Socialismo sem contas feitas…

Comments

  1. Paulo Marques says:

    Q’horror, o Fed vai ficar sem bits para financiar o que o estado quiser! Sério é o FMI, que nunca acerta as contas das intervenções. E quem à 20 prevê a falência do Japão, quem há 30 ou 40 (varia) prevê a falência dos EUA, quem previa a falência da Islândia em 2008, os Remainers há 4 anos a prever a falência do Reino Unido e por aí adiante.
    Podia ter inventado um número como esses, Passos, a comissão europeia nos défices estruturais e muitas outras dezenas de pessoas respeitáveis e sérias, mas é completamente irrelevante: um país soberano não usa os impostos para financiar coisa nenhuma.
    O António prefere por um preço na vida das pessoas, sobre a forma de falência. Se calhar acha justo pagar 32.000USD para se dar à luz, ou 2000USD para chamar uma ambulância. São gostos.

  2. Carlos Almeida says:

    Nao precisa de nos tentar convencer. Para mim o liberalismo foi há 200 anos

    Cumprimentos

    Carlos Almeida

    • POIS! says:

      Pois!

      Desde essa altura que se propagandeia esta vigarice. Mas ainda não estão contentes. O António de Almeida, por exemplo, vive na esperança de chegar ao “Guiness” dos liberal-propagandeiros.

  3. POIS! says:

    Pois!

    Em 20 segundos ficámos a saber tudo. É claro que o homem ia dizer mais qualquer coisa, mas não interessa.

    Realmente saúde para todos é caro. Talvez a doença fique mais barata. Quantos mais baterem a bota cedo menos temos de pagar em impostos. O ideal, mesmo, era até fazer um sorteio anual de enfermos supranumerários. e dar-lhes umas overdoses, depois de lhes agradecer o seu contributo para a economia, é claro!

    E universidade ao alcance de todos, sem endividamento para toda a vida também é caro. Mas não vou acrescentar mais nada, porque acho que a quem tirou o curso numa universidade pública sem ter pago quase nada diretamente porque as propinas eram baixas não fica bem pugnar agora para que os que vieram a seguir as paguem, porque não quer pagar impostos. Creio que não teria sido o seu caso, porque, de outro modo, demonstraria que aprendeu por lá alguma coisa, o que não parece.

    Perguntar quanto custa uma medida justa é fácil. Mais difícil é perguntar quanto custa o contrário: por os ricaços a pagar menos impostos, encerrar serviços essenciais, deixar degradar infraestruturas, deixar arder florestas centenárias ou bombardear sírios e afegãos.

  4. Mr José Oliveira Oliveira says:

    We never count the dead when God is on our side, and God bless America forever….

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.