Comments

  1. JgMenos says:

    Bufo, chibar é a tua praia, quando não inventas!
    Mas falemos de racismo e fascismo.
    Haverá matilha mais racista que o SOS Racismo?

    • João L Maio says:

      Tu é que foste PIDE e eu é que sou bufo? Eu sigo a máxima “Inglorious Basterds”, nazis e seus amigos Menos é tudo para ir ao charco.

      Percebo que os defendas, são a tua praia. Agora, vá, concentra-te na prancha de baixo e trabalha, morcão! Sempre a olhar para cima, Menos… ainda te cai cimento na testa, pá.

    • POIS! says:

      Pois…”chibar”???

      Aqui quem “chibou” foi a própria. E com um objetivo: propaganda.

      Aquela palhaçada da “cara disfarçada” é só show barato.

      Basta ver o pseudónimo: Ana Nunes. E como se chama? Ana Cardoso!… Colossal!

      Uma adivinha: qual é coisa qual é ela que tem cara de Ana Cardoso, braços de Ana Cardoso, pernas de Ana Cardoso, peitos de Ana Cardoso, costas de Ana Cardoso, ancas de Ana Cardoso e uma caravela no cú?

      Resposta: é a Ana Cardoso! A caravela era só para disfarçar!

      Sugiro, aliás, a Vosselência Salazarrasca que se deixe de comentários e parta rapidamente para lhe fazer companhia.

      Depois dê uma entrevista, exibindo uma caravela no cú a dizer que se chama JgMaisouMenos.

      Esteja descansado que a malta não “chiba”.

      Desde que Vosselência não volte.

  2. JgMenos says:

    Até se me foi o comentário…

    O que a cambada identifica como fascismo andou 13 anos em guerra dizendo a brancos e negros que lutassem por brancos e negros sem nunca invocar a raça e a todos chamando portugueses.
    Foi preciso vir um qualquer bardamerda de nem sei bem de que país da Africa para encabeçar a histeria dum racismo a requerer socorro e, óbviamente, verbas do orçamento.
    E os palhaços nem com isso se satisfazem!
    Entendem ter de reescrever-se a história e só lhes falta serem religiosos para decretarem penitências e novenas pelos pecados do colonialismo.

  3. Jorge Mauricio says:

    Sem qualquer duvida, nazi é mau.
    Sem qualquer duvida, tudo o que vem de Putin é mau.
    Portanto não vamos justificar a ação de invasão da Ucrânia por parte Putin só porque lá existem nazis.
    Que tal Putin preocupar-se em limpar a Russia de nazis. Se calhar entrava em auto limpeza.
    Portugal também tem nazis, como tantos outros países e isso não justifica qualquer invasão por parte de outros.
    Digo mais, quem melhor que nazis para combater nazis (russos).

    • João L Maio says:

      Nada justifica a invasão. Nada. Putin é fascista, amigo de gajos como Menos.

      Mas se vamos fazer jornalismo, façamo-lo segundo o que estudamos e não segundo o que o patrão nos diz para fazer.

      • Jorge Mauricio says:

        De jornalismo nada percebo, mas ao ouvir mais um recado, … deixo um desafio: venha de lá uma peça com o “mesmo sabor” só que com os ingredientes Putin, Russia, Estaline e afins.

        • João Mendes says:

          Está amplamente documentado. Ainda ontem passou um Toda a Verdade na SIC-N, dedicado à resistência russa que foi presa, fugiu um vive ameaçada. Existem peças jornalísticas, documentários, e milhares de notícias sobre o regime russo. Sobre os envenenamentos. Sobre a eliminação de adversários internos e externos. Sobre a vida de luxo do Putin. Sobre o financiamento da extrema-direita. Sobre a forma como a rede oligárquica governa o país como se fosse seu. O que é que ainda não se disse ou escreveu sobre Putin?

          E, mais importante: como é que se ignorou, durante tanto tempo, tudo aquilo que há muito sabíamos sobre Putin? Essa é que é a pergunta que devíamos estar a fazer. E seguir o rasto do dinheiro, que a extrema-direita não foi a única coisa que Putin comprou.

          • Paulo Marques says:

            E porque é que achamos que eram os nossos valores fazer a economia depender dos Putin, Bin Salman, Xi, e tanta gente e/ou regimes do ora bem, ora mal? Essa é que era essa, mas não dá tanto jeito como afirmar que estivemos sempre em guerra com a Eurásia.

