Perguntar como o filósofo

 

(foto: postais.net)

O Público fez 22 anos no passado dia 5 e foi-nos oferecido! O diretor por um dia desta edição foi o filósofo José Gil. E, como filósofo que é, fez perguntas que nunca mais acabavam!
De repente lembrei-me de António Aleixo…o poeta alentejano, “semi-analfabeto” de “apurado sentido filosófico”. Vem ele a propósito de que todo o português, uns mais que outros, é um pouco filósofo e, ultimamente, tem esta faculdade mais afinadinha.
José Gil lançou cerca de 50 perguntas abordando nove àreas. Aquelas que também são as minhas, as nossas, as do comum dos mortais (eis algumas):

qual o índice de felicidade dos portugueses?

quantas pessoas encaram o desemprego como uma oportunidade?

quantos políticos se preocupam com a pobreza?

quantas horas os responsáveis estimam necessárias para os professores prepararem as lições?

Que consciência têm os responsáveis pelas políticas educativas da especificidade da profissão do docente?

que peso tem a relação aluno-professor na definição das políticas educativas? [Read more…]