Se uma greve incomoda muita gente, a mentira incomoda-me muito mais

einstein greve

O horror, o drama, a alta traição: ai valha-me deus que os professores querem fazer uma greve às avaliações e aos exames, minha nossa senhora que prejudicam os alunos.

Começou a narrativaMaria de Lurdes Rodrigues, vendo a herança da sua obra ameaçada, deu o mote, Crato desenvolveu, o estudante Seufert e outros acólitos ajudam, a mentira a ser bombardeada.

Prejudica os alunos, o tanas. Uma greve a avaliações atrasa a saída das pautas, e quanto muito as matrículas. Uma greve a um dia de exames apenas levará ao seu adiamento (e a mais uns dias para estudar).

A sua única consequência é a de adiar uma partida para férias. Em tempos isso prejudicava a hotelaria, bons tempos, comparando com o não pagamento do subsídio de férias em Junho nem se nota. É capaz de prejudicar a indústria turística nalguns destinos exóticos, embora duvide que quem ainda tem posses para tal tenha as crianças numa escola pública, nada de misturas com quem cheira a pobre.

Mas sem dúvida que uma greve mais a sério, por ser quase inédita e levar com uma requisição civil em cima,  causa sobressaltos a quem precisa de os ter. A velha greve a um dia de aulas sabia-lhes tão bem, sempre corta nas despesas do ministério, que algum alvoroço até lhes mete medo.