Uma razão!

Há aqui uma pessoa que hoje me deu um pretexto para sair do Aventar. Há muito que o devia ter feito, mas não gosto de ser empurrado, perdi aqui gente de quem gosto muito, mas deixo para trás a missão cumprida.

O dono deste blogue, quando o Aventar era pequenino, pediu-me muitas vezes “para não o deixar mal” leia-se, estar sempre ao lado dele. Foi o que fiz! Éramos só os dois, ele era o “bombo da festa” nos blogues, travei muitas lutas que eram dele e não minhas, mas é claro que o futuro é ele, não é meu. Por isso me bati pelo Aventar,, nem sempre bem, mas bati-me! Tive aqui discussões  única e exclusivamente por causa dos professsores, mas espero que tenha ficado bem claro. Nessa como em todas as outras matérias, não deixo que limitem a minha opinião. Era o que faltava!

Peço desculpa aos aventadores que me viram passar os limites, ao nível de quem me atacava, mas é um registo que não é meu e não me faz feliz.

Estarei no Estrolabio onde os receberei com toda a amizade!

Sem rancores e “bad feelings”, até sempre!

Aeroporto – o que era verdade ontem…

Os impactos ambientais eram de tal ordem que deram num famoso e estridente “jamais”! Mas isso era quando os negócios apontavam à OTA. Agora, os impactos que se viam em Alcochete passaram para a OTA e sempre, mas sempre, apoiados em belos estudos que nos custam os olhos da cara. Vamos ter aeroporto mesmo que não seja necessário.

“O Estudo de impacte Ambiental do Novo Aeroporto de Lisboa, vem dizer que não haverá impactos significativos que possam comprometer os objectivos de conservação da Zona de Protecção Especial (ZPE) do Estuário do Tejo”.

Numa palavra, as aves raras, o sapal,o estuário, o aquífero (o maior da Ibéria), que impediam a construção do quer que fosse, afinal, não impedem nada, pode ter “algumas efeitos nos padrões comportamentais da comunidade avifaunística” embora para já sejam imprevisíveis.

Os estudos anteriores também achavam que na OTA não havia impactos nenhuns, foi preciso um piloto da TAP explicar em público que devido à configuração do terreno circundante, a aproximação e o levantar dos aviões se faziam pelo mesmo corredor aéreo, constituindo um perigo para a navegação.

Enquanto isso, os habitantes do ex-deserto estão muito contentes porque vão ter muito turismo e muito emprego, nada lhes importando o silêncio e a paz de que gozam e vão perder.

Os estudos (todos muito bem pagos e muito rigorosos) dizem o que o cliente precisa que digam, ontem na OTA, hoje em Alcochete, o resto é conversa de encher.

Fogos – uma pergunta incómoda!

A floresta propriedade das celuloses não arde! Porquê?

Porque aquelas empresas privadas têm uma politica para a floresta, desde o plantio, com acessos generosos, limpeza adequada, uma equipa privativa de bombeiros e de gestores da floresta, que limpam, vigiam…

O Estado não tem política nenhuma para a floresta, ano após ano, arde tudo, parece que é mais fácil deixar arder do que ter uma política preventiva de limpeza, rasgar acessos, vigiar, limpar. É melhor ou mais barato, deixar arder?

Há tanta gente no desemprego, tanta gente a receber subsídios, tanta gente presa, a troco de um vencimento a juntar ao subsídio não se impediria um prejuízo muito maior dando emprego a tanta gente?  Em articulação com os proprietários privados? Bem sei que as celuloses estão num negócio, a floresta é a matéria prima para as suas fábricas, pois então a gestão florestal Estatal é o que tem que fazer, desenvolver um cluster da floresta por forma a que a gestão da floresta seja uma actividade económica e não os fogos de todos os anos!

O Estado não faz nem deixa fazer! Até a cãmara do Porto não tem tempo para limpar a escarpa das Fontaínhas!

Ou se cria um cluster económico da floresta ou os fogos nunca se apagarão!

O cemitério do Freeport recomeça amanhã…

Com  índicios de corrupção, amanhã o Ministério Público tem que tomar uma decisão. Acusa ou arquiva!

Ao que sabemos (os faxes, o vídeo, as conversas sobre envelopes…) acrescentam-se os depósitos bancários em notas, muitos milhares de euros em várias contas de vários titulares, todos ligados ao processo. Em dinheiro, em notas, todos deram uma boa explicação, negócios, partilhas, mas a conclusão a que se chegou é que todos depositaram mais dinheiro nas respectivas contas que o que declararam às finanças.

