A normalização de um homicida sob a égide da Liberdade Individual

Fotografia: GETTY IMAGES

Lido aqui no Aventar: “(…) falamos de um jovem que agiu em legítima defesa.”

No dia em que “agir em legítima defesa” seja sair de casa, do sítio onde se estava sossegado, de escopeta em punho, seremos todos heróis da auto-determinação para matarmos quem nos apetecer. Será esta a tão afamada “liberdade individual”?

O liberalismo costumava estar do lado de quem é oprimido. Agora, posiciona-se sempre do lado do opressor. Não é defeito, já é feitio. Mas é muito pouco liberal.

Dito isto, está um indivíduo a passar aqui na rua de casaco amarelo. Odeio a cor amarela, vou buscar a escopeta.

Don’t tread on him? Não me fodas.

Como já li durante o dia de hoje:

“Parece que a extrema-direita supremacista e os liberais partilham mais do que ideias comuns sobre a economia. Também partilham símbolos.”

Fotografia: GETTY IMAGES

Comments

  1. Francisco Figueiredo says:

    O liberalismo não está ao lado de oprimidos ou opressores, está ao lado do liberdade. E a extrema-direita é o inverso dos liberais. A esquerda é que na escassez de argumentos chama extrema-direita a tudo sem se explicar.

    O Kyle agiu consoante a lei e protegeu-se. É simples. Dificilmente, há outra interpretação, a não ser que seja por cegueira política.

    • Tuga says:

      Francisco Figueiredo

      Mais uma vez muito obrigado por vir aqui defender o liberalismo associado aos actos de selvajaria social que só são admitidos em sociedades como os EE UU neste momento .

      O liberalismo é o mandante da extrema direita como foi no caso do Chile. Quem matou e violentou foi o Pinochet às ordens dos liberais americanos

    • João L Maio says:

      “A sucessão de acontecimentos começou quando Rittenhouse foi confrontado por manifestantes pelo facto de estar armado, tendo sido perseguido por um deles, Joseph Rosenbaum, que estava desarmado.
      Depois de uma breve perseguição no estacionamento do stand de auto- móveis, Rittenhouse disparou quatro tiros à queima-roupa contra Rosenbaum, matando-o.”; no Público, hoje.

      A questão não é o Kyle. O Kyle, certamente, será um miúdo parvo, com crenças parvas e mal aconselhado. O Kyle saiu de casa, a 53Km do sucedido, pronto para armar a barraca. Assim o fez.

      Mas nisto, a culpa não é dele. É do sistema penal americano. É dos pesos e das medidas consoante a cor da pele, do estatuto social e económico ou do desfasamento em relação a outros casos. Fosse na Europa, o Kyle teria sido condenado a alguns anos de prisão, porque agiu de forma extremada. Por várias vezes fui acusado de extremismo, mas quem defende o que este miúdo fez, extremista é. E não há “liberdade” que lhe valha, se essa liberdade está assente no querer tirar vidas alheias. A liberdade não pode ser o bode expiatório dos criminosos, porque se assim for, estaremos no faroeste.

    • Paulo Marques says:

      Se agir de acordo com a lei é liberdade, estados de contingência e calamidade também são liberdade.
      A liberdade que lhe permite, ou a muitos outros, fazer o que fez levou, e leva frequentemente, que outros não tenham liberdade de coisa nenhuma porque estão debaixo da terra. Em casos como este, só porque não aproveitaram a liberdade de disparar primeiro, caso em que o Francisco e amigos, sejam liberais ou supremacistas assumidos, estavam calados que nem ratos, na melhor das hipóteses.

    • POIS! says:

      Pois, citando Figueiredo…

      “O liberalismo não está ao lado de oprimidos ou opressores, está ao lado do liberdade.”

      O Pinochet, ao lado de quem esteve o seu deusinho Hayek e outros liberalescos, não era um opressor? Era o quê?

      O Hayek esteve ao lado da “liberdade”? De quem?

      • João L Maio says:

        Ó POIS!,

        O Pinochet também estava do lado da liberdade, pois claro. Há lá liberdade mais pura do que comunistas, socialistas e social-democratas, a “saltar” sem pára-quedas de um qualquer avião?

        Pinochet, o pináculo da liberdade!

        • POIS! says:

          Sim, mas o Hayek, mais tarde justificou a sua posição.

          Disse que quando lá foi olhou várias vezes para o céu e nunca viu ninguém a voar. Só cegonhas.

          E que também esteve em esplanadas e não lhe caiu nenhum comunista em cima.

          E que foi tudo no âmbito de uma fase de transição.
          Passado esse tempo, acabaram os voos. Atiravam-nos só de três metros de altura. Para a vala comum.

          Mas aí já havia muita liberdade. Até se podia escolher a vala e tudo.

  2. Rui Naldinho says:

    Não é suposto ninguém sair de casa armado, viajar umas dezenas de quilómetros para um outro Estado, e disparar para uma manifestação violenta, de revolta, diga-se, argumentando que o faz em legítima defesa.
    Admitiria perfeitamente que os moradores se defendessem com armas diante de uma forte probabilidade de serem agredidos ou mortos. Já não me parece razoável alguém introduzir-se em terra vizinha e armar-se em justiceiro. Claro que estamos perante um racista.
    Já aqui escrevi que o nosso liberalismo só se preocupa com a liberdade dos outros se o governo for o da Venezuela, por exemplo, ou o país for governado por uma Geringonça, mesmo que em plena liberdade de escolha.
    Já se o governo for uma ditadura fascista, não mexem uma palha. Como sempre.

