Pornografia industrial

Embalar abóboras, bananas, curgete e outros legumes que têm eles mesmos a sua “embalagem” natural. Ou uma caixa destas para um peixe.

O custo monetário do plástico é tão baixo que permite esta omnipresença. E o custo ambiental parece não importar ninguém.

O que me impressiona neste cenário é absoluta irracionalidade do acto. Para quê embalar uma abóbora em plástico? Qual é o valor acrescentado disso?

(Fotos feitas antes do covid.)

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Espere até pensar na quantidade de máscaras descartáveis que vão para os aterros, diariamente, durante o período indeterminado que a gripezinha (/s) durar.

  2. Adão Santos says:

    E investir no biológico para depois o embalar em plástico é de uma parvoíce que até dói!


  3. Antes ou depois da OPERAÇÃO COVID a diferença é que agora ainda há mais plástico… Toda aquela lenga-lenga de “TEMOS DE PROTEGER OS OCEANOS” por isso toca lá a pagar pelos sacos de plástico, já era!

    • POIS! says:

      Ora pois!

      É assim mesmo! Aposto até que o comentário desta vozinhamuitobaixinha foi escrito, assim talvez, num teclado de madeira de cipreste ou num tablet forrado a granito alimentado a biomassa intestinal de esquilo.

    • Alberto Mendes says:

      A dourada e para tornar o processo de compra mais rapido, não precisa de esperar na fila para amanhar, está pronto a biológicos e para garantir origem e que não vendem abóbora / bananas /X normais por biológicas.


  4. Plástico é bom e faz bem aos Oceanos…

  5. Julio Rolo Santos says:

    O plástico passou a ser o principal inimigo do planeta e, com razão pois, dura, dura e dura como a pilha Duracell. É tão nefasto que as aves e os peixes o confundem com um bom petisco e acabam por nos oferecerem de bandeja nos próprios restaurantes, cozidos ou grelhados. As grandes superfícies vêem no plástico um bom aliado para nele poderem embrulhar os produtos que, em condições normais, não teriam aceitação por parte dos consumidores, por se encontrarem com mau aspecto ou até impróprias para consumo. É a ganância do lucro, custe o que custar.

  6. Luís Lavoura says:

    O valor acrescentado é grande: permite que o produto já esteja com o preço afixado, sem ter que ser necessário pesá-lo na hora.
    Eu faço compras em lojas onde os produtos são embalados e pesados na hora, e bem sei que 1) o processo é trabalhoso e moroso, e 2) os erros (de pesagem, de identificação do produto e do seu preço) são frequentes.
    Embalar, pesar e colocar o preço de forma mecânica fica muito mais barato e evita montes de erros.

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.