Dia Mundial do Ambiente, parece

E a resposta é esta brincadeira.

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Claro, é dinheiro que não chega aos empreendedores…

    https://www.euractiv.com/section/circular-economy/news/waste-subsidies-make-it-cheaper-to-burn-than-recycle/

    (e o que estava à procura era uma versão muito mais ligeira do que encontrei… minha nossa)


    • se os produtos forem produzidos de recursos renováveis/biológicos, queimar é uma opção adequada do ponto de vista de economia circular. Em muitos ecossistemas, em especial nas florestas de eucaliptos da Austrália (tão amadas e invejadas por tantos beirões deste país), os incêndios permitem a renovação dos nutrientes dos solos e da biomass, visto que os eucaliptos tornam os solos pobres. E não me venham com a conversa das dioxinas, partículas, etc e tal, uma floresta a arder emite partículas, NOX, SOX, e sem controle, enquanto na incineradora até se controlam essas coisas, incluindo na se Souselas, que tem melhor ar para respirar que Coimbra.

      • Paulo Marques says:

        Se calhar esse link não dá tanta evidência, a questão é mesmo a incineração de plástico, com valores acima de 20000 toneladas por ano.
        Com o que diz, não discordo, de todo. O problema é que com incentivos capitalistas invés de controlo por parte dos estados optimiza-se o problema errado e a inércia impede que se faça acertos rápidos.


  2. A brincadeira é um primeiro passo, ou é como na praxe de Coimbra, os veteranos resolvem tudo

  3. Ana Moreno says:

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.