Crime fiscal? Amanhã com a acusação, se a houver, vamos saber as bases da pronúncia, se a decisão for o arquivamento, vamos ter tudo eacarrapachado nos jornais. Bem sabemos que a prova em tribunal não se compadece com “intuições”, mas as notícias, vão ter títulos a “preceito”, deixar dúvidas no ar, e desenvolver o processo por muitos dias a tal ponto que quando se chegar ao fim, cada um de nós vai ficar com uma “impressão”.

Agora uma coisa é certa, um cemitério tem muito menos vida que um freeshop, apoquenta muito menos as avezinhas , e não atormenta os sapais e, no entanto, foi chumbado.

Até os mortos se viraram com aquela aprovação!

Sondagens leva-as o vento…

Cavaco Silva com quase 60% de intenções de voto e 80% de pessoas que acreditam na sua reeleição mesmo que não votem nele, é desde já vencedor nas presidenciais.

Manuel Alegre muito longe e não fazendo o pleno do PS. Fernando Nobre fica-se pelos 12%. Os dados estão lançados. E para que isto se mantenha assim, Cavaco não mexe um dedo para ajudar o país a sair da situação. O mesmo se diga de Passos Coelho e de Sócrates. Um não sai, o outro não quer entrar.

PSD com 40% à beira da maioria, o PS com 34%, o PCP com 10%, BE com 8% e CDS com 5%, temos uma empate técnico entre a esquerda e a direita. Bonito serviço, só faltava isso, um país numa crise destas e não haver saída política. É o que acontece aos incompetentes!

É muito possível, se Passos não deixar que se enraíze a ideia que possa vir a mexer no Estado Social, que o descontentamento seja uma drenagem de votos do PS para o PSD, o pior está para vir, como a subida do desemprego é sinal.

Passos Coelho muito perto de ser o próximo primeiro ministro!

Dia da pátria Galega – grande manifestação em Compostela!

Muitos milhares de pessoas em manifestação de rua, exigindo “A Nação Galega

No dia nacional da Galiza, o estrolabio saúda os irmãos Galegos – Viva a Galiza livre e independente!

PS: Adiro pessoalmente à saudação, pois não sei o  sentir dos meus companheiros do Aventar.

A CGD "esquemática"!

Havia um esquema fraudulento do conhecimento de dois vice-governadores que envolvia 800 contas fícticias, com a participação de empresários e clientes, com vista a conceder créditos para a aquisição de acções da REN, da Galp e da Martifer. Agora andam a empurrar responsabilidades para a cadeia hierárquica, directores e responsáveis de agência. Produto de investigação da CMVM.

A mesma CGD que  ajudou  o Governo a entrar no BCP, que fez os negócios “Finos” para influenciar o quadro accionista da Cimpor, emprestando dinheiro com garantia das próprias acções e garantindo os prejuízos se os houvesse, como houve em menos-valias em bolsa.

A CGD que deveria apoiar as PMEs, concedendo empréstimos favoráveis a quem produz e exporta, e participar com capital de risco para criar e desenvolver novas empresas, anda nisto, nos esquemas dos negócios de casino.

FutAventar – a águia perdeu as asas..

Não tem asas , nem à direita nem à esquerda, e os Franceses já sabiam disso. Uma multidão à frente da baliza, uns a defender e outros a atacar.

Quem também não tem asas, é o guarda redes, o Roberto, há ali alguma coisa que não se entende, ele não sabe jogar com aquele buraco nas costas da defesa, mas é assim que as equipas que jogam para ganhar defendem, subidas, o guarda redes tem que ser uma espécie de terceiro central, saber quando sair é fundamental. O golo que sofreu é quase rídiculo, vai não vai, ficou a meio…

Os jogadores novos são bons de bola mas não são como o Angelito, e isso vê-se, o Jesus vai ter que mudar muita coisa.

O Queiroz vai passar a jogar ao ataque?

https://i1.wp.com/dn.sapo.pt/storage/ng1321980.jpg?resize=420%2C200As últimas palavras que se conhecem do Secretário de Estado, confirmando a gravidade dos factos ocorridos na Covilhã e do próprio Ministro Adjunto, confirmam que o governo já deixou cair o ainda seleccionador.

Tal como diz o nosso leitor Xico da Amora, se a equipa das Quinas tivesse tido ums boa prestação, talvez as coisas fossem diferentes, mas não foram e aquela maneira de jogar para perder por um a zero, não deixa ninguem satisfeito. Quem tem medo morre mais que uma vez, é o que está a acontecer a Queiroz, que coloca as suas equipas a jogarem sem ambição, sem beleza, e com decisões incompreensíveis, como as que se referem a Pepe, a Nani, a Deco, a Ricardo Rocha…

Agora vamos ter uma guerra jurídica, com a Federação a querer despedi-lo por justa causa ( motivo atendível?) e o Queiroz a querer levar uns milhões para casa. Quem é que não gostava de Scolari? Bem podemos dizer que as circunstâncias são outras, que uma geração de jogadores está a chegar ao fim, mas a este nível o que conta são os resultados, veja-se a razia que está a acontecer em várias selecções.

