Os portistas, esses bárbaros

Estádio do Jamor, Maio de 1994. O FC do Porto acaba de vencer a Finalíssima da Taça de Portugal por 2-1. Quando se preparavam para subir à tribuna para receber a Taça, os jogadores do FC do Porto, com o capitão João Pinto à frente, são bombardeados por centenas de garrafas e de pedras, vindas da bancada central. A Ministra da Educação, Manuela Ferreira Leite, que iria entregar o troféu, fala de um espectáculo deplorável.
Durante largos minutos, perante um corpo de segurança imóvel, os portistas esperaram que a situação acalmasse. Os ataques pareciam ter amainado, mas regressaram em força durante a subida da escadaria e já na Tribuna. Foram minutos de enorme tensão: com a Taça na mão, tentando ergue-la no ar, os jogadores do FC do Porto são de novo bombardeados com pedras e garrafas. Defendem-se como podem, utilizando o troféu como escudo. Há muitos atingidos e a Ministra só não o é porque o Presidente da Federação se coloca à sua frente. Ainda haveria uma terceira vaga da carga sportinguista, quando os dragões desciam com a Taça na mão, em direcção ao relvado, para festejar com os seus adeptos.
Nesse dia, o Estádio do Jamor viveu um dos mais lamentáveis episódios da sua história. Nesse dia, centenas de energúmenos sportinguistas estragaram aquela que podia ter sido mais uma bela festa de Final da Taça de Portugal.

Veredicto de Daniel Oliveira: Os portistas são uns bárbaros. [Read more…]