Será possível que não vejam a figura que fazem?

padrinho

Há duas hipóteses. Ou a justiça está completamente destruída e tomada pelo poder político ou então então estamos perante famílias políticas, a viverem em circuito fechado e a defenderem os seus. Nenhuma delas me tranquiliza como explicação para o circo que temos vivido.

Entretanto, importa não esquecer o caos que a educação e a justiça estavam (estão?) a viver mesmo antes da bomba estoirar. Há coisas más de mais para que se safem à conta do desastre alheio.

Comments

  1. Reblogged this on O Retiro do Sossego.

  2. José almeida says:

    Estou confuso, muito confuso mesmo. Portugal é de facto um país atípico. Depois do 25 de Abril instaurou-se este regime, este sistema político a que chamam democracia, mas que se transformou na pior das ditaduras de que tenho conhecimento. Para que serve votar se o voto nada muda? Estamos há mais de 30 anos governados sempre pelos mesmos, pelas mesmas famílias políticas, que se amam e odeiam. Que interessa ter liberdade para chamar corrupto, ou palhaço ou mesmo filho da puta (sem ofensa à mãe) a um governante ou político qualquer, se eles continuam impávidos e tranquilos a fazer o que querem e lhes interessa? Para que me servem dezenas de canais de TV se para ver um programa decente tenho que estar acordado a altas horas da noite ou então fazer ‘zapping’ na esperança que um ‘Discovery’ qualquer esteja nesse momento a passar algo interessante? A liberdade para viajar? Salvo algumas excepções, ultimamente só tem sido útil para quem compra bilhetes de ida. Não sou daqueles que dizem que “antes assim que numa ditadura”. Daquilo que da história e do mundo conheço, todas as ditaduras tiveram um inicio e um fim. Aquelas que ainda existem e porventura as que nascerão terão o seu fim. A democracia não. Uma vez democracia, democracia para sempre. Seremos todos obrigados a comer hambúrgueres, a pedir dinheiro ao banco para comprar uma casa, e provavelmente (como alguém já sugeriu) seremos obrigados a votar. Para que? Para que servem 10 ou 20 partidos a concorrer às eleições? Os partidos servem para partir e para dividir. Servirão para mais alguma coisa? Há alternativas? No caso concreto de Portugal para que serve a CEE? Quando vejo aquelas ‘fotos de família’ com todos os chefes de estado recordo uma família abastada que convidou para a ceia de Natal um sem abrigo e um fotógrafo para registar o sucedido. Não! Não sou a favor do Muro de Berlim. Nem do da faixa de Gaza, nem da Cisjordânia, nem de nenhum outro qualquer que divida consciências. Também não irei a Fátima a pé se o país melhorar ou piorar ainda mais. Que fazer? Continuar a lutar por uma sociedade mais justa, porque acredito que uma moeda quando cai ao chão pode ficar de aresta para cima.

  3. Pelo apoio dos troll´s de serviço acho que vai pregar como o frei agostinho. Apoio e faço figas para que não desista; olhando para os comentários das tribos da bola temos que ser resilentes e perceber que nem com as maiores crises passará de minoritário empedernido.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.