Por mim, sinceramente, não tenho pena nenhuma. Antes ter uma equipa orgulhosa a jogar bem, o jogo pelo jogo, que jogar medíocre, sem ambição e perder.

Biblioteca Digital Mundial

Com apoio da Unesco, pode encontrá-la em www.wdl.org e saber mais no estrolabio.

Seleccionador de futebol vai à vida!

Há um inquérito a Queiroz que foi aberto após um relatório médico feito sobre a selecção, ainda quando estava na Covilhã. Os médicos foram fazer exames e pelo que se sabe são especialistas ligados  ao “doping”(Instituto Nacional do desporto)

O que agora veio a lume é que houve uma bronca das antigas entre Queiroz e esses médicos, no Centro de Estágio na Covilhã. Pouco mais se sabe, mas a Federação abriu um inquérito a partir desse relatório e o Secretário de Estado dos desportos já veio dizer que o que o relatório diz é suficientemente grave para que a Federação tenha aberto o inquérito.

Dito de outra dorma, o governo já deixou cair o selecionador e a Federação também (matéria extremamente delicada) , pois de outra forma tudo isto já teria vindo a público, e não teria sido abafado este tempo todo.

Quel é a indemnização a que Queiroz tem direito?

Julgados de Paz – Justiça célere e barata

Até ao final de 2009 os 23 Julgados de Paz resolveram 31 823 processos, isto num país onde a Justiça tem atrasados 1,2 milhões de processos.

Para os fragilizar chamam-lhes “tribunais de condomínio” mas a verdade é que são muito mais do que isso, o termo depreciativo encobre o desejo que poucos o utilizem, porque são acessiveis, razoáveis e rápidos e o valor do processo ronda os 70 euros.

O processo em média não ultrapassa os dois meses, há um envolvimento efectivo do tribunal na resolução do problema e dos mais de 30 000 processos entrados ao longo destes oito anos, apenas em 0,01% foi apresentado recurso de decisões. Em 80% dos casos as partes estão representadas por advogado, mas os tribunais judiciais  comuns não remetem processos, o que poderia contribuir para aliviar aqueles tribunais da sobrecarga a que estão sujeitos.

Os próprios advogados ainda estão pouco abertos a esta solução alternativa para resolução dos litígios dos seus constituintes, uns por desconhecimento da capacidade e da eficácia dos Julgados de Paz, outros por desconfiança, e ainda outros por estratégia.

A carga ideológica da constituição

Tal qual todas as outras esta constituição deve ser revista adequando-a aos tempos presentes. Retirando-lhe carga ideológica que não serve para nada, como se vê ao fim destes vinte anos, em que governados por um partido que se diz socialista e por outro que se diz social-democrata, temos um país mais pobre e mais desigual.

Se um partido ganha as eleições com um programa claro junto dos portugueses e não quer “caminhar para o socialismo”, nem considera adequado que o estado promova a saúde junto de todos os portugueses, só como exemplo, como se resolve a contradição?  Manda a constituição ou o programa sufragado em eleições livres?

Nos países sociais democratas do centro e norte da Europa (os tais onde se vive melhor) quando chegaram à situação a que nós chegamos, com um Estado enorme e vazio, gastador e abafador da iniciativa privada que cria riqueza, não discutiram o fim do Estado Social, discutiram a forma de o manter. E a forma de manter o Estado Social ( a maior conquista de sempre na esfera social) foi libertar a sociedade civil, fortalecer o empreendorismo, apoiar quem tem ideias e determinação.

Não usam o banco nacional (Caixa Geral de Depósitos) para a economia de casino (conforme notícia de hoje e que vem confirmar o que já se sabia) para controlar empresas e bancos privados, nem  usam “golden shares” para meter lá boys e girls, bem pelo contrário, apoiam as empresas inovadoras, de tecnologia, investigadores, pequenas e médias empresas que asseguram o essencial das exportações, do emprego e do PIB.

São os países sociais- democratas europeus onde se vive com níveis muito mais elevados do que nos pobres países onde a discussão se resume a ter um Estado que come 50% da riqueza ou, em alternativa, ter uma economia neoliberal, como se a social-democracia não esteja aí a dar lições de bem governar.

Não vale a pena agitar o papão dos “golpes de estado”. A democracia e o Estado de Direito são suficientemente fortes para garantir a defesa do Estado Social! Assim, na devida altura, não continuem a estar, militantemente, do lado errado da história!

O SAP de Valença perdeu em tribunal.

