Send ‘em over!

medicos_enfermeiros_inglaterra
Mandem médicos, mandem enfermeiros, mandem professores. Aqui não se trabalha de borla ou a troco de pratos de lentilhas.

Manuel Rangel

Um Professor de corpo inteiro, numa homenagem da Revista “A Página“.

A escultura portuguesa ficou hoje mais pobre

jaime_azinheira_escultor
A cultura portuguesa, nomeadamente a escultura, ficou hoje mais pobre com a morte de Jaime Azinheira que, para além de um escultor de referência, foi também professor na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, onde deu aulas até 2005.

Jaime Azinheira licenciou-se em Escultura na Escola Superior de Belas Artes do Porto onde fez também o seu doutoramento.

As suas esculturas salientavam-se por serem feitas em materiais frágeis, como o papel ou gesso, através de uma técnica original e única de moldagem.

Os seus trabalhos de escultura de uma enorme singularidade, cenográficos, são objectos artísticos muito expressivos.

Nos seus trabalhos Jaime Azinheira serviu-se de figuras caricatas, em situações do dia a dia, muitas vezes monstruosas, mas sempre com um lado humano muito patente.

Uma grande parte da sua obra que marca de forma indelével a escultura portuguesa pode ser vista na Casa Museu Teixeira-Lopes, em Vila Nova de Gaia e no Museu Amadeo de Souza-Cardoso, na cidade de Amarante.

Isto conta como terrorismo?

Era tudo mentira. Professor admite que inventou ataque de apoiante do Daesh” [DN]

Liberdade

Matias Alves, do terrear:

“Da natureza da função docente

Ora, a forma como se exerce o ensino (…) transcende a feição burocrática dos serviços públicos.
Não podem ser objecto de ordens, e reclamam antes uma fiscalização, até porque, em regra, nem são funcionários do Estado aqueles cuja acção é fiscalizada. E mesmo quando – como sucede com os médicos escolares, ou com os professores oficiais – esses indivíduos são funcionários, eles não estão sujeitos a determinações ou ordens relativas aos serviços que executam como os outros funcionários. A um professor nada se pode ordenar concretamente sobre o exercício das funções. Nenhum director geral pode dizer a um professor que ensine desta ou daquela maneira. Pode, porém, haver uma Inspecção que verifique se eles cumprem os seus deveres.
Um professor não pode deixar de ter liberdade.

In António Pires Lima (1945). Administração Pública, Porto: Porto Editora”

Ganhos de produtividade

horario professores

Parece que para os patrões do ensino um professor pode ter 30 a 33 aulas por semana.  Nunca experimentei mais de 25, mas durante um ano lectivo trabalhei com uma colega que além de 24 na escola ainda vendia 6 num colégio e acabou o ano com mais umas turmas em substituição.

– Como é que aguentas? – perguntávamos.

– Aguenta-se bem, só tenho o 7º e o 8º.

Uma vez os alunos de uma turma comum pediram-me para dar mais apontamentos, mas avisando que também não era para exagerar.

– Exagerar como?

– Não faça como a professora de Geografia que abre o livro e começa a ditar.

– Ditar o livro? – estranhei.

– É assim que dá as aulas, temos o livro todo copiado.

Estava explicada a capacidade de resistência da minha colega. É esta a qualidade de ensino que se quer contratar em Portugal.

 

Há quem gaste para trabalhar

Criado em 2009, o cartão Professor+ conta com mais de 30 mil inscritos.

cartaoprofessormais2