25 de Novembro, sempre!

Hoje é dia de celebrar uma das datas mais importantes na nossa democracia e que continua a ser lamentavelmente deixada de lado. O 25 de Novembro simboliza a resistência democrática contra aqueles que queriam tirar Portugal das mãos do povo e colocar nas mãos de Moscovo.

Infelizmente, temos uma parte da direita que glorifica esta data ignorando a importância do 25 de Abril e temos uma esquerda, cada vez mais alargada, que faz questão de defender que o 25 de Abril é muito mais importante, mesmo quando ninguém coloca isso em causa. É claramente um mau a perder por não terem conseguido o real objetivo das forças mais radicais.

Mais do que celebrar esta data, não nos devemos esquecer de todas as atrocidades antidemocráticas realizadas nesse período, nas vozes que foram caladas. Tempos em que havia esquerda e a direita que a esquerda permitia que houvesse. Um democrata não pode aceitar isto.

Estamos em 2021 e a luta pela liberdade e pela democracia está inacabada. Os nossos standards devem ser mais exigentes do que no passado e devem ser menos exigentes do que no futuro. A democracia e a liberdade são bens tão importantes e frágeis, que faz parte da sua natureza estarem em perigo. Antes um exagero pela defesa da liberdade do que espasmos em defesa de um Estado todo poderoso. Continuamos um país atrasado, que dá pouca importância às suas liberdades.

Portugal é um país que protesta que todos os políticos são maus, mas teima em aceitar que estes tenham cada vez mais poder para mandar na vida das pessoas. Os políticos são maus, mas aplaudimos que possam decidir, sem critério, os nossos meses.

No dia em que celebramos o dia em que evitamos cair nas mãos comunistas, sabemos que voltamos a um confinamentos disfarçado, porque é para o nosso bem. Como se um pequeno grupo de pessoas soubesse o melhor para todos do que as próprias vítimas desta hipocondria.

Defendamos a liberdade, gente.

Comments

  1. Alexandre Barreira says:

    ….nã….nã………..o 28 de Maio de 1926….é muito mais importante….!!

    • JgMenos says:

      Cada um no seu tempo, teve a sua importância embora em sentidos opostos.
      O 28 de Maio livrou-nos dos antepassados da canalha esquerdalha, maçónicos, anarquistas e comunas.
      O 25 de Novembro, salvou os comunas e manteve-nos com uma esquerdalhada endémica e imbecil até hoje,

      • POIS! says:

        Pois, palavras para quê?

        Estamos na presença de um intelectual que passou toda a sua vida a estudar golpes.

        Segundo a sua sagaz teoria os dois golpes, certamente por andarem ordeira e obedientemente pela direita, cruzaram-se mas não chocaram: um vinha de Braga para baixo e outro ia de Lisboa para cima, cada um na sua mão.

        Isto porque os golpistas seguiram á risca o “Código da Golpada” que, como todos sabemos, só pode ser obra desse grande génio do nosso tempo, do anterior e do que está na bicha que é JgMenos.

  2. POIS! says:

    Pois temos todos de nos curvar!

    Ante a eloquente prosa do Sr. Figueiredo.

    Que deve ter estado lá, no 25 de novembro. Até porque crê que Portugal esteve para passar “para as mãos de Moscovo”, coisa em que nem o próprio Cunhal algum dia acreditou.

    • JgMenos says:

      O Cunhal a 25 de Novembro tinha a sua tarefa cumprida: entregar o Ultramar aos comunas.
      E esse era o limite do entendimento entre os impérios.

      • POIS! says:

        Pois o que lhe digo…

        É que eu não respondi a Vosselência. Estou farto de conhecer a sua narrativa.

        Que, aliás, no fundo, e no caso, até dá razão ao que eu digo.

        Mas o grande Historiador do Século XX Francisco Figueiredo é que esteve lá! Nós bem que podemos aqui andar em polémicas estéreis mas não conhecemos a crua realidade!

        Nessa altura era Capitão Piloto Aviador Grumete Comando Fuzileiro Paraquedista Vagomestre de Cavalaria e foi ele que, praticamente sozinho, derrotou os russos.

        Pelo menos os que havia lá na pastelaria da messe, comeu-os a todos!

  3. Paulo Marques says:

    Não se pode celebrar aquilo que só existiu na cabeça dos Jaime Neves desta vida; por muito que lhes lambam as botas.

  4. Pinto e silva says:

    Fascismo nunca mais!

  5. Francisco Burredo says:

    Fodasse este come merda às colheres

  6. JgMenos says:

    Mal agradecidos….

  7. Filipe Bastos says:

    À parola reverência abrileira, jovens direitistas como o Figueiredo juntam o igualmente parolo 25 Novembro – dia mui festivo para o Centrão Podre e seus fãs moderados-acarneirados.

    Do post salva-se isto: “como se um pequeno grupo de pessoas soubesse o [que é] melhor para todos”. Bravo, Chico.

    Quem dera a muitos ‘democratas’ verem algo tão óbvio. O 25/4 e o 25/11 só nos deram uma partidocracia. Das podres.

    • Paulo Marques says:

      Quer dizer, o menino acha que sabe mais do que a maioria porque são todos carneiros, mas acha que um pequeno grupo de pessoas não tem competência.
      Ok.

      • Filipe Bastos says:

        Que a maioria não: a maioria não vota.

        Este país é governado por um ínfimo grupo de mamões, através dum pequeno grupo de fantoches pulhíticos, que são legitimados por uma minoria de carneiros.

        E sim, são carneiros. Não é por ser eu a dizê-lo: é porque continuam, eleição após eleição, a ser carneiros.

        • Paulo Marques says:

          Só a partir de 2019, com censos com 9 anos. Ainda não estamos no paraíso.
          Sem falar que o governo ideal de peritos nada mais era que uma extrema minoria que teria e não teria competência.

        • POIS! says:

          Pois é!

          E com a tal “democracia mais direta” deixavam logo de ser carneiros.

          E, assim, o Bastos já tinha motivos para se candidatar.

          Talvez a pastor.

    • Tuga says:

      Filipe Bostas

      “O 25/4 e o 25/11 só nos deram uma partidocracia. Das podres.”

      Brilhante´

      Muito obrigado garotão, por ajudares os poucos que ainda não perceberam quem tu és, a topar-te

  8. Golden says:

    Lembro bem esses tempos de bombistas do ELP , MDLP, sedes do MDP/CDE e do Pcp invadidas e incendiadas , assassinatos de militantes de esquerda , bombas , comícios de esquerda impedidos de se realizar . Enfim um festim de “ terror comunista “

    Ps quanto ao pretendido feriado do 25 de Novembro aconselho antes a que façam uma manifestação . Vão ver que conseguem encher a Av da Liberdade . O povo está ávido disso .

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.