O nascimento e a morte assistidos

Carlos Araújo Alves

Morte cerebral é morte, conceito definido aliás pela Lei n.º 141/99, de 28 de Agosto: “A morte corresponde à cessação irreversível das funções do tronco cerebral.”
Mas se a pessoa está morta como pôde gerar um novo ser? Pôde porque, apesar de morta, a família decidiu que não fosse cadáver, mantendo artificialmente o aparelho circulatório e cárdio-respiratório em funcionamento até às 32 semanas de gestação do feto. Chegado esse momento, os médicos fizeram uma cesariana a uma pessoa morta.
É muito estranha a ausência de qualquer parecer público do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, sempre tão ávido de dizer coisas nestas matérias, uma vez que a senhora falecida nada deixou escrito sobre a sua vontade. [Read more…]

Eutanásia:

No próximo dia 25 de Março a JP-Maia realiza um debate sobre a problemática da Eutanásia/Morte Medicamente Assistida. Fizeram o favor de me convidar para moderador. Ora, para começar a retribuir o amável convite, lanço já a discussão entre os nossos aventadoras(es) e leitores(as) e deixo as informações essenciais para prepararem a vossa agenda pois estão todos convidados:

A Juventude Popular da Maia realizará, no próximo dia 25 de Março, pelas 21h, um debate relacionado com o tema da Eutanásia – Morte Medicamente Assistida. O painel contará com personalidades do mundo político, médico-científico e religioso. Certos de que será um tema de elevado interesse geral, contamos com todos às 21h no Fórum da Maia.

Moderador: Fernando Moreira de Sá, profissional de Ciências da Comunicação
Orador: Dr. Rui Nunes, Presidente da Associação Portuguesa de Bioética
Orador: Pe. Jorge Teixeira da Cunha, Professor da Universidade Católica
Orador: Dr. João Moreira Pinto, Secretário Geral do CDS/PP Porto
Orador: Drª Laura Ferreira dos Santos, autora do livro “Ajudas-me a morrer? – a morte assistida na cultura ocidental do século XXI”

Localização (Google Maps): http://bit.ly/aAZRwM

www.jpmaia.org
geral@jpmaia.org