Ao colo uns dos outros

Um país que tem tantas pessoas a precisar de um salário determinado por decreto para sobreviver é um país condenado ao fracasso. O salário mínimo nunca beneficiará os mais desfavorecidos.

Comments

  1. POIS! says:

    Pois gostei muito.

    Do poema. É liiiindo!

    Com acompanhamento de violinos e de campainhas a fazer “plim, plim, cotriiiim” ficava ainda melhor.

    Aconselho ainda V. Exa. a inscrever-se na próxima “Boss Summit” e a lê-lo aí sentidamente.

    Estou certo que a plateia vai esgotar os lenços e, quiçá, o papel higiénico, como costuma ser habitual.

    O Ferraz da Costa, então costuma ficar destroçado, de tão sensível. O que lhe vale é que, em seguida, manda vir lá da farmacêutica dois litros de “Levolax” e aquilo passa~lhe no instante.

  2. Rui Naldinho says:

    Um liberal a evocar um economista de esquerda e anti liberal, para explicar a desgraça do nosso tecido empresarial, só pode ser anedota.
    Já escrevi e repito. O melhor da Geringonça, a sua marca de água, foi sem dúvida o rompimento com aquela velha treta de que não se pode aumentar o salário mínimo nacional porque as empresas não aguentam.
    Entretanto somos um país inundado de Porches e Ferraris,…até a Mercedes se dá ao luxo de lançar novos modelos nesta Venezuela à beira mar plantada.

  3. Paulo Marques says:

    Estão os senhores empresários livres de aumentar o que pagam, que não estamos numa ditadura. Não podem, como exemplificado pelo senhor abaixo, é querer baixar os salários quando convém, a bem da economia, e depois queixar-se que ganham mal.

    https://ladroesdebicicletas.blogspot.com/2021/11/a-roda-da-propria-cauda.html

    Ou que viveram acima das possibilidades, mas depois não gastam e as empresas não facturam. Ou que são baixos, mas as pessoas deviam aceitá-los na mesma. Ou que deviam vender pastéis de nata, mas ficar chocado que venderam mesmo pastéis de nata.
    Ou, no fundo, e em resumo, querer engordar capitalistas com pouco valor acrescentando e queixar-se que o problema é o estado.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.