A Câmara meteu uma providência cautelar para impedir o fecho do SAP mas viu indeferido esse pedido pelo tribunal. Claro que após as manifestações de rua, houve um tempo de negociações, muita coisa melhorou, diz o autarca, que ainda não desistiu de ter um SAP aberto 24 horas/dia.

Após Valença, foram encerrados na região norte mais dois SAP Armamar (distrito de Viseu) e Vale de Cambra (distrito de Aveiro), num programa que promete fechar mais uma dezena,

O juiz foi de opinião que a existência de um SAP sem os meios necessários para atender as urgências e as emergências, só complica, estes casos devem estar referenciados a um local onde esses meios estejam presentes, assim se ganhando tempo que pode ser fundamental para a prestação atempada de cuidados médicos diferenciados.

Foram arvoradas as bandeiras da Galiza e da Espanha, nessas manifestações de rua, mas após estes meses com o SAP fechado é muito residual o número de pessoas que se dirigem aos vizinhos serviços de Tui.

Somos todos constitucionalistas…

Constituição Portuguesa de 23 de setembro de 1822

Em nome da Santíssima e indivisível Trindade

A Constituição impede o desenvolvimento do país! Mexer na Constituição é um golpe de estado!

E todos leram a Constituição, e todos arregimentam argumentos mil vezes repetidos, desde 1982 que vem aí um golpe de estado, está para chegar, se é que ainda não chegou…

Eu, que da Constituição só sei o que vou lendo por aí, fico pasmado com a opinião de certos políticos que mudaram de opinião como quem muda de camisa( são especialistas…) de constitucionalistas que não mudam de opinião como se a Constituição não tenha que se moldar aos novos tempos, (uns são pais, outros são mães, acham-na tão perfeitinha que não deve ser mexida…) e a maioria está à espera de ouvir a opinião oficial do partido!

A mudança que mais atemoriza é a do “despedimento”, choca-me, eu que andei nas empresas e tive que despedir centenas de pessoas, para salvar os postos de trabalho de outras centenas, se não fosse assim fechava-se a porta e andou, que os accionistas até eram dos States, fico estarrecido quando há pessoas que acham que é a constituição que impede o despedimento arbitrário, que eu nunca fiz, mas que é feito todos os dias.

Há os contratos a termo certo, por tarefa, por recibos verdes, tudo com esta constituição, não muda nada para os trabalhadores, para os sindicalistas talvez, mas para quem trabalha a garantia que passa a ter é a mesma que já tem. Trabalhar numa empresa viável e cumprir! Acho que se devia avançar com a “flexisegurança” que tão bons resultados tem dado noutros países bem melhores e com melhores empregos e com mais  garantias.

Mas pronto isso sou eu que tive essa experiência várias vezes e que se calhar durmo mal com ela (embora seja um acto de gestão como outro qualquer) mas a verdade é que o país não pode ficar agarrado a um tempo que já não é este. Ainda hoje vi a notícia de vários investimentos ( tudo hóteis e campos de golfe) com o estado a “entrar” com 50% do investimento, estamos a pagar a constituição que temos, porque assim, o investimento bom não vem para cá, e os hóteis são uma prova disso, fábricas não há…

Obama – a visão de um líder!

Hoje no Público, Tereza de Sousa fala sobre Obama: ” o mais acertado é não perder a confiança nas extraordinárias qualidades do Presidente americano”!

A visão de um líder que é capaz de perceber o que é essencial e capaz de juntar as condições necessárias para mudar. O Sistema Nacional de Saúde, o gigantesco pacote de estímulos à Economia, a reforma do Sistema Financeiro que acaba de ser aprovado no Congresso e, a lei que obriga que, todas as empresas cuja actividade envolva petróleo, gás natural e extracção de minérios em qualquer parte do mundo, declarem quanto é que pagam aos respectivos países onde operam. Sem isso, estas empresas não terão acesso ao mercado de capitais americano.O Financial Times diz em editorial: ” Os EUA acendem uma luz”! É a corrupção de estado que está na mira de Obama!

“Uma das maiores e mais profundas redistribuições de riqueza da história dos Estados Unidos”, O neocom Charles Krauthammer, famosos colunista do washington Post, aconselhava os seus amigos e apaniguados a não subestimarem um Político que olha para o médio e longo prazo – as duas reformas mais emblemáticas de Obama, vão alterar a sociedade americana porventura numa dimensão só alcançada por Roosevelt ou Johnson.

Bem à sua maneira, Obama, tendo a seu lado, Jim, Leslie e Denise (três jovens em dificuldades) e dirigindo-se á Nação, perguntou se aqueles que autorizaram que milhões de dólares de impostos tivessem sido devolvidos aos mais ricos, não apoiavam agora  pessoas como aqueles três jovens, que realmente precisam de ser ajudados.

