Chancas e tacões

Tacões no Palácio de Versailles.

A Ponte Luís I, que une as cidades do Porto e Vila Nova de Gaia, tem o seu tabuleiro inferior em avançado estado de degradação há vários anos. E “vários” quer dizer mais de uma década. O tabuleiro superior foi recuperado, por causa da passagem do Metro, mas aquele que é conhecido como “o tabuleiro de baixo” apresenta sinais de degradação totalmente incompatíveis com a importância urbana e patrimonial da estrutura. Não se conhece o motivo pelo qual numa ponte desta importância se recupera um tabuleiro e se deixa o outro a apodrecer.

[Read more…]

Postcards from Romania (31)

Pode um palácio secar uma cidade?

Uma cidade, um país e um povo. As ditaduras ditas de esquerda são tão más como as ditas de direita. Os ditadores são dementes, geralmente. Ceausescu não era exceção e talvez tenha sido, de muitas mais formas do que aquelas que a nossa imaginação pode alcançar, a própria regra. Há um filme-documentário, mais ou menos recente em que, apenas usando imagens reais, o realizador nos dá conta do percurso desta pessoa*.

Ao princípio é simples. Uma pessoa ambiciosa, mas aparentemente com boas intenções. Bom, dizer isto de um ditador é no mínimo caricato. Mas assumamos que assim era. Ele e a sua mulher – Elena** – eram pessoas simples. De muitos modos, continuaram a sê-lo, mesmo na sua imensa perturbação, anos depois, mesmo na sua demência que, tal como o Palácio da República que idealizaram e mandaram construir, parece ter secado um país inteiro, descaracterizando-o através de um processo (quantas vezes deverei usar a palavra demência, ainda que com grandes reservas?) de ‘sistematização’. [Read more…]