A derrota de Elisa Ferreira

Pode ser que me engane, mas parece-me que Elisa Ferreira já perdeu a corrida à presidência da Câmara Municipal do Porto.
Por três razões: o corte afectivo na ligação que mantinha com a cidade devido a cinco anos de Parlamento Europeu; o verdadeiro «saco de gatos» que é o PS/Porto; e a boa imagem que, apesar de tudo e vá-se lá saber por quê, Rui Rio mantém entre os eleitores portuenses.
Vamos por partes. Elisa Ferreira foi sempre uma referência da cidade do Porto, sobretudo nos tempos em que pertenceu ao Governo, mas está há cinco anos em Bruxelas e já poucos se lembrarão dela. Ainda por cima, no momento em que concorre à Câmara do Porto, não abdica de se manter nas listas para o Parlamento Europeu.
Depois, o PS/Porto. Com amigos assim, Elisa Ferreira não precisa de inimigos. O «saco de gatos» que é a concelhia da Invicta não lhe perdoa o facto de ser independente e de ter sido imposta pelo primeiro-ministro. Foi revelador o episódio da reunião realizada há algumas semanas e da azeda troca de palavras entre a candidata e o líder da concelhia, Orlando Soares Gaspar. No dia seguinte, tudo estava na imprensa.
Por fim, Rui Rio. A verdade é que, por muito que nos custe, o Presidente da Câmara mantém uma boa imagem junto do eleitorado. Em 2001, devido ao inefável Nuno Cardoso, o PS deixou a cidade num caos, completamente esventrada e numa situação económica dramática. Rui Rio pôs a casa em ordem e pouco mais fez, para além de afrontar o FC do Porto, mas parece ter sido o suficiente para garantir um inestimável capital de confiança. Tão grande que nem precisa de falar ou de aparecer, como refere o José Freitas aqui em baixo.
Elisa Ferreira daria uma boa Presidente da Câmara. Dentro do PS, não vejo melhor. Mostrou ser eficiente no Ministério do Ambiente, onde teve de lidar com questões sensíveis e com um certo galispo, seu Secretário de Estado, que já então procurava dar nas vistas.
Infelizmente, chega no momento errado, depois de duas candidaturas socialistas falhadas, uma protagonizada por Fernando Gomes, que perdeu como castigo por se ter ido embora a meio do mandato; e uma outra, protagonizada por Francisco Assis e à qual só por grande favor se poderá chamar candidatura a sério.
A seu lado, na apresentação da candidatura, vimos gente que nada diz ao Porto, como José Sócrates e Mário Soares, e outras pessoas que não lhe valerão nem mais um voto, como Fernando Gomes, Pinto da Costa ou Rui Veloso. O certo é que o primeiro-ministro está a apostar forte na candidata. Mas é também por sua culpa que Elisa Ferreira vai perder.

Comments

  1. Luis Moreira says:

    Ricardo, muito bem aventado e a foto é um achado!

  2. Pedro Silveira says:

    Concordo que Elisa Ferreira não vai ganhar as eleições, tudo o mais ou não concordo, ou discordo.Os portuenses tem boa memória e sabem quem ela é. Não é por aí que o gato vai as filhoses. O que os portuenses não gostam é de pessoas que se candidatam a mais do que um cargo de cada vez. Não gostam daqueles que vão enriquecer o aparelho em Lisboa ou em Bruxelas.Pessoas como Elisa Ferreira (Por amor da Santa, o PS Porto não tem melhor?) não fazem falta nenhuma ao Porto, quanto muito fazem ao F.C.P. e pelos vistos em Lisboa há quem pense que são a mesma coisa.Ela que apoie o Pinto da Costa e Vice Versa, que cante com o Rui Veloso, que vá comer éclairs de chocolate à leitaria da quinta do paço. Por mim até pode ir beber finos ao piolho, comer francesinhas ao Capa Negra e todos os mais clichés que quiser, pois não terá nem o meu voto nem o voto da maioria dos portuenses e essa é que é a verdade.P.S.- Infelizmente devido à triste escolha que fez o PS lá vamos nós ter que levar com mais uma dose de Rio…


  3. É pena … parece um milhão de vez + honesta do que o D. Rio …

  4. Luis Moreira says:

    Pedro, cá em baixo estamos bem pior.Há muitos portuenses que não gostam do Rio mas julgo que é dos poucos políticos que têm credibilidade.A Elisa escolheu.Foi para Bruxelas enriquecer e agora quer voltar.Não me parece que o povo vá nisso.Mas é uma adversária temível!