à CNN como à Fox News?

        Incomoda o cavalheiro quem vê a podridão tanto de Trump como a de Biden?

        Incomoda o cavalheiro que haja quem vê Trump como um sintoma do mal e não a causa do mesmo?

        Se não o incomoda parece.

        E é-me indiferente como o cavalheiro se apresenta…

        • Paulo Marques says:

          Há uma grande diferença entre fazer escolhas porque nos beneficiam a nós a qualquer custo, ou porque é o que as pessoas que nos rodeiam dizem que é o melhor – o segundo é sempre possível de rebater, contrariar, e eventualmente superar, o primeiro só quando cair de podre, potencialmente no meio do caos cheio de oportunistas com soluções fáceis. Ou, se for como na península Ibérica, estes mantém-se com poder suficiente para que nada mude.

          • Paulo Marques says:

            Por exemplo, já não há muitos que levem um Chuck Todd ou um Chris Matthews a sério.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.