Não há diamantes mas há EPUL

Estádio de Alvalade (foto ASF)

Tal como o Benfica, o Sporting também foi muito “apoiado” pela autarquia Lisboeta, levou dez milhões e mais terrenos, imóveis e autorizações para construção em grande escala nos terrenos à volta do estádio.
Para não faltar “cash”, a EPUL mudou a sua sede para um dos edificios do clube onde esteve seis anos e onde pagava 700 mil euros por ano, isto é dois mil euros/dia. A EPUL que constrói casa por tudo quanto é sítio precisou de arrendar uns escritórios por uma renda milionária.
Tudo negócios normais, habituais e justificados…

Não há petróleo mas há EPUL

A Comissão de Acompanhamento do contrato entre o Benfica e a Câmara de Lisboa nunca reuniu, diz o Público na sua primeira página de ontem. O clube recebeu 65,4 milhões de euros para a obra do novo estádio.

O Euro 2004 vem revelando quanto nos custou, depois dos estádios que ninguem quer, por não haver meios financeiros para os manter (Algarve,Coimbra,Leiria,Aveiro) as negociatas aparecem à luz do dia.

Mas os estádios são muito bonitos e ficam para o futuro…