O PCP tem memória

O PCP não consagrou o voto de pesar pela morte de Jaime Neves, que a AR aprovou com os votos do PSD, PS e CDS-PP.

António Filipe, em nome da bancada comunista, disse respeitar “os sentimentos de pesar da sua família, amigos e admiradores”, mas acrescentou: “Compreenda-se, portanto, que em coerência e honestidade, nós não nos podemos associar à homenagem da Assembleia da República ao major-general Jaime Neves”, que tomou “como é sabido uma posição explicitamente no sentido da ilegalização do PCP“.

Rematando, aquela figura comunista, consumou: “Independentemente do que se possa dizer da participação do major-general Jaime Neves no 25 de Abril, no Movimento das Forças Armadas, temos presente que, após os acontecimentos de 25 de Novembro, se foi possível evitar um gravíssimo confronto entre portugueses e se foi possível criar condições para que o regime democrático prosseguisse tal foi devido ao sentido de responsabilidade de personalidades como o general Ramalho Eanes, como Melo Antunes, como o marechal Costa Gomes e não tanto relativamente à posição assumida pelo major-general Jaime Neves“. [Read more…]

Antão Ramos – Voto de pesar da Assembleia da República

Já cá falei acerca do meu Patrono, Fernando Antão de Oliveira Ramos.

Entretanto, aqui fica o mais do que merecido voto de pesar da A.R., para memória futura: