Vergonha nas Presidenciais: Tino de Rans fora dos debates

O presidente do Partido Reagir Incluir Reciclar – RIR, Vitorino Silva (Tino de Rans), momentos após entregar o seu processo de candidatura às Eleições Presidenciais, no Tribunal Constitucional, em Lisboa, 23 de dezembro de 2020. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Tino de Rans, por opção das três televisões, não participará nos debates frente-a-frente que ocorrerão nos dias 2 a 9 de Janeiro.

A candidatura de Tino tem, à face da Lei e da Democracia, o mesmo valor de todas as outras. Esta exclusão revela de um elitismo absolutamente escandaloso. O facto de a televisão pública ser cúmplice desta situação é ainda mais vergonhoso, mas, em Portugal, a televisão é pública para receber dinheiro e privada para o gastar.

Os restantes candidatos têm, aqui, uma ocasião para confirmar que fazem, verdadeiramente parte do jogo democrático. É fácil: deverão recusar-se a participar em debates, a não ser que esta situação seja alterada.

Este é, demasiadas vezes, o país do senhor doutor, do respeitinho e pasto da partidocracia. Há um cheiro a mofo muito perigoso, até porque a humidade pode dar cabo das fundações de uma casa.

Declaração desinteressante de interesses: até hoje, não estava a pensar em dar o meu voto a Tino de Rans.

Comments

  1. Júlio Rolo Santos says:

    Aí está uma boa opção do voto nos presidenciaveis. A minha opção do voto vai para o “Tino de Rans”.

  2. Alexandre Barreira says:

    ….pois……o “tinoso”……iria dizer as verdades “inconvenientes”….!!!

  3. José Peralta says:

    António Fernando Nabais

    “Declaração desinteressante de interesses: até hoje, não estava a pensar em dar o meu voto a Tino de Rans”

    É uma boa decisão ! https://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/po2508201019.htm

    E “com Tiririca…pior não fica” !
    .

  4. JgMenos says:

    Últimamente tem-se ouvido falar da defesa da Democracia, vai-se ver o homem é a tal ameaça de que que se vem falando…

    • José Peralta says:

      Ó “menos”

      Mesmo com o teu querido “desventurado”, juntos estão condenados a um “horrível” fracasso…

  5. Filipe Bastos says:

    Por um lado, plenamente de acordo: excluir o Tino é mais uma evidência desta falsa democracia, na prática partidocracia podre.

    Quanto mais podre o regime, mais este se leva a sério e valoriza a sua auto-legitimação; basta ver os pífios rituais do 25 Abril. O Tino relembra e releva a palhaçada da farsa democrática, daí ser ‘cancelado’, como agora se diz.

    Por outro lado, qual o contributo do Tino além de palhaço e bombo da festa, o clube das distritais que existe para levar cabazadas e permitir a ‘festa da Taça’, como diz a carneirada da bola?

    Para suposto representante do povo trabalhador e sem voz, anda há muito na política – e logo na máfia do PS. Perdida a teta, tentou capitalizar a fama com livros, discos e Big Brother.

    Dir-se-á que a questão é o princípio, não o Tino. Eu diria que é ambas, e que estão relacionadas. Esta partidocracia só nos dá pulhas e Tinos. Daí o único voto útil – e possível – ser o nulo.

  6. José Peralta says:

    Porque não falamos Verdade?

    Deixemos o “políticamente correcto” porque muitos dos que vêm aqui atacar a Democracia, fazendo côro com tipos com o “menos” estão a pensar o mesmo que eu !

    Vejam lá ! Acham que JgMenos, um personagem que mesmo que não o conheçamos pessoalmente, alguns dos Democratas que aqui vêm, pensam que ele tem alguma c “preocupação” com a defesa e preservação da Democracia !

    Não se trata, na minha opinião, da estimável pessoa que o Tino parece ser ! E digo parece, porque ele já não é o mesmo Tino, que ganhou exposição pública com o abraço ao Guterres num Congresso do PS !

    Ele agora, quer, visívelmente, usar e abusar dessa “publicidade”, e faz tudo para a ter, seja em “talk-shows” de 5.ª categoria, como o “big-brother”, a “cantar” versos da sua lavra, etc.

    A minha opinião não tem nada a ver com ele ser humilde, ou pela sua profissão, ou pela falta de preparação cultural, de que certamente, não é culpado ! Culpado, é o “sistema democrático” que não dá aos pobres e humildes, condições de acesso ao Ensino superior, onde também não cabe a etnia cigana, ou a comunidade negra, e quando poucos conseguem enfrentam muito mais dificuldades, desde esconómicas, a descriminação, a racismo, xenofobia, etc. (como aconteceu há pouco, numa Universidade, com estudantes brasileiros…)

    E convenhamos, já tivemos um Cavaco Silva, uma dessas excepções que conseguiu ser um “catedrático”, formado em Universidades inglesas, o que não lhe serviu de nada, porque sempre agiu como uma “bota da tropa” no País e nos areópagos internacionais !

    Não acham que já basta de cavacos ? Não bastou este erro de “casting” ?

  7. José Peralta says:

    Depois de ver a entrevista do TINO DE RANS, “candidato” a “presidente da República”, ouso perguntar agora a António Fernando Nabais e aos acrisolados defensores da Constituição e da Liberdade de Expressão, se acham que o “discurso desgarrado, desarticulado, confuso, gaguejante, com total desconhecimento da realidade social e política do país, esperando (desejando…) que o entrevistador o interrompesse, para não completar a resposta em curso (mas qual resposta ?), sem programa a não ser que como Calceteiro estava com os pés no chão e em contacto diário com o “povo”, e, “se fosse eleito”, desejava um chão calcetado e um céu luminosos para esse “povo”….

    …OUSO PERGUNTAR, dizia, se ainda manteriam o possível voto em tal personagem ?

    E, desculpem-me qualquer coisinha !

    • António Fernando Nabais says:

      Está desculpado, caríssimo José Peralta. A única resposta que lhe posso dar é reler o meu texto e, de preferência, com muita atenção. Acrescento, apenas, que, depois de Cavaco, qualquer um será melhor.

      • José Peralta says:

        Caríssimo António Fernando Nabais !

        Muito obrigado pela generosidade do seu “perdão” !
        E, como vê, li e reli o seu post, bem como o artigo do Diário de Notícias que anexou !

        E concordo consigo no que respeita a cavacos, e já o tinha escrito : –

        “Não acham que já basta de cavacos ? Não bastou este erro de “casting” ?

        Por isso é que estranhei esta sua declaração final :

        (…) “até hoje, não estava a pensar em dar o meu voto a Tino de Rans ”

        E a minha pergunta- mantém-se, por que, subliminarmente, me deixou a ideia de que ponderava votar no Senhor Vitorino Silva, talvez para manifestar o seu protesto pelo “impedimento” de que ele foi vítima…mas que, afinal, não se concretizou !

        E muito bem, porque assim “cumpriu-se a Constituição”, e ficámos TODOS a saber da(s) sua(s) incapacidade(s).

        Ou o caro António Fernando Nabais, afinal, não está, como eu estou,, farto de erros de “casting” ?

        Sempre a considerá-lo..

Trackbacks


  1. […] António Fernando Nabais já trouxe o assunto ao aventar, mas mesmo depois de algumas mudanças desde esse texto, continua a haver uma discriminação em […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.