Willkommen!

Sejam bem-vindos, ó profissionais de saúde alemães.

Antes de mais, pedimos desculpa pelo facto de se saber primeiro na Alemanha que vocês vinham para cá ajudar, sem que aqui se soubesse ainda.

É que isto sem a pandemia já era um pandemónio, com a bronca de um ucraniano a morrer às mãos do SEF, um Presidente a fazer striptease em campanha por uma vacina que depois não houve, uma candidatura martelada ao lugar de Procurador da União Europeia, entre outras cenas tipo.

E aquela coisa do Cavani não ter vindo para o Benfica, também não ajudou nada.

Enfim, tem sido só scheisse.

Mas, como podem ver, tivemos o cuidado de vos colocar num hospital privado.

O que não é para qualquer um.

Olhem que nesta terra, recorrer aos privados só mesmo depois de esgotar o parque automóvel das ambulâncias às portas das nossas urgências.

E, também, porque há sempre comunicação social e sociedade civil a meterem nojo.

Compreendam que os nossos recursos são parcos, e se queremos continuar a ser o país que menos gasta com a pandemia, temos de manter este esforço.

Atenção que não é austeridade. É esforço.

De qualquer forma, vindos de tão longe, era só o que faltava se iam agora andar de ambulância em ambulância para assistir ao povo, às portas das urgências do Santa Maria.

Ainda para mais com este tempo.

Mas, dizia eu, que são muito bem-vindos.

Fazem-nos um jeito do caraças.

Imaginem que temos imensos profissionais de saúde a trabalhar no estrangeiro. Principalmente enfermeiros. Que foram para fora à procura de melhores salários e progressões na carreira e outras coisas assim.

E nenhum parece estar com ideias de voltar para cá e dar uma mãozinha.

Malandros!

Mas, o que importa é vocês estão cá. E até trouxeram material auxiliar.

Pena não ter sido no Natal, pois faziam de Reis Magos.

De qualquer forma, se precisarem de alguma coisa, seja o que for, até mesmo umas sandes de pernil, é só dizerem.

Estejam à vontade e obrigadinho.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    E se puderem, tragam as vacinazinhas que prometeram em troco de continuarmos a apoiar e a salvar-vos a banca, que parece que acontecerá outra vez. Mas, vá, só se quiserem, não somos de exigir coisas, até cumprimos tudo e não arranjamos mais recursos, não vá o défice incomodar-vos muito a cerveja.

  2. César P. Sousa says:

    Era só o que faltava ,por os “Artze” a trabalhar no hospital Sousa Martins na Guarda.Faltou lá o mestre de cerimónias Marcelo e a fanfarra da GNR a cavalo para ser uma recepção condigna.
    Ou será que não somos nós os melhores entre os melhores ,como proclamou o “tartufo” de Belém ?

  3. Silvestre Martins says:

    Muito muito fraquinho.

  4. esteves aires says:

    Já que por cá estão. nas terras á beira mar plantando (e de viriato), não se esqueçam de dizer ao V/ governo de pagar melhor aos portugueses que estão a ser explorados até ao tutano no vosso País, e já agora, quando forem embora levem o Costa e Marcelo e seus correligionários , porquê? Porque não fazem cá falta nenhum, como pode observar, a não ser para a “comunicação social” andar de volta deles , a fazer perguntas que até o meu neto as podia fazer… Por fim; digam ao V/ Governo, que em Portugal existe um SNS , mas foi arruinado pelos partidos do arco do poder (PS/PSD/CDS), que por sinal. fazem parte da família politica dos sucessivo governos da Alemanha. E já agora, para aqueles que pensam que não sou um humanista. aqui fica para o posteridade; Obrigado aos que vieram -, vocês não tem culpa, comprem ordens, e se não o fizessem seriam despedidos por justa causa!
    Não se esqueçam de comer um cozido “à Portuguesa” porque faz bem as gripes, constipações, porque todos vós “fazem um jeito do caraças”!!!

  5. José Peralta says:

    Mário Teixeira

    “Sejam bem-vindos, ó profissionais de saúde alemães”.