Obama vê longe, muito mais longe, que os seus congéneres europeus que nada mudam para que tudo fique na mesma!

Pedofilia no futebol francês – e vão a julgamento…

Já tinhamos falado neste assunto, Pedofilia no futebol francês, com reacções muito azedas por parte de alguns, mas a verdade é que passados três meses, dois dos jogadores vão mesmo a julgamento.

A advogada dos jogadores diz o óbvio, eles não sabiam, bastaria ela não se ter feito passar por adulta (dizia que tinha 20 anos) e nada teria acontecido, mas pelos vistos há provas que a prostituta tinha 17 anos e os jogadores vêm-se numa situação muito apertada.

O Ribéry, esse que está aí em cima com a mulher, um dos mais conhecidos jogadores franceses, nunca mais se vai ver livre desta notícia, a opinião pública é impediosa, e com a exposição que um jogador internacional tem, vale -lhe de pouco a verdade.

PSD – é bom poder optar…

Há quem diga que o PSD apresenta estas propostas encostadas muito à direita, para ter margem de negociação. Na altura de negociar o Orçamento, vai às trocas com o PS, dá cá esta alteração na Constituição que eu dou-te folga no Orçamento. Pode ser, até pode ser que esteja a tirar força ao povo, porque agora quem quer mudar de governo tem que ir para eleições, e se for  o Presidente a ter essa possibilidade, abre a porta aos arranjinhos de gabinete.

Mas no que diz respeito à Saúde, a coisa é mais séria, há muito quem não entenda que o que está em cima da mesa é a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde.E com um SNS a funcionar como até aqui, não tem futuro, há que salvá-lo. Como? Complementando-o com os privados. Dizem-me que isso seria aceitar uma saúde para os pobres e outra para os ricos. Já há! E sabem porquê? Porque o SNS não se aguenta sendo” universal e tendencialmente gratuíto”.

O que está verdadeiramente em equação é haver uma boa saúde gratuíta para quem não pode pagar, essa é que é a questão! Os ricos terão sempre uma boa prestação de cuidados de saúde, se não for aqui no país, é num sítio qualquer, têm dinheiro, vão onde é preciso, o Estado tem é que assegurar que os pobres sejam beneficiados com a prestação de bons cuidados de saúde. E, isso, só é possível, se o Estado tiver meios de equipamento, instalações e humanos do melhor. Não os poderá ter se continuar a querer prestar todos os cuidados médicos a toda a população.

Quanto à Educação, as escolas privadas não deixam de crescer, resultado da inexorável degradação da escola pública, que é pasto de lutas corporativas, experiências pedagógicas votadas ao fracasso e ao arrepio dos verdadeiros interesses dos alunos.É, bem melhor,que o estado tome a iniciativa de promover uma concorrência transparente e deixar as famílias optar.

Defender a escola pública e o Serviço Nacional de Saúde , bem como o Estado Providência, não é querer que o estado preste serviços universais que são impossíveis de prestar com qualidade é, antes, promover as medidas necessárias para que o Estado assegure os direitos conquistados, mas sem precisar de os prestar na sua totalidade..

Zangam-se os compadres…

As relações entre o Primeiro Ministro e o Dr. Mexia já tiveram melhores dias. Uma compra de tecnologia de muitos milhões a uma empresa estrangeira, sem contrapartidas para o cluster nacional, azedou o Engº Sócrates. E desta vez com razão. O Dr. Mexia anda em roda livre, investe milhões nos US e no Mar do Norte, nada lhe importando que o cluster que nasce em Viana do castelo, seja um pilar essencial da estratégia de modernização do país.

Acresce que esse dinheiro investido lá fora, faz falta cá dentro, e uma empresa pública monopolista que pratica preços superiores à média europeia, não pode utilizar o “cash flow” assim obtido fazendo de conta que não tem nada a ver com as políticas do governo. Até porque deve grande parte desse dinheiro ao facto de estar encostado ao governo e operar num mercado que não encontra em mais lado nenhum. Monopolista com preços ao consumidor mais caros e gozando da cobertura do Estado.

Eu gostava era de ver estes gestores armados em gestores internacionais, investir com o dinheiro deles, dos próprios, isso sim, seria caso para admirar. Aposto que telefonava primeiro ao primeiro ministro, não fosse o seu (dele) dinheiro desaparecer com o vento dos aerogeradores que compra lá fora sem cuidar do interesse nacional.

Mega agrupamentos / escola mais humana

Afinal na Finlândia e nos Estados Unidos  as escolas estão a percorrer o caminho contrário ao nosso. Escolas com maior autonomia, menos alunos e mais pequenas.

