Bizarra locomotiva

A Boeing é o 2º maior fabricante do mundo de material militar. Quem diria?

2017-01-12

01-27-37

 

Wikileaks expõe Sony

Financiamento do Partido Democrata, ligações à indústria militar, condicionamento do processo legislativo e outras revelações de uma multinacional intimamente ligada a poder.

A Grécia e a indústria militar

Já não tenho pachorra para o discurso politicamente correcto sobre a Grécia vivendo acima das suas possibilidades. Fica bem inventar arbustos onde até há jardins, mais as pensões a filhas solteiras como motor do endividamento externo, e hoje um ensaio sobre falsas cegueiras. A direita aproveita a Grécia para vergastar o estado social como se os atenienses vivessem em Estocolmo. Ora, para lá da corrupção típica de sucessivos governos de alterne,  talvez seja mais sensato olhar para a Grécia de hoje pensando na velha Esparta:

O segundo maior gastador em belicismos (% de PIB) da Nato continua a fazer comprinhas: os alemães estão muito chateados porque os franceses continuam a vender fragatas à Grécia (tipo empresto agora depois pagas), não porque isso seja absurdo neste momento mas porque não são eles a vendê-las. E talvez por aí pare o regabofe (não são só fragatas: os submarinos de Paulo Portas ao pé das encomendas gregas são uma brincadeira de meninos), até porque os maluquinhos insistem em comprar francês e americano, esquecendo-se de contribuir para a indústria militar alemã.

Claro que isto agora não interessa nada ao pé de umas vigarices na segurança social, e ainda sou acusado de propaganda anti-alemã se insisto muito em detalhes desta natureza.

Estas e outras fizeram de Arquiloco o meu poeta heleno favorito, muito por ter perdido um escudo em combate e cantado, antes o escudo que a vida.

Fonte do gráfico.