    Antes de mais, pedimos desculpa pelo facto de se saber primeiro na Alemanha que vocês vinham para cá ajudar, sem que aqui se soubesse ainda” !

    Duas frases que definem um espírito…

    Um espírito (AINDA) muito comum a muitos portugueses, vítimas, de uma maneira ou de outra, do “manholas” de S.ta Comba !

    A mesquinhez, a má língua, a inveja,o facciosismo e o desprezo pela solidariedade…

    Quando, numa pandemia mundial súbita, ninguém sabia o que era, nem as consequências e os meios para a combater, num estado de emergência (de guerra) em que toda a ajuda solidária e internacional é necessária, o Sr. Teixeira e muitos outros, cómodamente sentados, presumo, num belo sofá, fazem tudo para não merecer,o esforço generoso e denodado, o sacrifício até à exaustão, o afastamento prolongado dos seus filhos e família, ou as refeições tarde e a más horas, o risco que correm de serem infectados, de milhares de Médicos, Enfermeiros, e Auxiliares portugueses de ambos os sexos, que precisam de ajuda internacional para reforçarem o seu empenhamento.

    “Antes de mais, pedimos desculpa pelo facto de se saber primeiro na Alemanha que vocês vinham para cá ajudar, sem que aqui se soubesse ainda”.

    Realmente é uma ofensa aos portugueses “como o Sr. Teixeira”, que numa situação mundial tão dramática e perigosa, se preocupam com tão importante desvario…

    Já os “estúpidos” italianos, aclamaram como heróis, uma comitiva de médicos cubanos que desembarcou em Bérgamo, para os ajudar…

    (Ainda por cima, cubanos, veja lá ! “Perigosos comunistas”, não queremos cá essa gente ! Por isso é legítimo estarmos ofendidos por sermos “os últimos a saber”…

    Depois, no Hospital da Luz, foi uma ala que estava vazia e disponível e, por isso, foi cedida, oferecida ao SNS pelo próprio hospital.

    “Os recursos sãp parcos, e somos o país “que menos gasta com a pandemia, mas a vinda de alemães,, não é austeridade, é esforço”…

    Ah ! E “tínhamos” também de meter uma colherinha, q.b, de futebol, como aquela do “Calvani”..Importantíssimo, na verdade..e como “somos” o país dos “4 ffff (efes” (Fado, Futebol, Fátima e F+++-se”, agora só falta um comentário jocoso sobre o Fado !

    Quanto aos mais de 30.000 Médicos, Enfermeiros e outros profissionais, obrigados a emigrar, porque a criminosa “páfia” do aldrabão-mór coelho, portas submarinista e mentira loura albuquerque, que entre as “pequenas coisas” que quis privatizar, vender ao desbarato. “PORQUE… O PAÍS TINHA QUE EMPOBRECER, E OS PORTUGUESES VIVIAM ACIMA DA SUAS POSSIBILIDADES…), estava o Serviço Nacional de Saúde, o Ensino Público, etc., etc., e…etc.,, é muito justo que não queiram voltar a um País que lhes “deu com os pés” ! Estão ambientados, instalados, adaptados, têm uma carreira com futuro !

    E, já agora,quero lembrar ao Sr. Teixeira, que o caos que se vive no SNS, provocado pela pandemia, e falta de espaço e recursos humanos, já vem de longe, quando não havia pandemias, mas a habitual gripe sazonal no pico do Inverno, que também causava mortalidade, sobretudo nos idosos.

    Esta reportagem da TVI24, de Abril de 2015, que percorreu o país de Norte a Sul, visitando Hospitais, com câmara escondida, é reveladora de como a “p(M)áfia” deixou o SNS…

    Ora veja, Sr. Teixeira…

    https://m.youtube.com/watch?v=yVvWZmwMqRM

    • J. Mário Teixeira says:

      Lamento que não tenha percebido o sentido irónico do meu texto.
      Quanto ao mais que escreveu, incluindo as presunções que faz acerca de mim, apenas lhe desejo que um dia consiga ultrapassar os seus ódios.

  6. Democrata_Cristão says:

    Teixeira

    Não é fraquinho, é zero

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

%d bloggers like this: