Encontrado o guru de Jorge Jesus

Se havia dúvidas, ele aqui está: desvendado!

https://www.facebook.com/samuel.quedas/videos/10207887724371804/

Transcrições completas dos dois debates presidenciais Clinton-Trump

1.º debate: 26 Set. 2016
2.º debate: 10 Out. 2016

Habituados a vencer em nome da diferença e da integração

img_6528

A selecção nacional de parahóquei, campeã europeia em 2015, em Londres, foi à Bélgica, exemplarmente a Brasschaat, nos arredores de Antuérpia, e venceu a segunda Integration Cup, torneio desta feita organizado pelo KHC Dragons, uma equipa de referência no campeonato belga e que, nas últimas olimpíadas, cedeu seis atletas à sua selecção que, como se sabe, foi medalha de prata no Rio de Janeiro.

Os portugueses, como se esperava, puxaram dos galões, e venceram com distinção uma prova difícil, mas em que o orgulho nacional e o pundonor estiveram presentes desde o início até à festa de consagração. Começando com um simpático 2-0 sobre a Espanha, a nossa selecção gémea, o grupo liderado por Hugo Santos e Pedro Ávila img_6545impôs-se de seguida à Bélgica por 10-0. Seguiu-se a Itália, uma equipa muito física, muitas vezes para além do aceitável, e o empate a duas bolas abria de par em par as portas da final ao conjunto luso. [Read more…]

A vitória da humildade e da abnegação

rui vinhas

As palavras menos simpáticas de Marco Chagas, comentador de ciclismo da RTP, para Gustavo Veloso, no final da Volta a Portugal em bicicleta, fazem-me recuar até 1981. Porque Marco Chagas sabe do que fala!

Tal como o galego, o homem de Pontével era unanimemente considerado o mais forte do pelotão, fruto de experiência no estrangeiro, Volta a França incluída. E também ele era o grande favorito a vencer, nesse ano, a Volta a Portugal, também ele era o chefe de fila da equipa de ponta do FC Porto, que já, por essa altura, dominava o pelotão.

Uma circunstância de corrida, daquelas que acontecem raramente, Manuel Zeferino viu-se com mais de 10 minutos de avanço, na frente (a seguir ao prólogo que Belmiro Silva, também do FCP, venceu), vestiu a camisola amarela em Vila Real de Santo António e não haveria de a despir mais até final. [Read more…]

Respect! Nós somos os improváveis

portugalhoquei.artigo

Confesso que todas as conquistas portuguesas me enchem de orgulho, sejam elas no desporto, na ciência, na cultura, na literatura, nas artes. Em todos os campos. Embandeirei em arco com as conquistas do futebol, desporto-indústria de milhões; como do atletismo e do hóquei em patins, desporto de milhares; como das artes marciais, desporto de tostões; como do desporto adaptado e as dezenas de medalhas de Lenine Cunha, desporto sem soldo.
Adoro destruir bestas negras, nem que seja à custa de ridicularizar bestas-quadradas. No futebol, foi a França; no hóquei em patins, a Espanha e a Itália, ambas despachadas, a seu tempo, com chapa seis. [Read more…]

Zangam-se as comadres

Algo está a mudar, ou escapa-me alguma coisa?!

http://www.novojornal.co.ao/artigo/63167/marcolino-moco-ha-mortos-nos-hospitais-os-cadaveres-nao-cabem-nas-morgues-e-ela-isabel-dos-santos-abre-grandes-centros-comerciais

Sic transit…

Já não há livrarias como antigamente

Bem-vindos a Espinho e ao hóquei!

eurohockey2

A Nave Polivalente de Espinho vai receber hoje, amanhã e domingo, o Indoor Championship II, organizado pela Federação Europeia de Hóquei, que privilegiou mais uma vez Portugal ao nível de Organização de excelência.

Portugal, que conquistou em rinque, há dois anos, a prerrogativa de participar nesta Divisão, vai, agora e por um lado, defender a sua posição neste escalão, e, por outro, estará atento às hipóteses que a prova vier a conceder-lhe em termos de poder sonhar com a subida à Divisão “A”. [Read more…]

Viva o “status quo”

Eduardo Barroso trava nomeação e pressiona ministro a retirar convite

Milagre?

http://www.noticiasaominuto.com/pais/515326/homem-encontrado-morto-em-basilica-do-santuario-de-fatima

Porquê, João, tão cedo?!

