Uma questão de imagem

Tens 550 mil euros para gastar com a tua cidade. Podes investir em educação, saúde, alimentação, etc. Mas não, a Câmara do Porto optou por investir num projeto para pessoas consumirem drogas. Isto apenas contribui para a marginalização dos próprios.

Comments

  1. POIS! says:

    Pois, mas quais?

    Quais próprios? Até agora não estavam marginalizados?

    Ou refere-se à malta startupidaliberaleira que amanda umas linhas para “acelerar”? Esses não precisam do “projeto” pois não?

    Prefere que se condene à morte lenta quem atualmente consome só para não o “marginalizar”?

    Não vê que o projeto tem como finalidade retirar os viciados do consumo e nunca incentivá-lo?

    E, em última análise, não será a escolha pelo consumo ou não-consumo o exercício de uma liberadade individual? E acha que deve ser o Estado a proibir e a punir esses comportamentos?

    Estou cada vez mais espantado com os liberalescos locais.

    • Carlos Almeida says:

      É uma perda de tempo fazer comentários aos posts dessa gentinha.
      À honestidade intelectual é uma coisa que lhes faz muita falta.
      Dar-lhes corda é uma inutilidade.

    • Paulo Marques says:

      Já financiar, indirectamente, seja em infraestructuras ou benefícios fiscais ou desregulação laboral, os estabelecimentos de consumo de drogas legais é positivo e recomenda-se.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.