Na Finlândia a pequena dimensão é apontada como uma marca essencial dos resultados de excelência, bem como a proximidade, numa palavra, uma escola mais humana e dirigida à “personalização” Fixar um corpo docente qualificado, uma maior autonomia e a implementação de novos currículos.

Tambem na Inglaterra do conservador David Cameron, se aposta  nas escolas mais pequenas, mais bem qualificadas e com maior autonomia.

A grande dimensão permite poupar em custos directos, como centralizar funções administrativas, mas os custos futuros, com alunos mal preparados, são bem maiores, esta é a conclusão a que chegaram estes países que já passaram pelo caminho que estamos a percorrer agora.

Outra questão curiosa, é que os alunos não deverão andar mais de cinco kms, entre as suas casas e a escola, enquanto a concentração que se quer levar a efeito cá, poderá levar os alunos a deslocarem-se uma distância superior quatro vezes mais!

A verdade é que, quem manda na Educação, o Ministério e os Sindicatos, não está interessado em ter uma escola com estas características, retira “massa crítica” a quem exerce o poder, permite que os êxitos locais ganhem visibilidade.

Mais uma oportunidade perdida para a escola!

A ministra da cultura apoia a tauromaquia!

Eu já confessei que nunca entrei numa praça de touros, e tambem já disse que há actividades económicas e tradições que aconselham a não tomar decisões apressadas, mas não estava preparado para esta decisão da Ministra.

Antes de tudo, porque parece ser a primeira decisão, ninguem sabe se temos ou não política cultural, há uns subsídios que se retiram e que depois se voltam a dar, mais do mesmo, a verba inscrita no Orçamento não se percebeu bem se cresceu ou se diminuiu, os apoios desapareceram numa primeira leva, ou não, tambem não estou certo, enfim, uma baralhada sem fim!

Gabriela Canavilhas, é uma muito meritória pianista e gestora cultural, deixou-se perder com a luz que emana da função ministerial, não acrescenta nada, como aliás, outras e outros colegas que se desaparecessem ninguem notava. Mas abriu uma secção na Comissão para a Cultura, a favor da tauromaquia, com representantes do estado, granadeiros, toureiros e, claro, com a falta de sempre, ninguem ouve os touros.

No outro dia foi falar à Assembleia da República e parece que chamou ao Jorge Luis Borges, José, o que numa ministra da cultura deu azo a que o Pacheco Pereira, lá  da última fila, a tenha corrigido, com um aparte estridente.

Tudo coisas escusadas se lhe oferecessem um piano!

PS: a bem da verdade. é linda!

Hustler, Playboy – a livre expressão!

Este homem que está aí em cima na foto numa cadeira de rodas chama-se Larry Flynt, e está assim há dezenas de anos, por se ter batido pela liberdade de expressão nos US, contra a extrema direita, o neonazismo, as seitas religiosas e o MacCartismo, que naqueles tempos perseguiam todos os que lutavam pela liberdade!

Vem isto a propósito das conversas que aqui tivemos acerca da revista Playboy e da capa manhosa que a versão portuguesa deu à luz. Estas revistas que vendem “maminhas ao léu” têm um passado heróico de luta a favor da liberdade de expressão, contra uma sociedade preconceituosa que queria impor a sua forma de estar, e que não hesitava em matar os que tinham a coragem de se oporem.

Larry Flynt foi um desses homens, com uma coragem espantosa, enfrentou as mais altas instâncias judiciais e políticas do país, bem como as mais tenebrosas forças da sociedade, sempre na convicção que eram os homens e as mulheres livres que tinham o direito de escolher. Viu amigos e familiares serem perseguidos, alguns mortos, ele próprio atirado para uma cadeira de rodas com um tiro que se lhe alojou na coluna, mas não desistiu, venceu os que queriam impor a sua visão à sociedade!

Quem diria que devemos, em grande parte, a liberdade de expressão que hoje gozamos nas sociedades ocidentais, à luta heróica de homens e mulheres que queriam ter o direito de escolher! Porque o que está em julgamento, é o direito de vender uma revista que apresenta mulheres nuas, e o direito de a comprar!

PT – até já!

Não querem vender mas pedem para que a Telefónica não retire a proposta! O que é isto?

Com uma maioria de accionistas a votarem a favor da venda e o Sócrates a agitar a “golden share” temos aqui uma confusão “à PS”. Na tal empresa onde o governo não manda, os accionistas maioritários e a administração fazem tudo para mostrar ao governo que este caminho não leva a lado nenhum. Só aos tribunais ou, antes disso, a uma OPA à própria PT!

Percebe-se que Sócrates só não quer sair da confusão chamuscado, já fez o número dele de defesa do interesse estratégico nacional, agora é só arranjar uma saída condigna, mas a Telefónica não está para fazer fretes ao Primeiro Ministro. Por isso, é muito divertido ver a administração da PT a querer ganhar tempo para não deixar fugir a oportunidade de vender e a Telefónica a apertar com o nosso José.