Confesso que já devia estar vacinado para o inexorável da partida definitiva: cedo, demasiado cedo, vi partir pais, quando ainda nem me apercebera da falta que eles haveriam de fazer-me, era miúdo; amigos, quando tanta coisa havia para viver em comum; amores, quando é injusto ver partir a luz das nossas almas; gente que fez de mim o que sou hoje, quando, só agora, me apercebo de quanto foram importantes para eu ser exactamente quem sou hoje.

Mas não estou! Continuo a conviver mal com esta cena de ver partir para o outro lado alguém que nos marcou. Sinto-me sempre um pouco despedaçado, bem lá no fundo das emoções, porque, de um dia para o outro, a cadeira ficará vazia. Inexoravelmente vazia. [Read more…]

Portugal a um jogo do purgatório ou do paraíso

QI8A9461

Portugal vai atacar a subida de divisão na sexta-feira, contra a Itália, vencedora do grupo B, depois de termos ficado em segundo no grupo A, atrás do País de Gales. Ou seja, podemos ficar confortáveis com o purgatório ou lutar pelo paraíso!

Capaz do muito bom, mas muitas vezes tentada pelo medíocre, já tivemos de quase tudo neste Europeu: o individualismo em vez do colectivo; as virtudes do colectivo, sublimadas pelas referências individuais; já nos passeámos em campo, na boa, como se fosse um passeio em cada um inventa uma brincadeira para se divertir sozinho; e já divertimos o público como equipa, como grupo, trocando a bola com mestria, rematando com estilo; já esportulámos golos fáceis e já fizemos golos de compêndio. [Read more…]

PORTUGAL À ESPERA DA SUBIDA DE DIVISÃO

EUROHOCKEYLISBON

Itália e Turquia, da série B, abrem o Campeonato da Europa – Championship III – que se realiza em Portugal, no Complexo do Jamor, de 19 a 25 do corrente. Portugal, que jogará a série A, defronta, na estreia, o País de Gales. Os jogos realizam-se, respectivamente, às 16h30 e 18h45.

A prova tem a segunda jornada marcada para terça-feira, 21, com os jogos: Suécia – País de Gales (16h30) e Bielorrússia – Itália (18h45). [Read more…]

A Mahler o que é de Mahler

IMG_20150427_092611

Eu sou do tempo em que o JN era uma escola de revisão. Conheci alguns profissionais desse jornal com quem fiz amizade, e habituei-me a respeitar a prosa lavada com que se apresentava. Hoje, continuo a lê-lo, diariamente, mais não seja, por esse respeito quase histórico.

Outros tempos vieram, e com eles, os correctores ortográficos, muito mais leves que a sala de revisão, cheia de fumo e silêncio. Mas impessoais e dados a erros, se mal utilizados ou se utilizados de forma distraída…

Duvido, aliás, que qualquer corrector permita, sem o rasurado a vermelho, que se confundam nomes imortais.

O caderno “etc.” de hoje traz uma entrevista com a fadista Aldina Duarte, à luz do seu mais recente trabalho discográfico.

Ficámos a saber que a fadista gosta de muitos géneros musicais e que, entre outros, não dispensa Gustav Mahler.

Fica-lhe bem!

Ao jornalista que a entrevistou é que fica mal a troca de Mahler por “Mhaler”. Não se trata de gralha fortuita no título. No corpo da entrevista, o plumitivo volta a trocar o nome. Não sendo uma gralha, é incompetência.

Gustav-Mahler-KohutComo serviço público, que gostamos de assumir, aqui fica a fotografia do músico e o seu nome correcto: Gustav Mahler, nascido na Boémia em 1860, faleceu num sanatório em Viena, no ano de 1911.

Se fosse vivo, Mahler teria, por certo, agarrado o jornalista do JN e, tal como Lopegui a Jorge Jesus, ter-lhe-ia dito: “Se voltas a trocar-me o nome, apanhas um murro”.

