Quem estiver sem pecado lhe atire a primeira pedra

Imagem

Sempre fui curioso e aberto à mudança. Daí que tenha chegado a Mafra, à Escola Prática de Infantaria, razoavelmente politizado. Estávamos em 1973 e acontecia uma das mais estranhas incorporações do velho regime, aquela que levou ao COM (curso de oficiais milicianos) uma turba multa de trintões, alguns que já eram figuras públicas.

Para mim, um anónimo trabalhador-estudante de Letras, era o passo seguinte de quem sabia também que a melhor forma de “levar” a tropa era passar despercebido, “arranhar” apenas o essencial e esperar que a sorte não me enviasse para um buraco muito crítico. Sim, porque o Ultramar estava-me definitivamente aplicado, ou não estivesse “referenciado” (sem honra nem glória, já que nada fizera a não ser frequentar alguns lugares menos recomendáveis para o regime e ouvir algumas vozes da mudança que se desejava) por um daqueles informadores da polícia política, no caso o porteiro da faculdade, meu “amigo” do peito, nascido em aldeia vizinha, companheiro de copos e tertúlias. Ingenuidades! [Read more…]

O colaboracionista Marques Júnior não percebe a ausência da Associação 25 de Abril nas comemorações da Revolução

E eu não concebo a presença de um Capitão de Abril num Partido como o PS. Estamos quites!