Quem manda o engenheiro técnico meter-se em engenharias de telecomunicações que não domina?

O teste do stress…

Começou por ser o “stress test” mas rapidamente passou a  teste do stress. Os bancos só agora descobriram que com a divulgação dos resultados do teste, vamos todos ficar a saber qual a exposição “às bolhas” e “às dívidas soberanas” de países como a Grécia, Portugal, Espanha, Itália…

Vai ser um corridinho aos depósitos, mas para levantar a massa, não para depositar, quem é que acredita em bancos que estão expostos a dívidas e a riscos que os podem mandar para a falência? Por causa de rumores, bem menos sólidos, já o BCP anda a fazer queixinhas ao PGR, os meninos não acreditam no banco…

Entretanto, nos United States, onde não se brinca em serviço, já passou no Senado uma proposta para regulamentação dos bancos, muito rigorosa, com toda as lições que esta crise trouxe, bem ao contrário da União Europeia onde se  faz de conta ” que não se passa nada”. A senhora  Merkel está  mais interessada em controlar os “PIGS” e os seus déficites do que relançar a economia.

Quem lhe diz que é muito mais perigoso cair em recessão económica do que ter uma inflacção descontrolada? E meias por meias ? Fazer crescer a economia e controlar num prazo mais longo?

Razões para ocupar o poder!

Cavaco Silva não toma medida nenhuma, deixa andar para não desagradar a ninguem. Tem uma razão para ocupar o poder. A reeleição!

José Sócrates, vê a novela do processo “Freeport” chegar ao fim, já não tem razões para ocupar o poder, pode ir embora, mas não há quem queira substituí-lo. Uma chatice de todo o tamanho!

Paulo Portas, vê os processos dos Submarinos e do Portucale aproximarem-se a grande velocidade, está  na altura de ocupar o poder, já mostrou a ansiedade, a proposta está aí. CDS para o poder com o PS , mas sem Sócrates! Vai ter que esperar ou convencer Passos que, como ainda não passou pelo poder, não tem razões para ter pressa, e a crise não acabou, para quê a pressa?

E o país? Haverá alguem com razões para ir para o governo para tratar do país?

O BCP é um rumor…

A anterior administração passou a pasta a alguem pouco provável, que logo que teve tempo lançou uma OPA sobre o Ulrich que ficou danado. Começaram a vir a lume rumores,a anterior administração a ser atacada por accionistas, sai não sai, saiu.

O Banco de Portugal já condenou uns quantos administradores a multas elevadíssimas por manipulação do mercado e prestação de informação falsa, e foram substituídos por gente ligada ao PS que transitou da Caixa Geral de Depósitos. Um dos antigos administradores vem dizer que basta seguir quem conseguiu grandes empréstimos na CGD e ver onde estão hoje, dinheiro e accionistas e, já agora, quem tomou certas posições e ver como foram recompensados.

Há acções criminais cruzadas, as acções do banco em bolsa caíram a pique, mas ninguem explica nada, um banco ser tomado por um governo em funções não significa nada, é natural e os clientes não devem tossir nem mugir. Todos temos um amigo que nos pergunta, é pá, sabes alguma coisa ? tiro a massa?

Só o BCP é que ficou muito admirado por haver estas dúvidas todas no mercado, se não sabe que há rumores é incompetência, se sabe e não faz nada é a ver se passa pelo meio da chuva sem se molhar. Agora estão muito zangados quando  os rumores andam nos SMS e à boca pequena, e a culpa é de incertos.

Incertos? Quem tem a culpa toda são os que deviam saber ler o mercado e tomar as medidas necessárias! E, já agora, não se terem ido meter num banco privado!

E a gripe A?

Conhece alguem que tenha tido a gripe A? E que se tenha vacinado?

Parece que 85% do pessoal médico e de enfermagem não se vacinou apesar da propaganda em tudo o que era sítio visível. E se alguém aparecia num hospital engripado? Seria a A? Quantos diagnósticos positivos? Mil? Cem? Mais ou menos que nos anos anteriores com a gripe vulgar?

Estas dúvidas assaltavam-me ao ler um artigo que, assim, no meio do verão,alguem se tenha lembrado das milhares de vacinas que jazem num qualquer armazém e que custaram uns milhões de euros. A gripe tinha aparecido no inverno do hemisfério Sul, havia essa experiência, não tinha havido desgraça  nenhuma, então a que se deveu aquela publicidade toda?

Vésperas de eleições, dizia o autor, desviar as atenções, não te importes com a crise  financeira, podes morrer com a gripe, seria a mensagem subliminar!

