Prá-Kys-Tão

Num mundo perfeito quem saísse de casa para ir estudar numa universidade ia viver para uma república. Aprendia o que tinha para estudar e a viver com os outros. O mundo é como é, e as repúblicas de Coimbra estão a sofrer um ataque que já foi tentado na década de 80, e que desta vez ameaça ter sucesso. Pela primeira vez uma lei das rendas não as contempla.

Há que defendê-las uma a uma, até porque não se sabem unir. A Real República Prá-Kys-Tão está desde 1951 na mais bela das casas, a Casa da Nau, e precisa de fazer obras:

Para ajudar, é aqui.

Matar as Repúblicas? suicidem-se

Tenham vergonha deputados do PSD que andaram por Coimbra, a começar em quem foi dirigente associativo como Emídio Guerreiro.

O regime de excepção para as Repúblicas estudantis, tradicionais em Coimbra, e sob proposta do PS, foi rejeitado pelos partidos da maioria na Assembleia da República (PSD e CDS/PP) na votação na especialidade das alteração à Lei de Arrendamento (n.º 38/XII proposta pelo Governo), que decorreu quarta-feira (dia 30) na Comissão de Ambiente, Poder Local e Ordenamento do Território. in Campeão das Províncias

Os outros acabam de dar um tiro nas patas. Quem se mete com as Repúblicas leva, mais de um século de História o atesta.

Lei de Arrendamento e Repúblicas

Explicado este assunto republicano, sempre acrescento que até o PSD tem deputados que podem fazer um desenho à ministra.