Cavaco Silva ganha de novo à primeira volta

Já antecipava a ideia aqui:

Já Cavaco Silva, tem uma grande oportunidade para assegurar o segundo mandato: forçar o PS a apresentar um candidato (que não é difícil de sustentar, dadas as diversas reacções alérgicas que a disponibilidade de Manuel Alegre cedo provocou) para, com Manuel Alegre – que teve mais uma inábil estratégia de arranque de candidatura, agora ao aparecer colado ao Bloco de Esquerda –, dividir a Esquerda e ganhar à primeira volta. Depois é só deixar o PSD arrumar a casa e encontrar um líder com um mínimo de substância, e fazer cair o Governo no momento certo – ou seja, a mesma estratégia de Jorge Sampaio que abriu as portas do poder ao PS -, e José Sócrates poderá ainda sair de um pesadelo governativo como pobre vítima.

Mais uma candidatura a piscar o olho à Esquerda, a de Fernando Nobre, e Cavaco Silva passou a ter mais firme a possibilidade de ganhar à primeira volta. Isto a acreditar que Manuel Alegre não desiste, o que seria, neste momento, o aniquilar do capital político que alega ter desde as últimas presidenciais.

O prazo de validade do Governo PS, dependerá, em larga medida, do desfecho das eleições presidenciais e da composição entretanto operada dentro do aparelho partidário social-democrata. E o próprio PS sentir-se-á liberto do pesadelo da obrigação de governar.

Entretanto, enquanto o Carnaval ao invés de terminar, vai engrossando, há quem se preocupe com a estética da República, discutindo se não seria de actualizar o busto da República. Nesta época faz todo o sentido preocuparmo-nos com tal: a República funciona bem, muito bem, estará é com má cara