Don’t tread on him!

Esta semana, temos de celebrar o choro da fake media, da esquerda e de todos os que alinham com as agendas dos lobbies que usam a violência para defender as causas do bem. Kyle Rittenhouse foi considerado inocente, como só poderia ser. Perante organizações de extrema-esquerda, alimentadas por radicais que não olham a meios e pelo silêncio de quem não quer ser vítima de um cancelamento em grupo, poucos conseguem condenar os protestos violentos, mas facilmente apontam o dedo ou calam-se quando falamos de um jovem que agiu em legítima defesa. Se o Kyle já não estivesse entre nós, diriam que não podemos generalizar os protestantes e que acidentes acontecem.

Kyle Rittenhouse, nos seus 17 anos, apenas por se defender, atirando sobre indivíduos que o agrediram, aguentou aquilo que quem faz do ódio a sua maior causa nunca enfrentará.

Agora, que nunca se cale. Que não volte a passar por momentos como estes dos últimos dias, que bem devem custar. E que processe cada jornal, cada canal e cada pessoa que o difamaram.

Don’t tread on him!

Comments

  1. Tuga says:

    Boa

    Um trumpista não diria melhor.

  2. POIS! says:

    Pois tá bem!

    Realmente é muito mais fácil um tipo defender-se com uma arma de assalto à mão.

    É por isso que o Kyle anda sempre com uma no bolso de trás, não vá aprecer uma manifestação espontânea e o apanhem desprevenido.

    Acho até que podemos fazer a experiência no próximo arraial da IL. Eu ofereço-me para levar o cangulho. Começo a gritar palavras de ordem anti-Cotrintintin e espero que atirem as setas.

    Em seguida sai rajada e é legítima defesa!

    PS. Não querem convidar o Kyle a vir ver um jogo nas Antas? Assim, talvez, para ajudar à legítima defesa contra o cartão do adepto. Era capaz de os pôr a respeito!

  3. Paulo Marques says:

    Um extremista não revisionaria melhor, nem tão bem defenderia a hierarquia enaltecendo um pobre coitado que já tem ofertas de emprego dos seus correligionários, e honras garantidas em programas de notí… perdão, entretenimento, como se definiram em tribunal.
    Cancelado continua George Floyd, mas que é que isso interessa face à liberdade de levar armas a protestos? Nada, claro.

    • Paulo Marques says:

      Espero pela crítica do Francisco aos Proud Boys que festejaram armados e foram embora no metro sem pagar bilhete. Se calhar, como em 6/1, não foram violentos, e por isso, tá tudo bem.

      • Paulo Marques says:

        Espero igualmente pela crítica aos chalupas de bem “alimentados por radicais que não olham a meios e pelo silêncio de quem não quer ser vítima de um cancelamento em grupo, poucos conseguem condenar os protestos violentos” que grassam por toda a europa.

  4. Tuga says:

    E bom que o Francisco Figueiredo e outros “liberais” soltem estes desabafos, para nós vermos quais são na realidade os seus conceitos de liberdade.

    Muito obrigado Francisco

    Mas não vale a pena responder-me a explicar o seu conceito de liberdade, que já todos percebemos.

    E isto já não se trata ser de esquerda ou direita, o que temos é o confronto da civilização vs selvajaria, com os EE UU a regressarem ao tempo do Oeste, de arma na mão.


  5. Ora, ora. Se fosse um preto, caiam-lhe todos em cima. Legítima quê?????

Trackbacks


  1. […] Lido aqui no Aventar: “(…) falamos de um jovem que agiu em legítima defesa.” […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.