      • Zumba says:

        Nada justifica a invasão?
        Os 14.00 ucranianos mortos no Donbass desde 2014, pelo simples crime de näo quererem ser governados por neonazis, discordam… ou discordariam, se näo tivessem sido assassinados pelos neonazis ucranianos pelo superior crime de serem “pró-russos”…

        O problema foi ter de ser o facínora do Putin a acabar com a matança, já que as democracias deixaram andar. É esse o problema.

        O mundo näo começou a 24/02/22.
        A invasäo poderia ter sido evitada. Näo percebo é porque é que durante 8 anos ningou ligou ao sofrimento dos ucranianos do Donbass…

        • JgMenos says:

          E morreram desarmados ou a lutar com armamento russo, matando ucranianos e alvejando aviões com mísseis?
          E o problema colonial resolve-se dando o poder aos colonos?
          Pró lado dos orfãos soviéticos tudo são tadinhos…

          • Zumba says:

            Nah, só tu mesmo é que és tadinho…

            … ou nem isso, que para se ser tadinho há que ter mulher, em primeiro lugar!

        • Paulo Marques says:

          Tendo em conta que continuam a morrer, pelos dois lados, não parece que tenha resolvido alguma coisa. Nem outra coisa seria de esperar dos dois lados (com ou sem fantoches).

  4. JgMenos says:

    E se na Ucrânia se destroem cidades e aldeias e se mata gente a eito, em nome de um império – que tanto o é com czares, com comunistas ou falsas democracias – toda a preocupação é identificar e propagandear que entre os seus opositores haja nazis, fascistas, racista e o mais que no linguajar da canalha esquerdalha legitima a reverência ao império.

    • João L Maio says:

      Caraças, Menos… um gajo tenta não te chamar nazi, mas tu és tão ávido a defender nazis que assim fica difícil, porra!

      Um gajo escreve um texto a dizer “sim, CNN, mas a gaja é nazi” e tu espumas-te assim? Fica difícil não assumir que gostas de Adolfos, uma vez que já sabemos que por Botas és apaixonado.

      • JgMenos says:

        Começa por definir nazi, treteiro!

        Imbecis que não constroem um argumento sem as muletas do nazismo. do fascismo. do racismo, do Botas, dos super-ricos, da igualdade, dos tadinhos, da igualdade de uma multidão de géneros – tudo palavras-chave para serem reconhecidos como membros da cambada esquerdalha.

        • Paulo Marques says:

          Tens muitas entrevistas anteriores a 2022 onde explicam porque têm as tatuagens que têm, é ires ver. Queres ajuda com o Google, ó info-excluído?

        • Joana Quelhas says:

          O Maio ao chamar Putin de fascista não está assim tão errado como isso, mas ele próprio não sabe porquê. Passo a transcrever um trecho de um reconhecido intelectual que dispensa apresentações para o explicar :

          Cit:
          “Em relação às suposições fundamentais, a semelhança entre os múltiplos movimentos totalitários e a esquerda democrática foi abertamente reconhecida pelos próprios líderes da esquerda dos países democráticos.

          O que distinguia os movimentos fascistas, em geral, dos movimentos comunistas era o fato de os comunistas estarem oficialmente comprometidos com a apropriação governamental dos meios de produção,
          enquanto os fascistas permitiam a manutenção da propriedade privada dos meios de produção desde que o governo direcionasse as decisões dos proprietários e limitasse os índices de lucro que esses proprietários poderiam receber. Eram ambos os sistemas totalitários,
          embora os comunistas fossem oficialmente internacionalistas, ao passo que os fascistas se diziam nacionalistas. No entanto, a proclamada política de Stalin de ” socialismo em uma nação ” não era muito diferente
          da proclamada política do nacional socialismo dos fascistas .
          Quando chegamos aos aspectos práticos, as semelhanças são ainda maiores.

          Durante a década de 1920, num momento em que Mussolini era totalmente idolatrado por muitos intelectuais das democracias uma época em que mesmo Hitler angariava admiradores entre proeminentes intelectuais de esquerda. Foi somente após o desenrolar dos acontecimentos, durante a década de 1930, com a invasão da Etiópia por Mussolini e o violento antissemitismo de Hitler na Alemanha, além de suas agressões militares contra países vizinhos, que eles se tornaram párias internacionais. A partir daí seus sistemas totalitários foram repudiados pela esquerda e retratados
          como sendo ” de direita” ” .
          fim citação.