E seria um folhetim!

Serviço público

Portugal abateu, oficialmente, o seu primeiro avião. Não com laser, não com drones, não com maravilhas tecnológicas pós-modernas, mas com críticas e uns telefonemas que os portugueses não fizeram. Não criticaram a elegância de uma putativa auto-candidata a diva, apenas não subscreveram os pneus da dita. É bom que se escreva!

Claro que passar a informação é – e será sempre – serviço público. E entendo que o Aventar não poderia deixar de “blogar” a notícia, vindo ela de quem vem, a preclara Flash Vidas, do CM, jornal que me diz muito, ou não fosse um dos mais carismáticos próceres do lobby anti-FC Porto. Logo, tudo o que o CM escreve, até na Flash Vidas, é redentor. Sobretudo para uns tais 6 milhões, número mágico em que, no entanto, não me revejo. Ele há gajos para tudo, até rir-se de 6 milhões de bacanos que, todos os dias, rezam ao senhor Jesus da Luz, de apelido Vieira. [Read more…]

Lost in translation

josegomes2

O senhor Fontelas, Presidente da APAF, mais conhecido por José Gomes, tem um ar inteligente, que logo se adivinha, só de olhar. Mas não é muito afeito a traduções.

Eu ajudo: Lopetegui, em entevista ao Porto Canal, afirmou: “Os árbitros não vão ganhar ou perder campeonatos, e não o devem fazer, porque isso têm de fazer as equipas. O trabalho dos árbitros é equilibrar as coisas. Mas, naturalmente, vão acontecer erros, como os cometem treinadores e jogadores. Num campeonato, os erros devem equilibrar-se, por lógica. Só respondi a perguntas sobre erros que estavam tremendamente desproporcionados. Não de forma voluntária, mas estavam. E só respondi a perguntas que são factos, nada mais”.

Fontelas concluiu: “Tanto a Comissão de Inquérito como o Conselho de Disciplina devem atuar perante estas declarações, que são públicas. Para que este tipo de situações não aconteçam, terão que existir sanções pesadas”.

E concluiu: “Competência e incompetência existem em todas as atividades. A arbitragem não é exceção, mas não pode ser a arbitragem a causa do insucesso de cada um. Não vale a pena estar a atirar pedras e não se olhar para a própria casa primeiro”.

Com tanto tradutor desempregado, fazia bem à APAF contratar um, mesmo a meio-tempo.

E já agora, um consultor de imagem!

JOSE GOMES PRESIDENCIA DA APAF

Amélia, o jornalista e a Língua maltratada. Tudo à custa do BES

D. Amélia, tem aqui uma conta, digamos, jeitosa, não quer fazer um investimento, temos um produto que vai com a sua cara, chama-se BES Plus…

E a conta jeitosa, digamos, foi parar ao lixo.

—————————————————

Amélia está hoje em Portugal e ter-se-á dirigido à Sede do Novo Banco, na Rua Augusta, para reclamar o que diz ser seu, a poupança “desaparecida”.

O JN, versão CM, foi atrás dela e dos seus motivos, e entrevistou-a, entregando esse mister a Nuno Miguel Ropio.

Tanta publicidade faria prever uma cliente ajaezada, de voz límpida, que o dinheiro sempre faz brilhar. Nada disso, como adiante veremos. [Read more…]

A Zila e a Tânia, em nome do serviço público

agora

Ontem, as vedetas da imprensa eram os professores, reprovados à volta com os “á” e os “”. E eu acrescentaria, com provas, o “mandas-te” em vez de “mandaste” e quejandos erros da matreirice de quem construiu, assim, ao longo dos séculos, esta língua complicada, diz-se. Uma coisa para iniciados, umas aves raras que no Porto, em Braga ou em Bruxelas, vão lutando pela Língua, contra tudo e contra todos, até aqueles que produzem licenciados sob o signo do erro banal. Depois, queixam-se de acordos ortográficos, nesta realidade paridos.

