Nuno falta de vergonha na cara Crato

 

Crato diz que há professores a mais e que “redução é inevitável”

Falta de professores é um “drama anunciado há muito tempo”, diz Nuno Crato

Há muito para repetir (porque já foi tudo dito) sobre o consulado de Nuno Crato. No que se refere às duas declarações patentes na imagem, impõe-se uma pergunta básica: qual é o número mínimo de anos que corresponde a “muito tempo”? Relembre-se que  foi, alegadamente, ministro da Educação entre 2011 e 2015.

Nuno Crato foi um digno sucessor de Maria de Lurdes Rodrigues, cumprindo com denodo a tarefa de demolir a Escola Pública, o que incluiu um ataque continuado aos professores.

Tal como Maria de Lurdes Rodrigues, também Nuno Crato, por ter a mesma quantidade de vergonha na cara, aparece regularmente a dar opiniões sobre Educação. Está no seu direito, porque, em democracia, os incompetentes e os desavergonhados também têm direito a exprimir opiniões.

Comments

  1. POIS! says:

    Por acaso, Nabais…

    Comprei o Público na passada quinta-feira e vinha lá uma entrevista do Dr. Crato.

    Está lá muito bem explicada, de forma muito clara, a solução para este e outros problemas.

    Pena é que esta gente vinda da sociedade civil não seja devidamente aproveitada. Eu até lhe entregava o ensino todo, universidades incluídas. Tivesse este homem, algum dia, chegado a ministro e outro galo cantaria.

  2. João Mendes says:

    Tendo em conta que o indivíduo foi ministro até (quase) ao final de 2015, esse “muito tempo corresponderá, na melhor das hipóteses, a 6 anos. Uma eternidade, portanto.

  3. Professor B says:

    O homem nunca foi ministro!
    Mudou de opinião depois de aprender a contar.

  4. Paulo Marques says:

    Qual é a contradição? Falta de professores no privado, e excesso no público a render para os amigos, à custa do estado.

Trackbacks


  1. […] ou sobretudo, se não dominar o tema. Rodrigo Moita de Deus é, portanto, parente próximo de Nuno Crato ou de Carlos Guimarães […]

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.