  3. JgMenos says:

    Tendo a cambada esquerdalha a ideologia que sustentada e repetidamente mais justificou assassinos e destemperados os mais variados, sempre associam à direita o máximo de incidentes em que não estão envolvidos grunhos da sua seita.

    Adora é um puto qualquer que vivia numa casa em que havia uma metralhadora!

    • Paulo Marques says:

      Falou o apoiante do apartheid e da violência policial.

      • Carlos Almeida says:

        O mais interessante, é que curiosamente ou talvez não, vemos o nosso estimado Salazarista JgMenos e outros politicamente semelhantes, a defenderem as mesmas posições do nosso excelentíssimo democrata e liberal Francisco.
        Os nossos liberais andam em boas companhias

        • Paulo Marques says:

          Na mesma conferência, a bater palmas uns aos outros.
          Carlos, o que é o MEL?
          Ou a defenderem o direito de manifestação, não necessariamente dentro da lei, dos portugueses de bem, que não esperavam que aparecessem!

    • João L Maio says:

      O teu comentário, Menos, é tão revelador do crápula que és, que nem merece ser rebatido.

      De um Salazarista de meia casa não seria de esperar mais. Aqui, já estamos habituados. Nunca desiludes.

    • Melga says:

      .l.

  4. JgMenos says:

    Aos racistas e supremacistas também sempre os fazem como representativos da direita, quando não há maiores supremacistas que aqueles que atribuem às que identificam como as suas classes, com suas vanguardas, tarefas tão insignificantes como criar o ‘homem novo’ ‘novas ordens, social e mundial’ e tudo que seja treta de grandeza alucinada,

    • Paulo Marques says:

      E, no entanto, continuas a defender os privilégios dos teus clientes, a ver se te mijam mais para cima.

      • João L Maio says:

        Paulo Marques,

        A sério? O Menos gosta de golden shower?

        Não seja por isso, armazeno já dois garrafões aqui em casa e envio para a morada do Botas.

        • JgMenos says:

          Sempre te puxa para a ralezada obscena que te deu o ser….

          • João L Maio says:

            Menos, “ralezada obscena”?! Chega essa boca para lá, porque:

            1 – quem gosta que lhe mijem para cima és tu;
            2 – não sou eu quem te vai dar um banho dourado;
            3 – quando tens a boca assim aberta, é um bafo de onça que não se aguenta.

            Fecha a matraca, Cerejeira!

          • JgMenos says:

            No esterco é a tua praia, grunho.

          • João L Maio says:

            E tu adoras vir cá cheirar… a praia, claro. O esterco és tu que trazes de Santa Comba, da cova do Velho.

    • British says:

      What ?

  5. luis barreiro says:

    Segundo a escumalha de esquerda roubar, saquear e incendiar lojas é bom, mas os donos das lojas, familiares e amigos pegarem em armas para se defenderem é mau. Que mãe deu esta educação?

    • POIS! says:

      Pois…

      Era pôr em ação uma data de mãezinhas como a do barreiro e escusava de se gastar tanto dinheiro em fardas, esquadras, pistolas, rádios, carros com sirenes, etc.

    • Paulo Marques says:

      Sem sequer entrar em questões estruturais, a gentinha em causa não pegou em armas para se defender.

    • Tuga says:

      Barrasco

      “Segundo a escumalha de esquerda roubar, saquear e incendiar lojas é bom, mas os donos das lojas, familiares e amigos pegarem em armas para se defenderem é mau. Que mãe deu esta educação?”

      E nós todos convencidos que eras gago e escrevias como falavas , aos saltinhos.

      Leste a noticia, gago mental ?

      O garoto foi armado meter-se com uma manifestação como provocador. Não o aceitaram e ele matou pessoas desarmadas

      Percebeste agora, barrasco

      • POIS! says:

        O barreiro não percebeu, mas só porque a mãezinha, ao deitar, só lhe conta metade da história.

        E não o deixa ver televisão porque os jornalistas são maus e só contam mentiras.

    • João L Maio says:

      A mãe que me deu educação disse-me para me defender sempre, adaptando-me às circunstâncias. Mas também sempre me disse que matar era errado.

      Vocês estão doentes. E, sinceramente, desejo-vos as melhoras.

    • Melga says:

      .l.

  6. Vander says:

    Não é engraçado como Kyle Rittenhouse deu 4 tiros num “protesto” da Esquerda e, automaticamente, acertou um Pedófilo, um Espancador de Mulheres e um Ladrão? Se ele desse mais um tiro, com certeza atingiria um narcotraficante.

    É brincadeira, mano! Nem se ele atirasse numa prisão, acertaria tanto criminoso; é esse tipo de gente que quer “consertar” o mundo.

    • João L Maio says:

      Ou seja: matar está certo.

      É tão bom ter liberdade de expressão… assim ficamos a saber a educação que o Vander teve: nenhuma.

    • Paulo Marques says:

      Se era para ser eficiente, devia ter enfiado um avião nas torres gémeas.

    • POIS! says:

      Pois, mas veja, ó Vander…

      Por vezes eles reúnem-se todos num só sítio.

      Se você passar lá junto ao Palácio do Planalto e estiver reunido o Governo Bolsonaro, é só atirar e acerta logo um criminoso. Não precisa de ir numa prisão, não!

      E o mesmo se for uma reunião lá do clã para rezar sob a direção do Pastor Flávio:

      “Quando pedi proteção,
      P’ra nossa boa vidinha,
      Logo Deus me enviou,
      A Sagrada Rachadinha”!

      Vá em frente Vander! Acerta criminoso Vander!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.