Eu, francamente, comecei a ter o nariz entupido e uma dorzinha na garganta. Eleições?

O milagre da IURD

Em Faro! Ali junto ao mar, um milagre aconteceu. Um crente meteu a massa que tinha e a que não tinha nas mãos santas do bispo.A mulher é que não deixou se não ele metia ainda mais, tudo por amor à irmandade.

Entretanto, o milagre da multiplicação dos pães tardava a acontecer ao contrário dos bancos que começaram a apertar com o pobre do homem. Perdida a cabeça, foi-se ao “santuário” com uma rectroescavadora e deitou tudo abaixo. E agora?

Uma hipótese é voltar a acreditar no milagre, outra hipótese é meter o bispo na prisão, outra é esperar que lhe devolvam a massa. O problema é que para acontecer alguma destas hipóteses é preciso  um milagre.

As Scuts do Almerindo.

O Ricardo lançou aqui um novo desafio para escrevermos sobre as Scuts do nosso descontentamento. Eu, já  disse  aqui no Aventar que estou de acordo que se pague, a não ser que não haja alternativa. Na verdade, casos há, em que a eutoestrada foi construída sobre a anterior estrada, não havendo, pois, qualquer alternativa. Nestes casos os residentes não devem pagar, seria como uma “multa” por viverem naquele lugar.

O príncipio utilisador/pagador é um bom príncipio que, aliás, vai estender-se à educação e à saúde. O melhor, mesmo, é os cidadãos começarem a perceber de vez que este Estado onde nada se paga, é o tal que já mama 50% da riqueza criada no país. Estamos a viver alegremente acima das nossas possibilidades e, os políticos, a gozarem com o pagode, lançando estradas atrás de autoestradas, como se fosse possível. Já somos o país com mais autoestradas por km2. Talvez as pessoas  percebam que a autoestrada que passa lá ao pé da porta não é necessária, uma boa estrada seria mais que suficiente, só serviu para alimentar os bancos, as construtoras, os consultores e  arranjar  tachos muito bem pagos.

Porque é que Sócrates quer construir o TGV, o aeroporto e a terceira ponte, tudo desnecessário, com o país na miséria, sem que nos emprestem dinheiro, o homem insiste, sabendo à partida que o “Zé povinho” paga tudo, todas aquelas obras são, como a maioria das autoestradas, insustentáveis financeiramente, vão ter que ser pagas por todos nós.

Não gastam um tostão na ferrovia, para exportar e importar mercadorias, vão secando tudo o que possa contribuir para melhorar a economia, o que interessa mesmo é alimentar o “monstro”!

A pagar, com o dinheirinho a sair do bolso, talvez as pessoas comecem a fazer contas e a darem por ela, pela verdade,  que não há autoestradas grátis e que a UE ajuda, mas devia ser para investir em bens e serviços transaccionáveis. A continuar como até aqui é a miséria para a maioria do povo e os lucros para o monstro.! E a construção de autoestradas e de pontes nunca irá acabar!

Entretanto, o Almerindo, já fez saber que são precisos 95 milhões, só para a tesouraria, e que não encontra quem lhe empreste dinheiro.E, como se sabe, as empresas vão à falência pela tesouraria, isto é, a falta dela, a não ser que o governo entre com o que não tem. Dinheiro!

Bonito serviço, grandes gestores, grandes políticos, belas autoestradas!

Krugman insiste!

Que a Grécia pode muito bem estar à beira de sair do euro e, por arrastamento, Portugal. Claro que é um Prémio Nobel da economia e há que estar atento, mas não sei se é uma evidência ou se é um desejo. O problema maior seria a curto prazo para a Grécia, a sair ,seria como ficar a flutuar em mar aberto enquanto o grande navio se afastava. Era uma questão de tempo para entrar numa situação de empobrecimento progressivo, e não se vê o que traria de bom à UE ter aqui à porta um mendigo a arranjar-lhe todo o tipo de problemas.

O arrombo no barco (UE) seria catrastófico, pelo que daria de sinais de má conduta e de falta de solidariedade dentro da união, a credibilidade apagava-se e o arrastamento de outros países seria inevitável. Era o principio do fim!

Cavaco Silva já veio dizer que conhece muito bem Krugman e que só por razões de “estar fora do euro” é que o leva a colocar hipóteses que ele, Cavaco, sabe que não acontecem. Estudou muito bem o Euro e a criação da Zona Euro, tem livros publicados sobre o assunto, e não há razões para ter medo. Cavaco disse, está dito!

E , eu por mim, sempre acrescento que os americanos nunca viram com bons olhos a criação da Zona Euro, por ter aparecido uma moeda capaz de fazer frente ao seu dólar , senhor absoluto e moeda de reserva global !