Síndrome do Franganote

À medida que a informação é recolhida e se repetem nas TV as declarações martirizadas e autovitimizantes de Nuno Lobo, além do cansaço e do tédio que suscitam, percebe-se melhor e até se reforça o problema de afirmação que ali medra em gérmen. Nuno é um franganote. E não tem culpa nenhuma disso. É da sua natureza ser franganote e reagir como um franganote. Eu simplesmente sugeriria que da próxima vez que cerrar os punhos na cara do Caldeira e do Pinto da Costa a propósito de um ou dois golos irregulares de uma equipa de Lisboa, o faça devidamente ladeado por guarda-costas com papel meramente dissuasor. O que não vale é provocar insolentemente o adversário, ter resposta à altura, e depois vir choramingar para as TV e chamar em sua derradeira assistência, em modo brutamontes-capanga, a nossa já tão assoberbada Justiça. Isso é o síndrome do franganote: num primeiro momento, atrevido; num segundo, com medo e em fuga aflita. Assim se comportam as crias de muitos mamíferos. Por isso, onde se lê Lobo, dever-se-ia ler chihuahua. O chihuahua da AF Lisboa quer, mas a medo, a hegemonia da AF Lisboa no Futebol Nacional e levanta cabelo, mostrando existir lá, onde ainda não tínhamos dado por ele. O défice de afirmação física, fisiológica, vocal, e até moral de Nuno Lobo tornou-se um espectáculo deprimente a que nos deveria ter poupado. Somado ao de Jesus, barafustando a torto e a direito contra a acção legítima da polícia, em Guimarães, apenas para cair nas boas graças da Tribo Aquilina, a deprimência nessa trincheira sulista passou à categoria de lenda piolhosa e treta famigerada. Parabéns.

Mais um Prospector de Protagonismo

Tinha de ser. Portugal e o Mundo têm agora o privilégio de conhecer Nuno Lobo. Ora, who the fuck is Nuno Lobo? Ninguém. Ninguém que importe. Não é o Papa Francisco. Não é Nelson Mandela. Não é João José Cardoso. Não é o Palavrossavrvs Rex, não é sequer a Catarina Martins de olhos arregalados e voz flauteada. Não é nada de importante, salvo se, provocando despudoradamente os elementos convidados do meu clube, FC Porto, no último Estoril Praia vs. FC Porto, em pleno Camarote, agora se faça de vítima, arrastando a atenção dos media sobre si e mostrando de que é feito um homem: de litigância. Há problemas, um bate-boca, um arrufo, uma cena mais viril, um anda cá a ver se não bebes?! Litiga-se. Há chatices entre homens, empurra-daqui, filho-da-puta-dali?! Litiga-se. Nuno Lobo, tinha de ser, é mais um a querer mimo, atenção e festinhas, para efeitos auto-promotores e tentativa de denegrir outros, arrastando a sua nula importância e ainda mais nula existência à custa do meu FC Porto. Consta que é o Presidente da AF Lisboa. Pois. Mas what a fuck vem a ser a AF Lisboa?!