Evocação dos 550 anos da morte do Infante D. Henrique

Com a deslocada palavra “Comemorações”, a cidade de Lagos evoca hoje os 550 anos da morte do Infante D. Henrique, ocorrida na  “sua” Vila de Sagres. No dia seguinte, 14 de Novembro, o Infante foi sepultado em Lagos, donde foi posteriormente transladado para o Mosteiro da Batalha.

A ação, vida, feitos, personalidade, aspecto físico, mito, etc., do Infante prestam-se a inúmeras interpretações, especulações, análises e debates raramente concordantes entre si, assunto que deixo para os historiadores e para quem ao estudo da vida desta personagem da história mundial se dedique. Mas acho que Henrique, O Navegador de cognome, não merecia (presumo que a ele se dirija) uma representação tão estereotipada, rudimentar, ignorante e superficial como esta imagem da página inicial do Google que hoje atravessa o mundo e mete papagaios, bandeiras com ossos e caveiras, trajes de filibusteiro. Não estivesse o “pergaminho” enrolado até alturas do joelho da personagem e seria visível também uma perna de pau.

Adenda: a data, a rosa dos ventos e o tom geral da representação fizeram-me incorrer no erro de pensar que a imagem era dedicada à evocação do Infante (erro meu, má fortuna, precipitação, não confirmação das fontes). Um comentário do Hélder Gerreiro “O logo usado pela Google destina-se a assinalar o 160º Aniversário de Robert Louis Stevenson.” vem esclarecer o assunto e fazer-me engolir as palavras que apontei ao Google e aos autores da imagem.

Assim sendo, reposta a verdade, apresentadas as desculpas e agradecendo ao Hélder, resta-me salientar a data que hoje em Lagos se evoca.