É possível governar com este nível de suspeita?

Como se recorda sempre que é preciso, o PS está no poder desde 1996 com um hiato de 2 anos e meio. Tudo o que Portugal hoje é tem o selo do PS ! Para o bem e para o mal!

 

Somos novamente o país mais pobre da União Europeia, o que não acontece de um ano para o outro, é fruto de um processo contínuo de empobrecimento.

 

Hoje temos uma dívida externa colossal, um déficite orçamental que alcança este ano os 8% e no ano que vem deve subir para os 9%, um desemprego que anda nos 9% e vários déficites estrututais na economia . É dificil fazer pior!

 

Quando para enfrentar este cenário, o mais necessário é ter agentes geradores de confiança, o que se verifica é que nunca houve tanta suspeita em relação ao poder económico e político. Isto é o resultado do poder absoluto do PS!

 

Temos um Primeiro Ministro que está há vários anos sob suspeita, em vários processos que correm na Justiça. Temos  magistrados colocados em lugares chave com conhecidas e íntimas relações com o PS,  alguns com processos de inquérito, como é o caso de Lopes da Mota.

 

Temos, agora, vários gestores de empresas públicas nomeados com a confiança do PS, envolvidos numa gigantesca rede de corrupção e tráfico de influências, o que indica que há conexões com membros do poder político em exercício, caso do Ministério das Obras Públicas.

 

O governo prepara-se para fazer toda a pressão no lançamento dos megaprojectos, que a verificar-se, será na vigência de quem está sujeito a este enorme nível de suspeição. Uma enorme soma de dinheiro será aplicada e gerida por estes interesses instalados que estão sob investigação.

 

O que pensar disto? Com é isto possível, quando as funções chave de regulação e controlo têm o comportamento conhecido e foram nomeados por quem está sujeito a investigações policiais?