          Joana

        • João L Maio says:

          2022 e o Menos ainda precisa da definição de nazi. Diz que é tão parecido com eles que não os reconhece, porque nunca se vê ao espelho.

          Vaquinha para ajudar o Menos.

          • JgMenos says:

            Militante da ignorância!
            Treteiro de palavras-chave!

          • POIS! says:

            Pois…isto de insultos do Menos, pelo Menos, está a subir de nível!

            Vamos tentar…

            Trombeteiro salazaresco!

            Militante da ganância!

            Pandereiteiro do (4º) Pastorinho!

            Panfleteiro coloniarrasca!

            Tratante da quiromancia!

    • João L Maio says:

      Mas és amigo da Ana ou assim? Esposo? És o irmão da Ana… só pode. Ficaste mesmo tocado por terem desmascarado a rapariga… o que dói, homem? Namorado da Ana? Menos… se forem saudades, junta-te à moça!

    • POIS! says:

      Pois vejamos…

      “se destroem cidades e aldeias e se mata gente a eito, em nome de um império”…

      “que tanto o é com czares, com comunistas ou falsas democracias”…

      Muito bem! Plenamente de acordo!

      Andou-se durante mais de dez anos a destruir aldeias, a matar gente a eito em nome de um império impingido por uma falsa democracia!

      Assim é que é falar, ó Menos!

      Maldita Guerra Colonial! Maldito regime salazaresco!

      • JgMenos says:

        Oportunismo bacoco é a tua praia; junta-se-lhe uma ignorância magistral e o serviço permanente à imbecilidade esquerdalha.

        • POIS! says:

          Pois agora…

          Que tinha, finalmente, encontrado um ponto em comum com Vosselência…

          É frustrante!

          PS. Adoro quando Vosselência “afina”.

          É sinal que foi “na mouche”!

          • POIS! says:

            E acrescenta-se, em homenagem a Vosselência::

            Oportunismo bacoco é a tua praia; junta-se-lhe uma ignorância magistral e o serviço permanente à imbecilidade direitralha.

  5. JgMenos says:

    Esta cena do Aventar até pode parecer o twiter que não frequento!
    Escrevi 3 comentários seguidos e quando os vi já vinham com ‘não gosto’ em abundância e respostas com uns tantos ‘gosto’ !

    • João L Maio says:

      Menos, só agora é que te apercebeste que as pessoas não gostam de ti e da tua verborreia? Nem 1+1 sabes juntar!

    • Paulo Marques says:

      O fascismo é impopular, o povo não preta. Troca de país, pá.

  6. Paulo Marques says:

    E quando voltarem para continuar a política de combate à Grande Substituição, trieinadinhos e com contactos de financiamento internacionais, vai ficar tudo chocado como é que pode haver tiroteios na Eurolândia. Bem, quase todos, o nazi vai bater palminhas.

  7. João Cabral says:

    Este João L. Maio passou ao lado de uma grande carreira. Dava um bom informador da PIDE. Ou da Stasi, se fosse alemão. Mas nasceu na era errada e o sofazinho é a sua praia. Cada um é para o que nasce.

    • João L Maio says:

      Sim. Não curto nazis, desculpa lá por isso. Hei-de denúnciá-los a todos, enquanto puder. Amedrontado por isso…?

      • João Cabral says:

        Vê nazis em todo o lado este tipo. Como se costuma dizer, talvez também seja um, é o habitual. Mas nunca lhe deve ter ocorrido isso, coitado.

        • João L Maio says:

          Ó diabo… tu preocupado com a defesa de nazos e eu é que sou um… a isso chama-se identificação projectiva!

  8. Pimba! says:

    Espero a sua desnazificaçäo célere, assim como a de todos os seus restantes colegas…

    • Valente says:

      Y a-t-il vraiment des personnes parmi les Portugais qui partagent l’idéologie fasciste ? Elle est dans la division des fascistes et des nationalistes.

      • Pimba! says:

        Mais oui, bien sûr, il y a des imbéciles partout, même au Portugal!
        Des nostalgiques du régime fasciste détruit il y a près de 50 ans.
        Heureusement, ces idiots ne sont pas nombreux…

        Il n’y a pas de vraie division entre fascistes et nationalistes, du moins au Portugal.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.