Ironia blasflema

O João Miranda anda escandalizado por a TSU não ter sido aprovada. Com ironia, diz que «o lado bom destas novas medidas é que não há transferências dos trabalhadores para os patrões». Mas, ironicamente, ele tem razão. Vejamos. Se a TSU tivesse avançado, o buraco das contas não teria sido tapado – com efeito, já no momento da apresentação da TSU se falava na redefinição dos escalões do IRS. Portanto, com TSU, teria havido essa transferência dos trabalhadores para os patrões mais esta transferência dos trabalhadores para o estado. Simples, não é João?