Hoje, foi a (inefável) Zila! Sob o olhar complacente – de cândido – da Tânia, dita Ribas, de Oliveira. Televisão de serviço público, que se preze, deve chamar à luz todas aquelas que nos libertam de temores, receios, baixa auto-estima a afins, num prestidigitar de cartas, mudando de baralho se se trata do pai, da mãe, do cão, do gato, do namorado ou do emprego. E nos explicam que a mãe, coitada, tem aerofagia; o filho vai fazer um olho negro no próximo jogo de futebol; o namorado ainda não está maduro, vai demorar, mas há-de aparecer; a gata vai procriar; o pai, esse, é bom homem, mas, de vez em quando, “explude”. Quase esquecia esta: “Lá para os 40, há rebento novo. Prepare-se! É o terceiro, que o amor para si vai, finalmente, chegar por essa altura”. Claro que o diálogo não foi bem este, há uns animais de permeio que não entraram na história. Mas o sentido está lá… E eu, que até nem sou jornalista, posso dar-me ares de criativo, com alguma ficção à mistura!

Serviço público, está bom de ver! Oram “explodam” lá de vez. E vão vender cálcio porta-a-porta. Como a outra, a da concorrência.

Hóquei júnior manteve-se na Divisão “A”

s21

Portugal garantiu na Polónia o sexto lugar na Divisão “A” de hóquei indoor júnior e mantém-se entre os oito melhores da Europa. Isto é história numa modalidade onde falta tudo. Excepto valor, competência técnica e mérito. E continuo a perguntar-me, como tantos outros nas mais variadas faixas sociais: com condições ligeiramente melhores e mais justas, até onde poderíamos chegar?! [Read more…]

Polónia, o próximo desafio dos juniores portugueses

Vom Schiefen Turm zum Flˆflerdenkmal

Torun, a cidade do Norte da Polónia de 250 000 habitantes, na margem do rio Vístula, famosa por ser o berço de Nicolau Copérnico e pelo pão de gengibre, recebe, a partir da próxima sexta-feira, o Europeu Júnior de hóquei indoor, competição em que Portugal vai estar presente, depois de ter conquistado, há dois anos, o direito de participar na mais alta roda da modalidade, versão de Inverno em pavilhão.

Depois de um mini-estágio na Holanda, muito por influência de Bernardo Fernandes, o treinador português da equipa holandesa de Venlo, muito ligado à equipa técnica liderada por Mário Almeida, segue-se a viagem para a Polónia, que, por acaso, é logo o primeiro adversário da selecção portuguesa, sexta-feira, às 11h25.

Registe-se, aliás, que, na equipa do Venlose, jogam os ora seleccionados portugueses, Miguel Ralha e Tiago Ventosa.

torun pavilhaoSegue-se, pelas 16h50, o confronto com a Turquia, para, no sábado, os Linces subirem ao rinque, rumo ao último jogo da fase de grupos, contra a Rússia (11h30).

No completo plano de treinos e jogos amigáveis, Portugal já defrontou a equipa feminina do Venlo, a equipa júnior do Nijmegen e a equipa da 1.ª Divisão holandesa, o Venlo Heren. Amanhã, será a vez da fortíssima equipa polaca do Pomorzamin Torun. Quarta e quinta-feira, Portugal mede ainda forças contra a Áustria e Suíça, respectivamente.

A comitiva portuguesa, liderada pelo executivo José Manuel Nunes, contempla o seleccionador nacional, Mário Almeida, os treinadores Carlos Silva e Bruno Santos, Dr. Pinto de Sousa (médico) e Fernando Sobreiro (fisioterapeuta). Os seleccionados são: [Read more…]

cláusulas, empresários e yes men

Sporting Lisbon's Pereira looks at the referee after receiving a yellow card during their Europa League play-off soccer match against Brondby at Jose Alvalade stadium in Lisbon

Que João Pereira não é flor que se cheire, já todos sabíamos de ver, e muitos adversários o sentiram nas caneleiras, mais acima ou mais abaixo, em campo. A crer no que vem escrito por aí, exemplarmente na bíblia do desporto, o zero de jogos disputados que leva na presente época, afinal, não é tão inocente como a explicação de Nuno Espírito Santo para o facto: “O Valência tem dois laterais melhores que o João” (sic).

Parece, então, que os contornos são um pouco mais nebulosos. O treinador português dos espanhóis seguiu as ordens do Presidente do clube e baniu o “tuga” de todas as convocatórias. Tout court!

