A Cadeira que tramou Salazar, o Putin português

Foi a 3 de Agosto, do ano da graça de 1968, que o nosso Putin caiu da cadeira e bateu com a cabeça no chão. Foi pena não ter acontecido mais cedo, mas ditador que é ditador é sempre difícil de derrubar, mais ainda quando têm o respaldo da NATO, toda ela liberdade e democracia. Foi preciso vir uma cadeira. A Cadeira! Para sempre grato, Cadeira.

Comments

  1. POIS! says:

    Ora bem, João Mendes!

    Há muito que venho propondo que este dia seja institucionalizado como Dia Mundial da Cadeira de Repouso. Até já, com espírito democrático, convidei o JgMenos para as comemorações.

    Sei que há pelo menos um arquiteto que defende que não havia cadeira nenhuma. E diz que o calista (*) também jurou que nem ele viu a cadeira nem a cadeira o viu a ele.

    Mas também há quem diga que se tratava de um agente do KGB, de seu nome Victor Poltronov, especialista em disfarces de peças de mobiliário.

    Apesar das dúvidas, nada abala a minha fézada na existência da cadeira.

    E digo consigo: “A cadeira! para sempre grato, Cadeira”.

    (*) Fazendo uma comparação entre ditadores, realçam aspetos curiosos. Já reparou em quem acompanhava os diversos tiranos nos momentos fortemente decisivos da sua existência?

    Pois Hitler estava com a mulher, Mussolini com a amante e Salazar…com o calista.

  2. José Ferreira says:

    Um tonto…
    ouve uma sondagem para o melhor português de sempre, e surpresa das surpresas… Salazar foi eleito. deixe de ser
    um tonto!

    • António Melo says:

      Houve é com h. Senão, é o verbo ouvir. Antes de dizeres calinadas, aprende a escrever. Ou melhor, deixa-te estar assim: quem mal pensa mal escreve e tu não pensas melhor do que escreves. É assim que se estraga um comentário tão bonito e profundo…

    • POIS! says:

      Ora pois, mas realmente…

      Quando é que foi essa “sondagem”?

      Realmente dizem que ouve, mas a malta é surda.

      PS. No “Big Brother” há sondagens dessas todos os dias. Foi lá?

      • POIS! says:

        Ou terá sido feita…

        À saída de uma reunião de beija-mão, beija-pé e beija-noutrolado do chefe na sede da Irmandade do Quarto Pastorinho?

        Aí tinha 100%! Ou até mais!

    • Paulo Marques says:

      Ah, bom, se havia uma sondagem contada pelo número de dinheiro que se gastava em chamadas, é porque está cientificamente provado que não havia cadeira nenhuma.

      • POIS! says:

        Havia, havia.

        Era uma cadeira virtual.

        O calista não a viu porque se esqueceu em casa dos óculos de realidade aumentada.

        Como se sabe, a época salazaresca foi caraterizada por um desenvolvimento tecnológico imparável. Veja lá que até puseram as teclas das máquinas de escrever a falar português!

  3. Abel says:

    Mas afinal quem é tonto? Não serão antes os participantes dessa sondagem?
    Afinal, que fez salazar por Portugal e pelos portugueses de então? Para além dos “portugueses de bem”, clérigos e afins? O meu pai também sentia saudades por essa personagem (“porque havia respeito”), mas teve de emigrar para longe da miséria de portugal dos pequeninos de então.

  4. JgMenos says:

    Todo o bardamerda se sente gente a maldizer Salazar.
    É o que lhes resta!

    • POIS! says:

      Pois. E, por outro lado…

      Todo o bardamerda salazaresco-pastorinho se sente gente a louvar Salazar.
      É o que lhes resta!

    • Paulo Marques says:

      É sinal de democracia. Que se foda o Salazar, o Costa, a Catarina, o Putin, o Biden, o Xi, e as queridas mãezinhas.
      Estranho, o mundo não acaba, nem me caiu um raio.

  5. Amora de Bruegas says:

    Mendes, você é psicopata….,pois só um indivíduo que odeia até ao extremo, vem falar de uma pessoa que morreu há mais de 50 anos e fazer idiotas comparações.

    • POIS! says:

      Ora porra, ó Burregas!

      Morreu há mais de 50 anos?

      E logo Vosselência, que traz aqui a lista dos supostos esquerdistas que estão no Inferno, para onde já mandou toda a gente que não lhe agrada! (*)

      A propósito: Vosselência está muito bem informado acerca da população do Inferno. Tem lá conhecimentos, é?

      É preciso ter descaramento, ó Burregas!

      (*) Ao contrário de padrecos, catequistos, sacristas, beatos e outras merdas, que abusaram de crianças. Já lá vão mais de 300. Fora os bispatos e cardealotes que ocultaram!

Leave a Reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.