Submarinos: O mundo ao contrário

 
É o mundo ao contrário. Se no negócio de corrupção dos submarinos estivesse envolvido Sócrates ou alguém do PS, seria uma campanha negra, um ataque pessoal, maledicência pura, um golpe baixo. O PS manifestaria todo o seu apoio ao Governo e todos seriam mantidos no seu lugar até serem corridos. O «Jornal de Notícias» ocuparia umas linhas sobre o assunto numa obscura página interior.

Como os envolvidos são do CDS e do PSD, o foi desde logo suspenso, o PS dá todo o apoio ao Governo, o Ministro da Malhação promete ajudar a Justiça e Alberto Martins ainda não veio falar do Ministério Público. O «Jornal de Notícias» enche a primeira página com o assunto.
Definitivamente, é o mundo ao contrário.