Com efeito, tendo João Pereira disputado 74 jogos, ao 75.º entraria em vigor uma cláusula automática de renovação do seu contrato por mais dois anos, o que os dirigentes valencianos não querem que aconteça.

Meandros à parte, Nuno Espírito Santo é, de há muito, um enfant gâté de Jorge Mendes o super-hiper-empresário dos futebóis por essa Europa fora. E todos sabem que Jorge Mendes é leonino na forma como gere os seus activos.

Então não é que o rapaz português roeu a corda ao todo-poderoso e assinou por Carlos Gonçalves, da Proeleven, com sede na Rua dos Fanqueiros em Lisboa, e que gere, por exemplo, as carreiras de Vilas-Boas, Marco Silva, Marcos Rojo, Wilson Eduardo, Josué e Daniel Carriço?

Se Marco Silva ainda não é treinador do FC Porto, diz-se, foi porque se recusou a mudar de empresário, exactamente de Carlos Gonçalves para Jorge Mendes. E Josué, na época em que Jorge Mendes reentrou em força no FC Porto, foi cirurgicamente emprestado.

jpPor isso, não será também ingénuo o que se diz: João Pereira está na mira do Barcelona, exactamente o clube rival dos maiores centros de interesse de Jorge Mendes em Espanha: Real Madrid e Valência.

Violência de ultras mata em Madrid

riazor

Riazor Blues

O futebol, sempre tão vergastado, deve assumir o papel do Estado ao banir das suas fileiras os ultras? E serão os ultras, de facto, uma realidade do futebol ou são meros arruaceiros do pior, que estão a servir-se do futebol para clamarem com mais audiência os seus ideais (“el club perseguirá a cualquier otro colectivo, peña o grupúsculo que pudiera surgir en el futuro bajo cualquier otro nombre, que no condene radicalmente la violencia o que utilice el nombre del Atlético de Madrid o sus instalaciones para defender ideas políticas, racistas o xenófobas”, lê-se no comunicado de hoje do Atlético de Madrid)? [Read more…]

Uma questão de vergonha

bosingwaNão, não se trata do famigerado AO90. Trata-se, liminarmente, de incompetência.

Quando não se consegue escrever direito o nome de alguém, estamos feitos. Se se trata da Federação e do nome de um atleta na camisola da selecção, ainda pior.

Por que raio haveria de caber a fava ao Bosingwa?! Tão arredado andou destas lides e, logo no regresso, pregam-lhe uma partida destas? Vá lá que, em campo, conseguiu mostrar quem é quem na direita da defensiva portuguesa.

Parafraseando uma publicação que corre, com sucesso, no Facebook, Só mesmo Jorge Jesus poderá explicar isto e o humorbbizarru.pt cá está para nos dar a conhecer a autoria…

Mário Almeida traça o rumo dos escalões jovens

sub213A Field Hockey Zone é uma comunidade espanhola das gentes do hóquei em campo e tem como director uma referência da modalidae no país vizinho, Marc Salinas. Na apresentação do site e da sua página no Facebook, Marc escreve que o projecto “se baseia na união de perfis heterogéneos, unidos por um amor incondicional ao nosso desporto” e “se esperas estar informado, ler opiniões de quem realmente sabe de hóquei e sobretudo disfrutar, partilhando experiências, asseguro que vais ficar connosco por muito tempo”. E acrescenta: “Sejas quem fores, venhas de onde vieres, e acredites naquilo em que acreditas, sente que esta página também é tua, porque é. E lembra-te: não te limites a observar, faz parte do projecto”. [Read more…]

Saia um piropo para a Mesa do Rato, que o Brilhante foi ao museu

brigada

Os romanos tinham um aforismo que não resisto a citar: “asinus asinum fricat”. Sem pretender insultar asininos ou políticos, quando li que o Professor Marcelo terá dito que António Costa era um dos seus alunos mais brilhantes, foi o que me disparou a memória. É que, por princípio, desconfio de “jotas” e de quem, na vida real, pouco ou nada mostrou no uso da sua formação académica. Marcelo, pelos vistos, gosta. É a ensiná-los, criticá-los ou a bajulá-los que ganha a vida.

Dir-me-ão: Ah! Mas António Costa exerceu advocacia. Dizem que começou a exercer, de facto, em 1988, numa altura em que já era deputado na Assembleia Municipal de Lisboa, com portas abertas, portanto, até porque fazia parte do Secretariado do PS. E, pelos vistos, três anos depois, já tinha abandonado por motivações políticas. Sim, a política (se vadia, tanto melhor) é bem mais saciável do que ler extensos códigos e ter que trabalhar para viver, fazendo alegações em juízo. Por alguma razão, um dos seus gurus, que também chegou a Primeiro-ministro, tenha começado a máscara de trabalhador, desenhando umas mal-amanhadas casas na Câmara da Guarda, como Agente Técnico, que era assim que se chamava na altura. [Read more…]

Estamos todos “***idos”

António José Seguro está rendido à sorte da chuva torrencial que inundou o castelo de Costa. António Costa sente-se pungido pelo temporal. O povo está esvaído em dívidas. E Manuel Alegre está quase ofendido com as propostas de Seguro para diminuir o número de deputados. O Governo está ressentido com quem esvaziou o Citius.

Entre rendidos, pungidos, esvaídos, ressentidos, e demais “***idos”, alguém há-de escapar.

Eu próprio, mesmo com pleonasmo, sinto-me, então, comedido. Abusar, abusei ao almoço: entre uma feijoada à transmontana, com um bagaço para compor, e o Manuel Alegre que me entrou pela casa dentro, aos gritos, ofendido (quase) num comício, só me faltava ouvir o Mário Soares a perorar contra a intempérie, que é culpa da Protecção Civil, que só a previu a destempo dos políticos em campanha eleitoral. Mas esse deve estará dormir a sesta, que é o que vou fazer, já a seguir.

A conta, por favor!

A justiça relativa dos erros

Portugal não conseguiu alcançar o desiderato de ficar em segundo lugar, posição que ainda poderia levá-lo à segunda ronda da Liga Mundial, feitas as contas pela Federação Internacional em reunião que terá lugar no dia 28 deste mês. É que, ao contrário da primeira edição da prova, ainda não se sabe quem avança, salvo os primeiros classificados, que garantiram já a acesso. No caso de Lousada, a Áustria é, assim, a única selecção com lugar marcado. [Read more…]

Até já, Itália

por

Portugal tem hoje o confronto final da Liga Mundial contra a Itália, que ontem foi goleada – 6-1 – pela Áustria. Falta saber se a exibição dos transalpinos não foi um disfarce, sabendo o treinador italiano que a equipa técnica nacional (Mário Almeida, Fernando Ribeiro e Marcos Ferreira) esmiúça até ao tutano os adversários em todas as situações de jogo e treino. Por isso, terá jogado, ontem, em ritmo de treino, precavendo-se para hoje, o jogo de todas as decisões. [Read more…]

Empate com água na boca

Ponto prévio: A Áustria, que ontem empatou Portugal na Liga Mundial, tem um estatuto de 21 lugares acima de Portugal no ranking internacional. Foi campeã europeia de indoor, destronando o grande dominador desta variante, a Alemanha, onde joga mais de meia equipa que ontem se exibiu em Lousada. Desses seis, três jogadores são titulares da equipa alemã que venceu a Liga Europeia de clubes na variante de campo, os restantes jogam noutras equipas da Bundesliga. Foi contra esse adversário que Portugal mais uma vez se superou, impondo-lhe o 1-1 final. [Read more…]

Liga Mundial de Hóquei começa hoje

Portugal, através da sua selecção sénior, inicia hoje a participação na primeira ronda da Liga Mundial. Recorde-se que, há dois anos, os Linces conseguiram mesmo a qualificação história para a segunda ronda.

Neste ano, contudo, essa expectativa pode ser bem diferente. Houve demasiados problemas, há uma preparação incompleta, houve desinteresse de alguns atletas, não houve respeito pela Federação e pela camisola nacional.

hoq

Quem o diz é seleccionador nacional, Mário Almeida, que, frontal e sem receios, analisou para a FPH o momento. [Read more…]